Ziza Fora do Galo

O último a sair que apague a luz...

O último a sair que apague a luz...

Ziza Valadares não é mais o presidente do Galo.

Ele renunciou ao cargo na manhã desta quinta, dia 18.

De acordo com o ex presidente os motivos principais que o levarama tomar esta deicsão foram de caráter pessoal.

Mas também atribuiu sua saída às pressões da torcida e de membros do Conselho Deliberativo do Clube.

Fora do Galo Ziza deve dedicar-se agora a campanha do filho Gustavo à Prefeitura de BH.

O Atlético tem 4 vice-presidentes que legalmente estariam aptos a assumir o clube.

O vice-presidente jurídico Roberto Vasconcelos, o vice financeiro Renato Salvador.

Além dos outros dois vices, Gil César e Ronaldo Vasconcelos.

A decisão deve sair até o início da próxima semana.

Anúncios

Parabéns América!!!

Hoje o Ameriquinha do Rio faz aniversário.

Edu e Antunes, irmãos de Zico. Para muitos o primeiro foi melhor que o Galinho

Edu e Antunes, irmãos de Zico. Para muitos o primeiro foi melhor que o Galinho

São 104 anos de glórias, craques, títulos, sofrimento e muita simpatia.

O Ameriquinha é um símbolo da simpatia Tijucana e, Indiscutivelmente, o segundo time de todo torcedor carioca.

Jornalista dos bons e louco pelo Ameriquinha

Zé Trajano: Jornalista dos bons e louco pelo Ameriquinha

E graças a alguns fãs ilustres e loucos, no bom sentido da palavra, querido em todas partes.

Além de ter um dos mais belos hinos do futebol brasileiro.

O Ópio do Povo deixa registrado seu abraço a este simpático clube tijucano!

Parabéns América e a todos que fizeram sua história e a todos aqueles que a mantém viva.

Dias melhores virão!

O Presidente de Honra que dá nome ao Estádio de Edson Passos

O Presidente de Honra que dá nome ao Estádio de Édson Passos

Lamartine Babo, compositor do hino do América

Lamartine Babo, compositor do hino do América

Tia Ruth, torcedora simbolo do Ameriquinha

Tia Ruth, torcedora símbolo

República Democrática do Ondiéquistão

Pra onde ele foi?

Pra onde ele foi?

O fechamento da janela de transferências para o futebol europeu trouxe um certo alívio para os clubes brasileiros.

E digo um certo porque como ensina o ditado, mais ou menos assim, uma janela se fecha para outras abrirem.

E nada como a sabedoria popular para explicar o futebol.

Embora o període de transferências para Europa tenha acabado diversos mercados menores, ou menos tradicionais, ainda estão abertos.

O da Ásia por exemplo onde Japão e Coréia do Sul costumam levar bastante jogadores daqui.

Outro mercado emergente que vem tomando cada vez mais gosto por jogadores e técnicos brasileiros é o dos países árabes.

Para ficarmos em poucos exemplos Valdívia se transferiu do Palmeiras para o Al Ain dos Emirados Árabes Unidos e Fernandão do Inter de Porto Alegre para o Al Gharafa do Catar.

Marcinho, então artilheiro do Brasileirão-08 se foi do Flamengo para o Al-Jazira dos Emirados Árabes. Mesmo clube que já havia levado o treinador Abel Braga do Inter e que fechou com o selecionável Rafael Sóbis. O atacante atuava pelo Betis de Sevilha na milionária Liga das Estrelas.

Algumas janelas se fecharam. Mas muitas outras seguem abertas.

É bom os clubes brasileiros se prepararem para lutar contra os petrodólares.

Ou o torcedor ficará se perguntando onde foram parar seus craques.

Na Arábia, no Japão ou no Ondiéquistão.