11 contra 11

Não tenho muito o que escolher, alguém entra no lugar dele, jogaremos com 11.

A frase, um tanto irônica, foi proferida por Josep Guardiola, treinador do Barcelona, na entrevista coletiva desta terça, 26 de abril, antes do clássico contra o Real Madrid.

Sem seus 3 laterais esquerdos – Abidal, Adriano e Maxwell – Guardiola ganhou mais um desfalque nesta terça, o meia Andrés Iniesta que sofreu uma contratura na panturrilha direita e está fora do jogo no Bernabéu.

Seydou Keita deve entrar no lugar de Iniesta.

Já na defesa o problema é mais complicado e Guardiola terá que improvisar. O mais provável é que Mascherano apareça no miolo de zaga com Puyol sendo deslocado para a lateral esquerda.

Imagem: tpower1978

Barcelona 5 X 0 São Cristóvão

Se Garrincha estivesse vivo e assistindo a partida de ontem entre Barcelona e Real Madrid certamente soltaria uma do tipo:

Ué, o São Crsitóvão está em excursão pela Europa?

E pela superioridade apresentada pelo Barça, ninguém poderia condenar o anjo das pernas tortas.

Cala a boca Robinho!

Não tive nenhum problema com o Roberto Mancini. O que acontece é que o futebol inglês não é muito bom pra jogador brasileiro, muito bola alta e a gente gosta de jogar com ela no chão.

A frase acima foi dita por Robinho em sua apresentação no Milan, seu novo clube.

Que o jogador foi pra Inglaterra a passeio, isto todo mundo já sabia! Mas eu pensava que ele pelo menos aproveitaria sua estada na terra da rainha para acompanhar o melhor torneio nacional de futebol do mundo, a Premier League.

Mas não. Se Robinho viu algum futebol na Inglaterra foi em algum especial da BBC sobre a modalidade nos anos 60 e 70. Nesta época realmente o futebol inglês vivia única e exclusivamente dos chuveirinhos. Hoje, somente times como o Bolton, o Wigan e os demais pequenos é se utilizam deste recurso.

Na elite isto é passado. A turma do Big Four (Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool) mais o Tottenham e o Manchester City – aspirantes a grandes – só jogam com a bola no chão. Mais especificamente nos casos de United, Chelsea e Arsenal, estes clubes figuram entre os que jogam o futebol mais bonito do mundo; muita posse de bola, agressividade, intensidade e toques de pé em pé. O Arsenal então – do técnico francês Arsène Wenger – nem se fala, no dia em que o jogo encaixa é mais vistoso que o Barça!

Então das duas uma: Ou Robinho viu muito pouco da Premier League em seu tempo de City ou esta foi só mais uma desculpinha pelo péssimo futebol apresentado no clube inglês.

Independente de qual seja, tá mal o cara das pedaladas.

Imagem: Folha do Mato Grosso do Sul

Verdade absoluta!

No Barcelona, Ronaldinho Gaúcho jogou futebol de Pelé.

A frase acima foi dita pelo comentarista Marco Antônio Rodrigues, no Arena SporTV desta quinta, 26 de agosto.

Eu assino embaixo e ponto final.

Brasil: Segunda divisão do futebol mundial

Vamos ser sinceros, se ele estivesse 100% em forma não estaria jogando no Brasil.

A sintomática frase foi dita por Andrés Sánchez, presidente do Corinthians, em entrevista ao repórter Mauro Naves, exibida no Arena SporTV desta terça, 17 de agosto.

A pérola foi proferida em resposta à pergunta sobre a condição física de Ronaldo, há cem dias afastado dos campos.

Eu não sou nem um pouco fã do presidente do Timão – acho um cara arrogante, despreparado e populista ao extremo – mas a frase é bem verdadeira.

E como disse pouco acima, sintomática. Com certeza absoluta se Ronaldo estivesse em forma, não digo nem na plenitude, mas em forma física aceitável, apto para a prática esportiva, seguramente não estaria jogando no Brasil.

Alguns teimam em negar, mas quando o assunto é clube o Brasil habita a segunda ou quiçá a terceira divisão do futebol mundial. Quem acompanha os principais campeonatos europeus sabe do que estou falando, a diferença de intensidade e qualidade das partidas é nítida.

Então nos resta o consolo de desfrutarmos os futuros craques em formação – vide a molecada do Santos – ou gozarmos da melancólica presença de estrelas decadentes e, em alguns casos, até barrigudas.

A democracia alemã

Agora a hierarquia é diferente. Dividimos as responsabilidades, vivemos uma democracia. E democracia no futebol é o que faz o time dar certo.

A frase é de Arne Frederich, zagueiro e eventualmente lateral da Seleção Alemã e do Hertha Berlim.

O tema mais abordado na coletiva alemã de ontem, 8 de junho, foi o corte do capitão Michael Ballack.

Não sei se na Alemanha as coisas são como em Minas, mas se lá para o bom entendedor o pingo também soa como letra, então dá pra falar que o grupo de jogadores da Seleção Alemã não ficou nada descontente com o corte de Ballack.

Imagem: Federação Alemã de Futebol

Messi quer Fabregas no Arsenal… E quem não quer?

O Arsenal sempre terá lugar em seu coração, mas ele leva o Barça em seu sangue.

A frase diz respeito ao espanhol Cèsc Fabregas, jogador do Arsenal da Inglaterra. E foi proferida pelo melhor jogador de futebol da atualidade, o argentino Lionel Messi.

Fabregas é o grande sonho do Barcelona e quase uma questão de honra para o presidente Joan Laporta, já que foi no primeiro ano de seu mandato que o jogador deixou o clube. O meia chegou ao azul e grená aos 13 anos, vindo do pequeno Mataró, também da Catalunha. Mas aos 16 foi para o Arsenal em uma transação até hoje reclamada pelo Barça.

há 3 temporadas que o Barcelona tenta repatriar Fabregas e no último semestre os boatos se intensificaram ainda mais. Laporta, Guardiola e jogadores do elenco catalão estão sempre dando declarações públicas de como Fabregas seria bem vindo no Camp Nou. Esta semana até o técnico do Arsenal, Arsène Wenger, falou sobre o tema, incomodado pelas notícias da possível transferência.

Fabregas é craque! Um jogador clássico, sempre de cabeça em pé, lúcido como Xavi e Iniesta. Não é só Messi, Guardiola ou Laporta que querem vê-lo no meio de campo azul e grená. Eu também quero!

Aliás, todos que primam pelo bom futebol, pela bola bem jogada no ápice de sua beleza, gostariam de ver Fabregas no Barça. Todos, menos os torcedores do Real Madrid e do Espanyol.

Piqué ao lado do goleiro e Fabregas é o primeiro agachado da esquera para a direita.

Imagem: Joga Bonito Mundo

O maior na altura

O maior sou eu… pelo menos na altura.

A declaração é do português Cristiano Ronaldo quando perguntado quem era maior, ele ou Messi.

A frase foi cunhada da coletiva do Real nesta sexta, véspera do super clássico.

Ronaldo despejou elogios ao pequeno argentino e ao fim da coletiva, quando um repórter inglês perguntou Ronaldo ou Messi, ele não titubeou: Ambos.

Concordo demais com o português!

Abaixo, o trecho final da coletiva.

Canal do Youtube: ASslb4ever

Mais um ponto para Adriano!

Na última quinta feira o atacante Adriano foi um dos escolhidos para a coletiva após o treino do Flamengo. E fora de campo o Imperador ganhou mais pontos, pelo menos comigo.

Pela primeira vez Adriano falou abertamente sobre depressão e alcoolismo.

Até então, a imprensa e ele prórpio só se utilizavam da expressão problemas para se referir aos acontecidos que tiraram o centroavante de Milão e o levaram até a Gávea.

Na semana em que o futebol foi surpreendido e estarrecido pelo suicídio do goleiro Robert Enke, acho que o tocar nas feridas só pode ser positivo para o mundo da bola.

Ponto para Adriano que parece bem recuperado! Fora de campo não tem criado problemas e dentro das quatro linhas vem jogando muito, pra mim o grande jogador deste campeonato brasileiro.

PS: Não encontrei o vídeo separado do Adriano comentando a depressão e o alcoolismo, então coloquei esse aí do Esporte Espetacular – meio piegas, claro – que conta com parte da coletiva do Flamengo quando o Imperador falou abertamente sobre os temas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Quem diria???

Não adianta discutir por etapa. Quer discutir? Vamos discutir calendário; implementação do calendário europeu, vamos analisar o horário dos jogos. Estamos fazendo testes na Série B com excelentes resultados. Quem sabe a gente não modifica o horário dos jogos? Pelo menos no meio de semana tem de ser estudado. Se vamos discutir, vamos discutir o todo. Os argumentos que usam contra os pontos corridos, dou 80 mil argumentos a favor. Estamos com 290 jogos, público médio de 17 mil pessoas – isso é média de Campeonato Francês -, com tendência de crescer mais ainda. Como presidente da CBF não posso só ficar preocupado com índice de TV. Tenho de ficar preocupado com o torcedor no estádio também. Não adianta fazer jogo para estádio vazio.

ricardo_teixeira-pensativo-cbf

A frase é – pasmem – de Ricardo Teixeira, presidente quase eterno da CBF (só vinte aninhos no cargo) em entrevista aos jornalistas Almir Leite e Sílvio Barsetti do Estadão. Desde 89 no poder, é a primeira vez que o manda chuva do futebol brasileiro encara de frente os donos do poder no país, a toda poderosa Rede Globo que vem trabalhando nos bastidores pela volta do mata mata ao brasileirão.

Quem acompanha o blog sabe que sou um contumaz crítico do presidente da CBF, mas que agora merece palmas, merece!

Dizem que a verdade no futebol não dura 24 horas, mas enquanto Ricardo Teixeira mantiver esta postura a favor dos pontos corridos e do torcedor brasileiro eu mantenho meus aplausos.

Imagem: FS Notícias

A soneca de Carlos Bianchi

O treinador está dormindo uma sesta…

carlos_bianchi-Boca_Juniors

A frase é de Carlos Bianchi que, atualmente, ocupa o cargo de gerente de futebol do Boca Juniors, equipe pela qual faturou 3 libertadores, 2 mundiais e 4 campeonatos argentinos como treinador.

A crise no clube xeneize tem gerado muitas especulações sobre a volta de Bianchi ao cargo de técnico. Na coletiva de ontem ele foi perguntado se o treinador dentro dele havia morrido.

E soltou esta pérola.

Imagem: Siga Siga – El Deporte de Cerca

A sabedorias dos loucos

el _loco_bielsa-de_córcoras-marcelo_bielsaConfiança é sinal de relaxamento. Prefiro o medo, que nos faz ficar atentos. Digo isto porque sou um especialista em fracassos e sei que, quando terminam os êxitos, as adesões à você acabam também.

A frase é do treinador da seleção chilena de futebol, Marcelo Bielsa. El Loco, como é conhecido, é uma das figuras mais interessantes do futebol. Competente e inovador, é um obcecado pelo que faz, daí o apelido.

Estudioso das táticas do futebol, Bielsa é muitas vezes incompreendido e seus críticos dizem que ele gosta de inventar. Eu não concordo, acho Bielsa uma dos 3 grandes técnicos argentinos da atualidade, juntamente com Carlos Bianchi – que hoje é uma espécie de gerente do Boca – e Gerardo Martino, El Tata, treinador da seleção paraguaia.

Os jornalistas contam que durante a Copa de 2002 era normal encontrar, nas altas horas da noite, o bestial treinador no gramado do centro de treinamento da Argentina. Questionado o porquê das voltas pelo campo nas madrugadas, Bielsa disse que pensava o jogo.

Mas que Bielsa é realmente diferente, disto não há dúvida. Sua carreira como jogador durou apenas 5 anos e sua maior glória com a bola nos pés foi ser eleito um dos zagueiros da seleção ideal do Pré Olímpico de Recife, em 1976.

Seu grande título veio já como treinador, o ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, comandando a seleção argentina que, dentro de campo, era liderada por Carlitos Tévez.

Outro grande mérito do Louco Bielsa é sua postura combativa ao ex presidente do Newell’s Old Boys, Eduardo López, espécie de Eurico Miranda dos Leprosos, como são conhecidos os seguidores do time rosarino. Bielsa foi um dos pilares da oposição à López e sua carta aberta à opinião pública em dezembro do ano passado foi fundamental para a derrota da situação nas últimas eleiçoes do Newell’s.

Abaixo, a tradução da carta aberta do Bielsa:

Dirigida à Opinião Pública – Marcelo Bielsa

Sempre pensei que pela minha condição de treinador profissional, deveria evitar opinar sobre a política interna dos clubes de futebol. Sem embargo, nesta oportunidade, sabendo que o que aconteça no próximo 14 de dezembro terá consequências definitivas sobre o futuro do Newell’s Old Boys – e não posso esquecer tudo que este clube me deu – resulta-me indispensável fazer uma referência pública relacionada com a vida democrática desta instituição.

Como é natural, aqueles que tem como parte de seu capital efetivo o amor pelas cores de um clube, querem ter a possibilidade de eleger aqueles que vão conduzir o alvo de seu amor. Além disto, sabem que este é o melhor recurso para evitar que os bens de todos terminem sendo propriedade de alguns poucos.

Não é meu objetivo qualificar a gestão daqueles que conduziram o Newell’s durante os últimos 14 anos. O modo como foi exercido o poder durante tanto tempo, oferece a todos argumentos argumentos suficientes para julgar a maneira como estes dirigentes atuaram.

Sim exerço, através desta nota, o compromisso pessoal de apoiar as justas reclamações que vêm sendo colocadas sob a luz dos direitos democráticos. A atual condução do clube, habituada a burlar a lei no lugar de cumpri-la, provoca irregularidades que limitam a participação do corpo societário ao invés de propiciá-la, afetando deste modo a transparência das próximas eleições. Como resposta, amplia-se cada vez mais o compromisso popular na busca por mudanças. Não se trata aqui de oposição partidária, mas de que se estabeleça uma agenda ética e moral.

O espírito da lei sempre oferece uma forma de evitar as injustiças que eventualmente possam derivar-se de seu emprego. Por este espírito é difícil compreender porque as autoridades proclamam as razões legais que dificultam a expressão de mais de 20 mil associados, mas não ativam as causas que deveriam impedir que o atual presidente possa ser, mais uma vez, reeleito. Quem, ao apagar das luzes, instrumentou e permitiu esta espécide de defraudação autorizada? Eles têm a obrigação de explicar a quem defendem e por que o fazem.

Todos nós deveríamos entender que, qualquer tentativa para recuperar o melhor da história do Newell’s, começa por lograr que suas próximas autoridades sejam legítimas.

Participar massivamente e de maneira civilizada do ato eleitoral no próximo domingo, esta é a melhor forma enfrentarmos a impunidade. Seguramente, o resto da sociedade aprovará esta forma de atuar.

Imagem: Cancha Llena

Amor e ódio

Os argentinos odeiam amar os brasileiros. Já os brasileiros amam odiar os argentinos.

brasil_argentina-ódio_e_amor

Já vi muita gente assumindo a paternidade desta frase, o que não me assusta já que atualmente andam aparecendo pais de tudo, até o Jason do Sexta Feira 13 tem jornalista marqueteiro que diz que inventou.

Mas a frase que resume com excelência a relação que geralmente se estabelece entre brasileiros e argentinos é do sociólogo Ronaldo Helal, pesquisador da UERJ muito interessado e atento à área esportiva, comunicacional e aos assuntos da Bacia do Prata.

E pra mim – embora eu não me sinta parte dos que amam odiá-losa frase do Helal é a mais pura verdade!

Pra quem não conhece nada  do trabalho do professor Helal sugiro o excelente livro A Invenção do País do Futebol obra realizada conjuntamente com Antônio Jorge Soares e Hugo Lovisolo.

Imagem: Religião Urbana

Parabéns ao cartola!

robert_plant-led_zeppelin

Robert-Plant-wolvesHoje Robert Plant, ex vocalista da mítica banda Led Zeppelin, completa 61 anos. E aí você se pergunta, o que é que ele faz no Ópio? E alguns ainda responderão que é mais uma loucura do Comedor de Ópio.

Nada disto, Plant está mais ligado ao futebol do que muitos imaginam. Ele é o mais novo vice presidente do Wolverhampton Wanderers, clube da primeira divisão inglesa.

Plant é torcedor fanático dos Wolves, daqueles que vão ao estádio toda semana. Na década de 70 já havia sido convidado para compor o a diretoria dos auri negros de Wolverhampton.

Nos anos de loucura, os 70, Plant negou o convite. Mas agora, já sexagenário, mudou de idéia e resolveu aceitar o cargo de vice presidente, embora com algum constrangimento. Em seu discurso de posse declarou:

Antes de tudo estou lisonjeado, é uma honra poder fazer parte da diretoria deste clube que amo. Mas honestamente, sinto-me um pouco constrangido, envergonhado. Sei que existem muitas pessoas mais importantes e relevantes para os Wolves que eu.

robert_plant-molineux_stadiumApesar de agora estar do lado da cartolagem, Plant também garantiu em sua posse que não trocará seu carnê dos jogos no Molineux Stadium pelos confortáveis assentos da diretoria do clube.

Sou um torcedor como qualquer outro e semana após semana continuarei me acotovelando com os outros milhares de desequilibrados nas intermináveis filas do Molineux. Agora sou vice presidente, mas antes de tudo sou um torcedor dos Wolves!

Imagens: Ingrediente Secreto, Four Four Two e Express and Star

Questão de feeling

Josep-Guardiola-feelingsSem ele não teríamos alcançado tudo que conquistamos na temporada passada. Não existem motivos futebolísticos, pessoais nem comportamentais. Simplesmente, é uma questão de feeling, é assim que eu sinto. Creio que temos que mudar algumas coisas. Talvez eu esteja errado, mas a responsabilidade é minha. Assim como a decisão.

Samuel_Etoo e filhoJosep Guardiola,  técnico do Barcelona,  ao explicar – em sua primeira coletiva da temporada – porque não pretende contar com o futebol de Samuel Eto’o, autor de um dos gols na final da Champions 08/09.

Segundo o treinador é tudo uma questão de feeling, simples assim.

Eu sinceramente não estava entendendo os motivos do Barça rifar o excelente centroavante camaronês.

Vale lembrar que Eto’o participou de 2 dos 3 títulos europeus da história do Barça, e fez gols nas finais das duas conquistas em que esteve presente. Um jogador de talento e muita história no clube.

Continuo sem entender muito bem, mas contra o argumento do feeling não há o que retrucar. Se Pepe Guardiola sente que é hora de mudar, quem sou eu pra questionar…

Imagem: Bojan Krkic e Football Pictures