A Copa do Mundo é realmente nossa

Trilha Sonora: A Taça do Mundo é Nossa (Maugeri, Müller, Sobrinho e Dagô)

Se você anda economizando dinheiro pra trocar de carro, pagar a faculdade ou fazer aquela viagem dos seus sonhos, é melhor mudar de idéia. Não terá jeito, eu, você e todos os brasileiros teremos mesmo que abrir a carteira pois a Copa do Mundo é nossa… assim como a conta do Mundial da Fifa.

Esta semana o todo poderoso Ricardo Teixeirapresidente dono da CBF – convocou parte da imprensa para uma nova modalidade de entrevista, a coletiva exclusiva.

derrama_dinheiro_publicoO ponto central das declarações de Ricardo Teixeira foi só um, dinheiro público na construção e reforma dos estádios que sediarão as partidas da Copa de 2014. Segundo o presidente da CBF, sem a ajuda do poder público a Copa não sai.

Coisa que todos nós já sabíamos, embora dirigentes e políticos teimassem em negar.

Mas esta é, como disse acima, uma facada esperada, a famosa crônica de uma morte anunciada. O fato novo, mas não menos esperado, apareceu em Curitiba. A diretoria atleticana também anunciou esta semana que sem ajuda da mão grande do governo a Arena não terá condições de se adequar às exigências da Fifa.

Apenas 3 dos 12 estádios que sediarão o Mundial não pertencem ao poder público – Arena da Baixada (Atlético Paranaense), Beira Rio (Inter) e Morumbi (São Paulo).

E com a preocupante sinalização do Furacão de que sozinho não vai dar, fica a pergunta: Será que teremos que pagar a conta até dos estádios particulares?

Se é assim, deveria ter havido um plebiscito para dizermos se queríamos ou não sediar o Mundial.

A Copa do Mundo é nossa! Nossa mesmo…

Imagem: Bico do Corvo
Áudio: Escuta Isso!

Conheça a Sociedade Futeboleira do Brasil!

Anúncios

O mais novo queridinho

Nem os merengues Kaká e Cristiano Ronaldo, nem o hollywoodiano David Beckham, o garoto propaganda mais requisitado do mundo do futebol atualmente é Lionel Messi.

O vídeo acima, uma peça para o Sportscenter latinoamericano da ESPN, é o último com o craque do Barça.

O argentino está longe de ser um galã; baixinho, magrelo e com cara de pulga, como sugere seu apelido. Mas Messi tem carisma, talvez sua forma diminuta e quase esquálida faça com que nós, meros mortais, pensemos que fazer o que ele faz com a bola nos pés seja fácil, seja possível.

Mas não é. Messi é uma exceção. Joga como um Deus, uma autêntica divindade da bola.

Messi é muito mais que um jogador. É melodia de Piazzolla com prosa de Cortázar.

Abaixo o antológico gol contra o Getafe com a histórica narração do uruguaio Víctor Hugo Morales do gol mais bonito da história das Copas, aquele assinado por Maradona contra os ingleses no Mundial do México 86. Se não me engano o primeiro confronto entre Argentina e Inglaterra após a Guerra das Malvinas.

Curte futebol e redes sociais? Então conheça a Sociedade Futeboleira do Brasil!