Meu Brasil X Minha Argentina

Dizem que no Brasil somos 170 milhões de técnicos de futebol.

E também dizem que cada brasileiro tem sua própria seleção, aquela que não perderia pra ninguém.

Eu tenho o meu escrete. Aliás, tenho vários. Um pra cada dia.

Então aí vai Meu Brasil e Minha Argentinade hoje.

Brasil (4-1-4-1)
meubrasil03-09-09-2

Argentina (4-4-2)
minha_argentina-03_09_09-seleção_argentina

Imagem do Estrelão: Submarino
Anúncios

Melhor Ataque do Mundo

Aí vai a lista dos 15 melhores ataques do futebol mundial na atualidade. 

Quem me conhece sabe da admiração que tenho pela obra prima do austríaco Robert Musil e de como me identifico com Ulrich, o homem sem qualidades, principalmente no que tange ao senso comum de realidade em contraposição ao  adorável senso, nada comum, de possibilidade.

O parágrafo acima é só pra explicar que as linhas ofensivas citadas na lista não são necessariamente ataques reais. Alguns deles pouco, ou até mesmo nunca, atuaram juntos. Mas são ataque possíveis, formados por jogadores do mesmo clube ou da mesma nacionalidade.

barcelona messi eto'o henrymanchester united cristiano ronaldo rooney tevezargentina messi tevez aguerobrasil luis fabiano alexandre patointernazionale ibrahimovic ibra zlatanitalia totti toni del pierojuventus del piero amaurifrança anelka henrysevilha luis fabiano kanouteespanha david villa fernando torreschelsea drogba anelkaarsenal van persie adebayorroma vucinic tottiatletico madrid forlan agueroholanda robben huntelaar van persie

Reconciliação

Este foi o primeiro gol de Messi sob o comando de Diego Maradona. A narração é do histórico e folclório Victor Hugo Morales, o mesmo que narrou com puro sentimento de pós guerra os gols de Diego contra a Inglaterra, na copa do México em 86.

No primeiro gol Morales diz, em um tom carregado de satisfação, que a Argentina vence por 1X0, com um gol de mão, o que querem que eu diga?

No segundo, o emocionado narrador chega a agradecer a Deus pelo futebol, por Maradona. E inocentemente chama o craque de barrilzinho cósmico.

Não escondo de ninguém o quanto torço para que a aventura maradoniana na alviceleste dê certo. Neste blog mesmo já manifestei meu desejo, afinal, é o melhor jogador que minha geração viu jogar, os brasileirinhos aceitando ou não. Mas vai além da vontade, sigo afirmando que existem alguns argumentos pra lá de plausíveis de que a experiência pode render bons frutos.

Diego é o único capaz de fazer os argentinos perderem sua conhecida soberba. A arrogância que talvez explique tão poucas copas na prateleira mesmo com tantos craques desfilando pelos campos do mundo ao longo destes quase 80 anos de mundiais.

Com Maradona no comando os jogadores, outrora tão blazés, tão pedantes, se jogam de cabeça nos pés dos adversários, suam sangue, deixam tudo

O 10 foi contratado pra recuperar a mística da azul e branca. Pra recuperar o prestígio e o respeito de uma das escolas mais importantes do futebol mundial. E pra ensinar à nova safra que no futebol também é possível se jogar por uma causa.

O jogo contra a França não valia copa do mundo, não valia nada, era simplesmente um amistoso. Mas o time argentino jogou como se fosse uma final. Final de copa, de champions, de campeonato de pelada na Villa Fiorito.

E se a vitória não rendeu taça nem ao menos 3 pontinhos, valeu pelo menos para o treinador. A estréia foi contra a fraquíssima Escócia, então a França era o batismo de verdade. Quem sabe agora as chacotas não cessam?  

Independente das piadas, a verdade é que qualquer time que tenha um ataque com Messi, Aguero e Tévez deve ser respeitado, e muito. É um trio de dar inveja aos grandes esquadrões do futebol mundial, ao Manchester, ao Barça, à qualquer seleção, até a nossa. Ou você não gostaria que os 3 fossem brasileiros?

Hoje vi França X Argentina torcendo de verdade. Torcendo como se fosse um jogo do Galo, torcendo bem mais que torci na terça. Foi a primeira vez, depois que voltei ao Brasil, que me permiti torcer pela Argentina.  Quando lá estava isto era impossível.

Mas hoje, passado mais de um ano do meu regresso, permito-me reatar esta pequena parte, adormecida em meio às lágrimas vertidas na bacia platina. Sem sentimentos piegas, sem eximir minhas divergências ao sonho europeu que vive Buenos Aires, sem esquecer minhas reticências sobre a pseudo politização de seu povo, sobre a falsa roupagem de cultura que esconde a verdadeira cara argentina, a cara de Carlitos, a cara do povo.

Ainda com todos estes poréns, hoje me reconciliei com um dos meus amores mais antigos, o futebol argentino. O mesmo futebol que me encantou na vitória de 86 e na derrota de 94. O futebol que me apresentou os compassos descontrolados de Piazzola, as narrativas fantásticas de Cortázar, os olhos arregalados e assustados de Spilimbergo. A classe imperturbável de Redondo, a genialidade delirante de Maradona.

O futebol argentino que eu nego, ou melhor, que nos últimos 3 anos tanto neguei, mas que hoje eu confesso… o futebol que voltei a amar.

Só Kaká entre os melhores

A Fifa anunciou os 23 jogadores que ainda concorrem ao prêmio de Melhor Jogador do Mundo em 2008.

Desta lista sairão os 3 finalistas que serão premiados em Zurique, em janeiro do ano que vem.

Kaká, atual vencedor, é o único brasileiro entre os 23.

O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi são os grandes favoritos ao prêmio este ano.

Mas o sueco Zlatan Ibrahimovic e os ingleses Frank Lampard e Steven Gerrard correm por fora.

QUEM VOTA?

Capitães e treinadores das seleções nacionais filiadas à Fifa.

QUEM SÃO OS 23 INDICADOS?

Adebayor (Togo) – Aguero (Argentina) – Arshavin (Rússia) – Ballack (Alemanha) – Buffon (Itália) – Casillas (Espanha) – Cristiano Ronaldo (Portugal) – Deco (Portugal) – Drogba (Costa do Marfim) – Eto´o (Camarões) – Fabregas (Espanha) – Fernando Torres (Espanha) – Gerrard (Inglaterra) – Ibrahimovic (Suécia) – Iniesta (Espanha) – Kaká (Brasil) – Lampard (Inglaterra) – Messi (Argentina) – Nilsteroy (Holanda) – Ribéry (França) – Terry (Inglaterra) – Villa (Espanha) – Xavi (Espanha)

ONDE E QUANDO SAI O RESULTADO?

12 Janeiro de 2009, em Zurique, Suiça.

UEFA Interdita Vicente Calderón

 

Torcedor do Marseille ferido no Calderón

Torcedor do Marseille ferido no Calderón

A UEFA anunciou nesta segunda, dia 12, a interdição do estádio Vicente Calderón, do Atlético de Madrid.

 

O time da capital espanhola não poderá jogar em sua casa nas duas próximas partidas organizadas pela entidade.

Contra Liverpool e PSV Eindhoven, o time de Aguero e Forlan terá que jogar a pelo menos 300 KM de Madrid.

A punição foi imposta devido aos incidentes no jogo contra o Olympique de Marseille, válido pela segunda rodada da fase de grupos da Champions.

O Calderón poderá ser interditado por uma terceira partida, caso seja registrada alguma ocorrência no estádio nos próximos 5 anos.

Além da perda do mando de campo o clube espanhol foi multado em 150 mil Euros. O Atlético tem até sexta feira, 17 de outubro, para recorrer.

18 Minutos de Magia

Festa Catalã

Festa Catalã

Foram 18 minutos de magia no Camp Nou.

Há muito tempo o Barcelona não jogava tanto. Há muito tempo ninguém jogava tanto.

Quem esperava o embate entre Messi e Aguero teve que assistir ao rolo compressor azul e grená.

Só foram precisos 18 minutos para definir a partida… e como foram bons estes minutos.

5 gols, 4 do Barcelona.

E o Atlético esfacelado em campo.

Placar final

Barcelona 6 X 1 Atlético de Madrid.

E a torcida catalã reconciliada com o time.

O Mais Esperto

Nesta semana muito se discutiu quem seria melhor,

Leo Messi ou Kun Aguero?

Confesso que não sei responder, os dois me agradam… e muito.

Messi pelos dribles, Aguero pela forma como define.

Se a partida Barcelona 6 X 1 Atlético de Madrid não pôs fim à discussão de quem é melhor,

pelo menos deixou claro qual dos dois é o mais esperto…