Convocação da Seleção – A do Dunga e a minha

Amanhã, 11 de maio, sai a convocação dos jogadores que defenderão o Brasil na próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Muitas expectativas e perguntas a respeito da lista do Dunga: Ronaldinho Gaúcho  estará entre os 23 convocados? E os meninos Neymar e Ganso, também vão à África? E quem fica de fora para que eles entrem?

Vindo do técnico anão, não acredito em surpresas. Pra mim, Ganso e Neymar estão fora de cogitação. Embora eu torça para vê-los na lista, não acredito mesmo que serão chamados.

Já sobre Ronaldinho, também não acredito na convocação, mas penso que existe possibilidade. Principalmente se Dunga e Jorginho tiverem desistido de Adriano. Sem o Imperador, cresce a chance do Gaúcho pois abre-se um espaço para mais uma grande estrela, um nome de peso.

A convocação sai amanhã, mas especular não custa nada né? Então aí vão os 23 jogadores que eu acho que serão convocados. Importante ressaltar que são aqueles que eu acredito que estarão na lista do Dunga e não os que eu queria ver por lá. Minha seleção seria bem diferente do time do técnico anão.

Lista do Dunga

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Doni (Roma) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Michel Bastos (Lyon) – Kléber (Inter de Porto Alegre)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Luisão (Benfica) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Josué (Wolfsburg) – Felipe Melo (Juventus) – Elano (Galatasaray) – Kaká (Real Madrid) – Júlio Baptista (Roma) – Ramires (Benfica) – Kléberson (Flamengo)

Atacantes
Robinho (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Nilmar (Villarreal)

Time Base (4-2-3-1)

Então, para que não haja confusão, na sequência apresento aquela que seria a minha convocação!

Lista do Bernardo

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Gomes (Tottenham) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Marcelo (Real Madrid) – Fábio Aurélio (Liverpool)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Alex (Chelsea) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Lucas (Liverpool) – Sandro (Inter de Porto Alegre) – Paulo Henrique Ganso (Santos) – Kaká (Real Madrid) – Ramires (Benfica) – Hernanes (São Paulo)

Atacantes
Neymar (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Alexandre Pato (Milan) – Ronaldinho Gaúcho (Milan)

Time Base (4-1-3-2)

Imagem: Jornalismo 24 Horas
Anúncios

O Inquestionável Chelsea

O Chelsea conquistou hoje, de forma irrefutável, o quarto tíulo inglês de sua história, o 3º da era Roman Abramovich.

O caneco veio com uma impressionante goleada, 8 X 0 sobre o Wigan no Stamford Bridge. O resultado pode parecer atípico, mas não para os comandados de Carlo Ancelotti. Nesta temporada, foram 13 jogos com goleadas onde os Azuis de Londres marcaram pelo menos 4 vezes, incluindo aí alguns resultados estrondosos como um 7 X 2, um 7 X 1, um 7 X 0 e o 8 X 0 de hoje. A lista pode aumentar já que, no próximo sábado, 15 de maio, o Chelsea disputa a final da Copa da Inglaterra contra o falido e rebaixado Portsmouth e ninguém duvida da possibilidade de mais uma chuva de gols azuis. Abaixo, segue a lista das goleadas na atual temporada:

4 X 0 Atletico de Madrid (Casa – Liga dos Campeões da Europa)
5 X 0 Blacburn Rovers (Casa – Campeonato Inglês)
4 X 0 Bolton (Casa – Copa da Liga Inglesa)
4 X 0 Bolton (Fora – Campeonato Inglês)
4 X 0 Wolverhampton (Casa – Campeonato Inglês)
5 X 0 Watford (Casa – Copa da Inglaterra)
7 X 2 Sunderland (Casa – Campeonato Inglês)
4 X 1 Cardiff City (Casa – Copa da Inglaterra)
4 X 1 West Ham (Casa – Campeonato Inglês)
5 X 0 Portsmouth (Fora – Campeonato Inglês)
7 X 1 Aston Villa (Casa – Campeonato Inglês)
7 X 0 Stoke City (Casa – Campeonato Inglês)
8 X 0 Wigan (Casa – Campeonato Inglês)

Este ataque avassalador propiciou ao Chelsea não só o título, mas também a marca de melhor ataque da fase moderna do Campeonato Inglês, a Premier League, fundada na temporada 1992/1993. De lá para cá, o ataque mais positivo era do Manchester United de 1999/2000 que, liderado por Dwight York e Andy Cole, balançou as redes 97 vezes.

47 anos nenhum time conseguia ultrapassar a barreira dos 100 gols no Campeonato Inglês. A última vez que esta marca havia sido alcançada foi na temporada 1962/1963, quando o mesmo Chelsea marcou 103 vezes e o Tottenham – com 37 gols de Jimmy Greaves, atacante revelado pelo Chelsea – chegou aos 111 tentos. Vale ressaltar que nesta época o campeonato inglês era jogado por 22 clubes, o que resulta em 42 jogos. Hoje são 20 times e um total de 38 partidas. O melhor ataque de toda a história do Campeonato Inglês é o do Aston Villa da temporada 1930/1931 com 128 gols em 42 jogos.

Além do título e das marcas, a campanha do Chelsea serviu também para que se saque um rótulo de seu treinador, Carlo Ancelotti. O italiano foi sempre – na minha opinião injustamente – taxado de técnico retranqueiro. Mas com estes números fica difícil insistir na tese de que Ancelotti só se preocupa com a defesa, a campanha do time londrino fala por si só.

Outro ponto digno de nota na conquista do Chelsea, nos 6 confrontos pelo Campeonato Inglês contra os demais times do chamado Big Four (Arsenal, Liverpool e Manchester United), a equipe de Londres venceu todos e tomou apenas um gol. Bateu os Gunners por 2 X 0 em casa e por 3 X 0 fora. Contra o time da terra dos Beatles, 2 X0 em Londres e o mesmo placar em Liverpool. E contra os Red Devils triunfou por 1 X 0 no Stamford Bridge e 2 X 1 no Old Trafford.

Merecidíssima e inquestionável a conquista do Chelsea.

Imagem: The Guardian