A convocação do Dunga e o som da corneta

zangado 7 anoesMeu ex companheiro de conto de fadas convocou hoje a seleção brasileira que disputará as partidas contra Uruguai e Paraguai pelas eliminatórias e a Copa das Confederações na África do Sul

Agora que a Copa do Brasil chega às semifinais e a Libertadores às quartas, o técnico anão resolveu convocar jogadores que atuam em território nacional. Só pra avacalhar!

Tirou Kléber (Inter), Nilmar (Inter) e André Santos (Corinthians) da Copa do Brasil, Ramires (Cruzeiro) e Víctor (Grêmio) do torneio intercontinental. O goleiro gremista pra mim é o pior dos casos pois se trata de um jogador que dificilmente terá oportunidade de jogar na seleção e faz uma falta danada ao tricolor gaúcho. Com Júlio César (Inter de Milão) e Gomes (Tottenham) no grupo, duvido muito que Víctor seja aproveitado. Então deixa o menino jogar a Libertadores!

A lateral esquerda segue sendo a pior posição do escrete canarinho. André Santos foi convocado em seu pior momento desde que chegou ao Corinthians, nem o Mano tem tido paciência com ele. Kléber não chega à linha de fundo ofensiva há mais ou menos uns 3 anos. E Fábio Aurélio, que fez ótima temporada no Liverpool, continua esquecido.

Quanto a Nilmar e Ramires não dá pra condenar, mesmo prejudicando suas equipes. Os dois estão jogando demais, sobrando no futebol brasileiro e já mereciam esta convocação há muito tempo. Aliás, bom a torcida celeste aproveitar as partidas que antecedem a apresentação de Ramires. Serão as últimas, pois hoje foi anunciado o negócio com o Benfica de Portugal, 7 milhões e meio de euros. O Cruzeiro tem direito apena a 30% disto, cerca de 2 milhões, 250 mil euros.

dunga 2008 tecnico seleção brasileiraO ponto alto do Dunga foi seguramente não ter convocado Ronaldinho Gaúcho. Ninguém sentiu falta. Mas algumas figurinhas carimbadas que tiveram uma temporada pífia continuam com cadeira cativa no grupo do técnico anão. Continuo discordando frontalmente do meu ex companheiro nas convocações de Gilberto Silva (Panathinaikos), Felipe Melo (Fiorentina), Elano (Manchester City), Luisão (Benfica) e incluo Robinho (Manchester City) nesta lista também. Hoje, eu não convocaria Robinho.

Vamos a convocação do Dunga e, logicamente, às minhas cornetadas!

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Gomes (Tottenham)
Víctor (Grêmio).

Deixaria Víctor disputar a Libertadores e levaria o Diego (Almeria) ou mesmo o Rubinho (Genoa).

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Kléber (Inter)
André Santos (Corinthians)

Do lado direito não há o que questionar, mas do esquerdo… Trocaria Kléber e André Santos por Fábio Aurélio (Liverpool) e mais algum, quem? Sinceramente não sei, pensei no Adriano (Sevilla), mas faz muito tempo que ele não atua pela lateral. Ah se o Evra fosse brasileiro…

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Bayern de Munique)
Alex (Chelsea)
Luisão (Benfica)

Luisão é uma brincadeira, até o Atchim sabe disto. Levando-se em conta a imposibilidade de levar Miranda (São Paulo), no lugar do zagueiro do Benfica eu testaria o Naldo (Werder Bremen) ou o Felipe (Udinese). Este último é pouco conhecido aqui, tem 24 anos e é um zagueiraço. E podem anotar, se não jogar pela seleção brasileira já já vestirá a camisa da Azzurra. 

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Anderson (Manchester United)
Josué (Wolfsburg)
Elano (Manchester City)
Kaká (Milan)
Júlio Baptista (Roma)
Ramires (Cruzeiro)
Felipe Melo (Fiorentina)

Elano é mais que reserva no fraquinho Manchester City, segue na seleção porque é quase um amuleto do técnico anão. Felipe Melo é um jogador, com muita boa vontade, medíocre na essência da palavra, médio mesmo. Gilberto Silva tem todo meu respeito, jogou muito na Copa de 2002, no América mineiro. No Galo e nos primeiros anos de Arsenal comeu a bola! Mas já deu né? Muito obrigado Gilberto Silva, mas acho que o tempo dos volantões já passou. Pra estes 3 lugares eu levaria Lucas (Liverpool), Denílson (Arsenal) e Diego, recentemente transferido para Juventus de Turim. Se o Palmeiras não estivesse na Libertadores também consideraria o versátil e eficiente Cleiton Xavier.

Atacantes

Pato (Milan)
Nilmar (Inter)
Robinho (Manchester City)
Luís Fabiano (Sevilha)

Sinceramente, eu também daria um tempo do Robinho na seleção. O jogador não vem jogando nada e futebol parece ser a última coisa em que ele pensa ultimamente. O negócio é que a fase não anda muito boa pros atacantes brasileiros. Aqui, Nilmar é disparado o melhor. Lá fora, a melhor temporada não é nem do Pato nem do Fabuloso, é do Grafite (Wolfsburg). O ex jogador do São Paulo e do Goiás é artilheiro do campeonato alemão com 26 gols, alguns deles lindíssimos, e ainda briga com Eto’o pela Chuteira de Ouro da Europa, prêmio dado ao maior goleador dos campeonatos nacionais no velho continente. E, como simpatizo com o cara, ta aí, daria uma chance pro Grafite.

Bem amigos, estas são as minhas considerações. E quais são as suas?  

Foto original: Estadão

Argentina Hahaha!

Hoje François Omam-Biyik completa 43 anos de idade. Mas quem é Omam-Biyik? O vídeo abaixo mostra um pouco do atacante camaronês que passou pelo futebol mexicano nos anos 90.

Omam-Biyik foi o protagonista de partida inaugural da Copa do Mundo da Itália, em 1990. Camarões ecandalizou o mundo ao bater a poderosa Argentina, campeã da Copa de 86 no México.

Camarões já havia surpreendido o mundo ao empatar com a Itália na Copa de 82, mas eu só tinha um ano. Em 90 eu já tinha 9 e fiquei encantado com aquele time de roupas tão coloridas e futebol tão ofensivo, bonito.

A zebra africana provocou uma cena que sou incapaz de me esquecer. Não por ter sido importante, crucial, nada disto. É destas coisas que nos marcam sem um motivo muito nítido, uma cena mundana, cotidiana. Da qual, pelos meandros indecifráveis do nosso subconsciente, não podemos nos separar.

Como já disse eu tinha 9 anos e estudava no Instituto de Educação de Minas Gerais, ou na Escola Estadual Luiz Peçanha, como nossas professoras gostavam que escrevêsemos. E como na maioria da escolas públicas do país, podíamos assistir aos jogos do Mundial, afinal, é de 4 em 4 anos

Eu assistia o jogo com os olhos enfeitiçados pelas cores da África. Sem saber eu me via naqueles jogadores, na união que eu nem imaginava representar o verde, o amarelo e o vermelho.

E de repente aquele gol. Omam-Biyik subiu como um beija flor, como um Dadá Maravilha. Subiu mais alto que o topo do mundo e ali ficou parado por segundos que me pareceram horas. A cabeçada foi fraca, no meio da baliza. Mas não tinha jeito, tinha que ser gol. Obrigado Pumpido!

E então veio a cena. Dezenas de crianças em fila indiana, meninos e meninas gritando, cantando em alto e uníssono som: Argentina Hahaha, Argentina hahaha! Lembro-me da cena como se fose hoje, inclusive Marcelo Pirelli, o grande capitão – sem comparações a Obdulio, pois a este ninguém se compara – fazia parte do coro, embora não acredite que ele se lembre disto.

crianças memoria afetiva copa de 90 omam_biyik

Como já expliquei, não sei porque esta cena me marcou tanto. Talvez pela descoberta da beleza do futebol que convida ao lúdico e permite molecagens de dar inveja a qualquer Saci. Talvez pela descoberta das cores, da África unida nesta trilogia cromática. Talvez tenha sido aí que reconheci, pela primeira vez, minhas raízes.

Imagens Originais: Mercado Ético e FFFFound