A boa lista do Mano

Mano Menezes fez sua primeira convocação à frente da Seleção Brasileira. E surpreendeu, pelo menos àqueles que esperavam uma lista com Dentinho, Chicão, Elias e Roberto Carlos, todos atletas do Corinthians. O único jogador do Timão na convocação foi o volante Jucilei, o que me pareceu uma boa surpresa.

O time que encabeçou a lista foi o Santos com 4 jogadores, Robinho, Neymar, Ganso e André. O volante Arouca foi a ausência santista mais sentida. Pelo menos eu queria vê-lo vestindo a amarelinha.

Já que a palavra de ordem é renovar, dos 24 convocados 7 têm idade olímpica. Pato (Milan), Ganso (Santos) e Rafael (Manchester United) com 20 anos, Neymar (Santos) com 18, Sandro (Internacional) com 21, André (Santos) e o goleiro Renan (Avaí) com 19. Sangue novo na seleção que tem média de idade de 23,1 anos.

De forma geral gostei muito da convocação. Algumas lembranças são bem interessantes, como o zagueiro David Luiz (Benfica), o volante Jucilei (Corinthians), o lateral Rafael (Manchester United) e o jovem goleiro Renan (Avaí). Os retornos de Lucas (Liverpool), Pato (Milan), Hernanes (São Paulo) e Marcelo (Real Madrid) são excelentes, estes jogadores nunca deveriam ter sido afastados da seleção e, ao meu entender, deveriam ter ido à África do Sul. A esperada convocação de Paulo Henrique Ganso (Santos) também foi outro ponto positivo da lista do Mano. Quando leu o nome do meia paraense, o novo técnico da Seleção até soltou um sorrisinho maroto, como quem dissesse esse é o cara!

De negativo poucos nomes. Eu particularmente não gosto dos laterais Daniel Alves (Barcelona) e André Santos (Fenerbahçe), embora entenda a convocação dos dois. Na minha lista também não estariam os zagueiros Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo), acho que temos muitos zagueiros na frente deles, por exemplo Alex Silva (São Paulo), Miranda (São Paulo) e Leonardo Silva (Cruzeiro). Agora o que não entendi mesmo foi a convocação do goleiro Jéfferson (Botafogo) e do meia Éderson (Lyon). Jéfferson é bem fraquinho, inconstante, e até hoje não aprendeu a pegar falta. Já Éderson nunca se firmou no Lyon e nem mesmo no Fenerbahçe, não o vejo com bola suficiente pra vestir a camisa da seleção.

Outra coisa que vale ressaltar é a qualidade dos volantes, algo tão essencial no futebol moderno onde atacantes e meias não têm espaço e tempo nem para pensar. Hoje os volantes ganharam grande importância, sendo quase sempre os responsáveis pela organização do jogo. Mano só chamou volantes que sabem jogar. Ramires (Benfica), Lucas (Liverpool), Sandro (Internacional), Jucilei (Corinthians) e Hernanes (São Paulo) marcam, mas também gostam da bola e saem muito bem para o jogo.

Dia 10 de agosto este grupo entra em campo no amistoso contra o Estados Unidos, em Nova Jersey. Será o início da Era Mano Menezes à frente da seleção. Não sei se é pelo alívio do fim do dunguismo ou se pela boa primeira convocação do Mano, mas a expectativa é das melhores para os próximos anos!

Os 24 do Mano

Goleiros
Jéfferson (Botafogo), Renan (Avaí) e Víctor (Grêmio).

Laterais
Daniel Alves (Barcelona), Rafael (Manchester United), André Santos (Fenerbahçe) e Marcelo (Real Madrid).

Zagueiros
David Luiz (Benfica), Thiago Silva (Milan), Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo).

Volantes e Meias
Ramires (Benfica), Jucilei (Corinthians), Lucas (Liverpool), Hernanes (São Paulo), Sandro (Internacional), Ganso (Santos), Éderson (Lyon) e Carlos Eduardo (Hoffenheim).

Atacantes
Neymar (Santos), André (Santos), Robinho (Santos), Pato (Milan) e Diego Tardelli (Galo).

Anúncios

Que saudades do Dener…

dener-portuguesa

Em diversos momentos desta semana – não sei por que cargas d’água – me lembrei muito do Dener.

Deve ser saudades deste jogador que preferia – sem vergonha de assumir – o drible ao gol.

Dener apareceu nos holofotes da mídia na Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 1991. Na final contra o Grêmio acabou com o jogo, participando de 3 dos 4 gols que deram o título à Portuguesa.

Logo foi parar nos profissionais do time do Canindé e não parou de brilhar.

Franzino, com cara de menino e uma habilidade incomum; assim era Dener.

Mais que menino, ele era moleque. Moleque que brincava em campo.

A passada larga lembrava um Raficero fugindo da caça, desviando-se com leveza da furiosa perseguição adversária.

Era impossível marcá-lo.

O Brasil inteiro clamou por sua convocação para Seleção principal em 94. Mas Parreira não ouviu.

E quando o escrete nacional estava reunido pro amistoso contra um combinado Bordeaux/Paris Saint Germain – que terminou 0 X 0 – um acidente levou Dener daqui.

O garoto revelado pela Portuguesa foi cedo demais… com apenas 23 anos de idade e 3 como jogador profissional.

dener-portuguesa2

Muito pouco tempo de bola pra ele, de alegria pra nós que amamos futebol.

Pouquíssimo tempo, pouquíssimos jogos.

Mas quem viu não se esquece. E, como eu, sente saudades do Dener.

Imagens: Bola de Bigode e Alma Lusa.
Canais do Youtube: egon86, letote, kojirofuuma.

Dunga, o cruel

dunga camisa malCom a preguiça e o excesso de outros trabalhos acabei não escrevendo sobre a convocação do atacante Amauri, para o amistoso que a seleção brasileira fará contra a Itália em Londres, no próximo dia 10.

Mas comentando um post do Passes de Letra acabei me animando a escrever um pouco sobre o tema aqui no Ópio

E serei breve.

Amauri foi convocado para substituir Luis Fabiano do Sevilha, machucado.

No dia em que a seleção foi convocada pro amistoso contra a Azzurra, o técnico anão foi questionado sobre a não convocação do centroavante da Juventus e respondeu com 3 justificativas:

1 – Temos opções melhores que o Amauri.

2 – Ele não jogou bem as duas últimas partidas, acho que pode ter sentido a possibilidade de vestir a camisa do Brasil. Ou a da Itália, né Dunga?

3 – Seria muito cruel convocá-lo pela primeira vez justamente pra um jogo contra a Itália.

É Dunga, e você convocou. Crueldade? No mínimo uma tentativa baixa de enfraquecer o grande rival mundial.

Convoca-se o Amauri, o coloca pra jogar 5 minutos e nunca mais. Eu não duvido.

Por sorte a Juve não liberou o atacante, convocado fora do prazo estipulado pela Fifa pra jogadores que atuam fora de seus países.

Eu sigo torcendo pra que Amauri vista a camisa da Azzurra.