Os dias em que eu era Sócrates

Após os jogos da Copa de 86, as crianças saíam entusiasmadas para bater uma bola no asfalto da rua Manaus, zona leste de Belo Horizonte.

Meus amigos e eu, no auge da ilusão com o futebol.

Cada um tinha seu craque preferido.

Lu, o matador, era Careca. Maurício o Galinho de Quintino e Raul, goleiro desde sempre, até no nome, era Carlos.

Eu era Sócrates…

Com a bola de plástico eu tentava repetir os calcanhares do Magrão, do Doutor.

Doutor da bola, capaz de curar qualquer amargura ou defeito da redonda.

Jogador clássico e de extrema classe que, desde os meus primeiros reparos ao futebol, me encantava.

Mais velho, descobri outras facetas brilhantes do Doutor.

A caneleira amarela que, silenciosamente, gritava por democracia! O punho cerrado que dizia não aos poderosos.

Sócrates, como o filósofo, contestador.

Em 21 de junho de 1986, naquele sábado, não houve futebol na rua Manaus.

A alegria das crianças e da bola na rua fora substituída pela tristeza cinzenta de um dilúvio.

E nós, garotos da Manaus, colamos a cara no vidro da janela esperando que a chuva passasse e que o tempo voltasse, fazendo o Brasil vencer a França no México e a bola rolar no asfalto da rua de nossas infâncias.

25 anos depois, Belo Horizonte voltou a acordar cinzenta.

O 4 de dezembro de 2011 chegou com a notícia triste da morte do Magrão.

A rua Manaus já não é a mesma. As casas aconchegantes viraram prédios enormes, frios e sem sentimento. As jabuticabeiras foram cortadas e os pés de jambo são apenas lembranças cheirosas de um bairro que praticamente não existe mais.

Eu já não tenho tamanho nem idade pra fingir de Sócrates. Já não me atrevo aos calcanhares com a bola dente de leite e os amigos daquele tempo estão cada um em um canto, todos adultos, com suas vidas e preocupações.

Mas uma coisa ainda me permito, colar a cara no vidro da janela e esperar que a chuva passe, que o tempo regresse desfazendo aquilo que não quero acreditar.

Imagem: Gazeta Press
Efeitos: Picnik

Um beija flor entre os leões indomáveis

O Giuseppe Meazza nunca mais foi o mesmo depois daquele oito de junho. Quantos derbys dellaa madonnina já passaram, quantos craques já pisaram seu gramado, quantas vezes as redes já balançaram ali, mas nunca mais como naquela mágica tarde de oito de junho.

De um lado os argentinos com toda sua tradição, classe e soberba. Envoltos no manto alviceleste, os hermanos desfilavam pálidos, lúridos, atônitos com tamanho fulgor vindo dos adversários; aqueles verdadeiros leões vestidos de verde, amarelo e vermelho que, com seu negrume, pareciam carregar todas as cores do mundo.

El pibe deoro não conseguia brilhar, era ofuscado pelas presas africanas que logo se converteriam em predadoras, destruindo em segundos a glória de dois mundiais, a história de mais de um século de futebol em terras platinas.

Aos vinte e dois minutos do segundo tempo uma falta que Makanaky desviou meio sem jeito no primeiro pau. A bola subiu, roçou as nuvens de Milão e, provavelmente, foi tocada por um dos Deuses dos estádios, quem sabe Schiavio, quem sabe Santagostino ou até mesmo Meazza.

Quando a esfera atingiu o topo de sua parábola, faltando muito pra voltar ao campo de jogo, François Omam-Biyik saltou e os argentinos o olharam com estranheza. O camisa sete esguio e desengonçado não se deteve com o assombro dos adversários e simplesmente pairou. Durante minutos ficou ali, parado sobre a cabeça de Néstor Sensini, como um beija flor. Sem se importar com o tempo nem com a distância, só esperando pacientemente a bola voltar.

E quando ela voltou bastou um leve toque de cabeça para vencer o goleiro argentino e encher de alegria as redes do San Siro. As cores da África invadiam a Itália, pintavam o mundo.

Naquela tarde de oito de junho, o verde, o amarelo e o vermelho representaram muito mais que a união do continente negro, simbolizaram o conúbio de todo universo da bola com aqueles guerreiros de ébano, com aqueles leões indomáveis.

E entre os leões, havia um beija flor.

Imagem: Kenyan List
Vídeo: Obsessional TV

Palpites pras oitavas da Champions

Hoje começam as oitavas de final da Uefa Champions League, o melhor campeonato de futebol do Mundo!

E o Ópio não vai ficar de fora dessa. Na sequência, os palpites para essa primeira fase do mata mata. Vale a lembrança, os palpites são pra quem passa de fase, não pra quem vence os jogos de ida, ok?

Tottenham X Milan

Um confronto bem interessante destas oitavas de final. Do lado do Milan, a camisa e a tradição. Do lado do Tottenham, um time mais organizado e equilibrado. À época do sorteio eu cravava que os ingleses passariam, mas confesso que Antonio Cassano pôs uma pulga atrás da minha orelha. Desde que o atacante foi contratado junto à Sampdoria, o Milan se tornou um time mais vibrante, menos blasé. E se o Tottenham tem equilíbrio, organização e o excelente Gareth Bale, o time de Milão tem Ibrahimovic em grande fase. O resultado da primeira partida, na Itália, será fundamental pra decidir esse confronto e eu acho que o Milan passa às quartas.

Schalke 04 X Valencia

Tecnicamente este é o pior confronto das oitavas. O Schalke capenga no campeonato alemão (10º colocado) e o Valencia não empolga ninguém, mas pelo menos faz um bom papel na liga espanhola, é 3º, atrás apenas da dupla Barça e Real. Se o embate entre espanhois e alemães não enche os olhos do ponto de vista técnico, pelo menos é um grande atrativo no que se refere ao equilíbrio. Confronto difícil de dar um prognóstico, mas não dar pra apostar no Schalke, dá Valencia.

Barcelona X Arsenal

O jogo dos virtuosos. Barcelona e Arsenal são os times que praticam o futebol mais vistoso do velho continente. Seus técnicos – Guardiola e Wenger – são verdadeiros estetas, querem ganhar, mas a vitória não basta, tem que ter aplausos. Na temporada passada os dois se cruzaram, deu Barça com show de Messi e o treinador do Arsenal vaticinou: Ele é um jogador de vídeo game. Eu diria mais, Messi não é um jogador de vídeo game, é um bug futebolístico, incapaz de ser parado na bola. Adoro ver o Arsenal jogar, mas enquanto do outro lado houver Messi, Xavi e Iniesta, meu voto é do Barça!

Shakhtar Donetsk X Roma

Embate bem interessante. De um lado os ucranianos do Shakhtar Donetsk com um time arrumadinho, que joga de forma organizada e sabe exatamente o que quer dentro de campo. Do outro os italianos da Roma, um dos times mais instáveis da Europa, capaz de encarar a Inter em Milão e depois tomar um chocolate do Avelino em casa. O primeiro jogo é na Itália, o que pode favorecer a Roma, mas eu aposto no Shakhtar.

Chelsea X Copenhagen

O Copenhagen foi uma boa surpresa na fase de grupos, jogou bem e conseguiu até um empate com o Barça, 1 X 1 na capital dinamarquesa. O Chelsea vive seu pior momento desde a chegada do dinheiro russo ao clube. O time não se encontra e com o crescimento dos rivais internos, se vê em risco de ficar de fora da próxima Champions – hoje ele é apenas o 5º colocado, na zona de classificação da Europa League. Mesmo assim acho que dá Chelsea.

Real Madrid X Lyon

Nas últimas 6 temporadas o Real Madrid caiu nas oitavas da Champions, cada ano com um treinador diferente. O sétimo é o aclamado José Mourinho e pelo embalo do time merengue é difícil de acreditar que o tabu resista. Do outro lado está o Lyon, responsável pela eliminação do Real na temporada passada. O time francês é organizado, equilibrado, mas sem brilho. Neste confronto existe a chance de zebra, mas acredito que o Real passe até com certa folga.

Bayern de Munique X Inter de Milão

Este é um confronto que dispensa comentários, basta dizer que na temporada passada este jogo foi a final da Champions League. A Inter vive uma fase de transição, Leonardo assumiu a equipe após o Mundial Interclubes e o time vem crescendo, embora se note alguma instabilidade. Ponto alto do escrete interista, o camaronês Samuel Eto’o que está simplesmente comendo a bola na atual temporada. O Bayern é apenas o 3º colocado na liga alemã, 13 pontos atrás do líder Borussia Dortmund. O time bávaro tem grandes problemas na defesa, mas na frente Robben e Thomas Muller se encontram em grande fase e podem fazer a diferença para os alemães. Esse confronto é de longe o mais difícil de apontar que passa e quem fica. Com tanto equilíbrio não existe prognóstico, é tudo palpite. E o meu é que os alemães se vingam da derrota na final na temporada passada.

Manchester United X Olympique de Marselha

O Olympique tem uma equipe dura de ser batida. Uma defesa sólida – mesmo com o Heinze – e um meio de campo bem pegador, na frente não conta mais com o ótimo Mamadou Niang e o ataque é o ponto fraco do time francês. E se o ataque deles é o problema, a defesa do Manchester é a solução. Ferdinand e Vidic formam o melhor miolo de zaga do mundo e mesmo sem um deles, o substituto Chris Smalling já mostrou que dá conta do recado! Sem falar que é o Manchester do Alex Ferguson. O time inglês é favorito absoluto no confronto.

Imagem: Living The Dreams

Barcelona 5 X 0 São Cristóvão

Se Garrincha estivesse vivo e assistindo a partida de ontem entre Barcelona e Real Madrid certamente soltaria uma do tipo:

Ué, o São Crsitóvão está em excursão pela Europa?

E pela superioridade apresentada pelo Barça, ninguém poderia condenar o anjo das pernas tortas.

Que saudades do Eto’o

Ontem, a Inter de Milão, jogando em casa, bateu o Barcelona por 3 X 1 e deu um grande passo para chegar à final Champions, algo que não consegue desde 1972, quando os italianos foram derrotados por 2 X0 pelo histórico time do Ajax (Holanda), tri campeão europeu em 71, 72 e 73.

Mas o que mais doeu ontem não foi a derrota, foi ver Samuel Eto’o esbanjando vontade e categoria pelo lado interista.

Eu sei que Milito fez um gol e deu duas assistências, que Sneijder marcou um e deu o passe para o outro e que Thiago Motta roubou duas bolas que resultaram em tentos para os italianos. Eu sei disto tudo, mas mesmo assim, pra mim, o homem do jogo foi Samuel Eto’o.

Ele não fez gol e não deu assistência, pelo menos não diretamente, mas jogou demais!

Do pé do camaronês saiu o passe para Milito rolar pra Sneijder empatar a partida. E do pé dele saiu o cruzamento para a cabeçada de Sneijder que resultou no gol impedido de Diego Milito. Sem falar que no segundo gol, quem puxou toda a defesa para Maicon entrar livre e marcar foi Eto’o.

O ex centroavante do Barça – que tem 2 títulos de Champions com o time catalão, e marcando nas duas finais – ainda ajudou muito na marcação, combatendo os avanços de Maxwell e Keita pelo lado direito da defesa italiana.

Eto’o vem mostrando que além muito talento, também é capaz de jogar taticamente em função do time, um jogador completo.

E vem fazendo falta ao Barça. Embora Ibra também seja um craque, o futebol de Samuel Eto’o casa muito melhor com o estilo de jogo do time catalão. Ibra joga muito, mas Eto’o também. E o camaronês tem um futebol mais leve, mais fluente, muito mais condizente com o estilo barcelonista.

E confesso, ontem deu saudades…

Imagem: OleOle

Adjetivando o substantivo

Não se trata de aula de gramática, o assunto é futebol, mais precisamente Lionel Messi.

Há quase 4 meses eu não escrevia no Ópio, mas hoje não pude me calar, não depois do que vi o argentino fazer no Camp Nou.

4 gols que o igualam a Rivaldo, maior artilheiro azul e grená em competições européias. 4 gols que o tornaram o 8º maior artilheiro em jogos oficiais de toda história do Barça, deixando pra trás duas lendas, o búlgaro Hristo Stoichkov e o catalão Josep Escolá, mito dos anos 30 e 40 do século passado.

Aqui no Ópio já chamei Messi de gênio, craque, monstro e até Deus um dia ousei. Mas confesso que hoje me faltam palavras, me faltam adjetivos.

Os adjetivos não se enquadram mais a Messi, não há o que dizer. Somente o som cru das palmas se chocando, do coração palpitando a cada drible, a cada passe, a cada gol.

Messi não pode mais ser chamado de craque, de gênio, de monstro. Como seus compatriotas Piazzolla, Borges e Cortázar, ele extrapolou… tornou-se maior que sua própria arte, maior que qualquer adjetivo.

Messi é o melhor, é simplesmente Messi.

Caricatura: André Fidusi

A Copa opiácea

Com o sorteio dos grupos para a Copa do Mundo da África do Sul já pipocaram previsões e simulações sobre o mundial na imprensa.

Pra não ficar de fora, aí vai a Copa do Ópio.

Grupo A

África do Sul 1 X 1 México
Uruguai 0 X 0 França
África do Sul 2 X 2 Uruguai
México 0 X 1 França
África do Sul 1 X 3 França
México 2 X 2 Uruguai

Classificação: 1º) França 7 – 2º) Uruguai 3 – 3º) México 2 – 4º) África do Sul 2

Grupo B

Argentina 1 X 2 Nigéria
Coréia do Sul 1 X 2 Grécia
Argentina 3 X 1 Coréia do Sul
Nigéria 0 X 0 Grécia
Argentina 0 X 0 Grécia
Coréia do Sul 1 X 3 Nigéria

Classificação: 1º) Nigéria 7 – 2º) Grécia 5 – 3º) Argentina 4 – 4º) Coréia do Sul 0

Grupo C

Inglaterra 3 X 0 Estados Unidos
Argélia 0 X 1 Eslovênia
Inglaterra 2 X 0 Argélia
Estados Unidos 3 X 2 Eslovênia
Inglaterra 1 X 0 Eslovênia
Estados Unidos 2 X 1 Argélia

Classificação: 1º) Inglaterra 9 – 2º) Estados Unidos 6 – 3º) Eslovênia 3 – 4º) Argélia 0

Grupo D

Alemanha 3 X 1 Austrália
Sérvia 2 X 4 Gana
Alemanha 1 X 1 Sérvia
Gana 2 X 1 Austrália
Gana 2 X 2 Alemanha
Sérvia 4 X 1 Austrália

Classificação: 1º) Gana 7 – 2º) Alemanha 5 – 3º) Sérvia 4 – 4º) Austrália 0

Grupo E

Holanda 2 X 3 Dinamarca
Japão 0 X 2 Camarões
Holanda 4 X 1 Japão
Camarões 1 X 3 Dinamarca
Dinamarca 2 X 1 Japão
Camarões 1 X 3 Holanda

Classificação: 1º) Dinamarca 9 – 2º) Holanda 6 – 3º) Camarões 3 – 4º) Japão 0

Grupo F

Itália 0 X 0 Paraguai
Nova Zelândia 0 X 4 Eslováquia
Eslováquia 1 X 1 Paraguai
Itália 5 X 0 Nova Zelândia
Eslováquia 1 X 1 Itália
Paraguai 3 X 0 Nova Zelândia

Classificação: 1º) Itália 5 – 2º) Eslováquia 4 – 3º) Paraguai 5 – 4º) Nova Zelândia 0

Grupo G

Brasil 3 X 0 Coréia do Norte
Costa do Marfim 2 X 1 Portugal
Brasil 2 X 1 Costa do Marfim
Portugal 1 X 1 Coréia do Norte
Costa do Marfim 4 X 2 Coréia do Norte
Brasil 0 X 0 Portugal

Classificação: 1º) Brasil 7 – 2º) Costa do Marfim 6 – 3º) Portugal 2 – 4º) Coréia do Norte 1

Grupo H

Honduras 1 X 3 Chile
Espanha 1 X 0 Suiça
Chile 1 X 2 Suiça
Espanha 6 X  1 Honduras
Chile 1 x 3 Espanha
Suiça 2 X 0 Honduras

Classificação: 1º) Espanha 9 – 2º) Suiça 6 – 3º) Chile 3 – 4º) Honduras 0

Oitavas de Final

França 0 X 0 Grécia – Prorrogação 0 X 0  – França passa nos pênaltis
Inglaterra 2 X 1 Alemanha
Dinamarca 2 X 2 Eslováquia – Prorrogação dá Dinamarca 1 X 0
Brasil 2 X 0 Suiça
Nigéria 3 X 1 Uruguai
Gana 2 X 0 Estados Unidos
Itália 2 X 0 Holanda
Espanha 3 X 2 Costa do Marfim

Quartas de Final

França 0 X 0 Inglaterra – Prorrogação Inglaterra 2 X 1
Dinamarca 2 X 4 Brasil
Nigéria 2 X 2 Gana – Prorrogação 0 X 0 – Gana passa nos pênaltis
Itália 1 X 3 Espanha

Semifinais

Inglaterra 1 X 0 Brasil
Gana 2 X 4 Espanha

Disputa de 3º Lugar

Brasil 5 X 3 Gana

Final

Inglaterra 2 X 0 Espanha

Imagens: FifaBlog do Edu Lima