As últimas vagas da Europa

A FIFA sorteou hoje os confrontos da repescagem européia das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

O equlíbrio deve dar a tônica destes enfrentamentos que decidem os últimos 4 europeus no Mundial da África.

repescagem-eliminatorias-zona_europeia-farol-uniao_europeia-confrontos

A única superioridade incontestável é dos franceses sobre os irlandeses. Mas o estilo antagônico das duas seleções pode gerar muita dificuldade para os Les Blues.

Pra quem pensa que Portugal pegou uma molezinha sugiro que acompanhem os jogos da Bundesliga. A seleção bósnia conta com diversos bons jogadores como os meias Pjanic (Lyon), Salihovic (Hoffenheim) e Misimovic – atual campeão alemão pelo Wolfsburg. Sem falar na poderosa dupla de ataque formada pelo inseparável parceiro de Grafite no Wolfsburg, Edin Dzeko (vice artilheiro da Bundesliga na temporada passada e atual vice artilheiro das eliminatórias européias) e o letal Vedad Ibisevic que jogando pelo promovido Hoffenheim fez 19 gols só no primeiro turno – 17 jogos – do campeonato alemão da última temporada.

Grécia e Ucrânia é um confronto de seleções muito parecidas. Os gregos têm um esquema bem defensivo e no ataque apostam tudo na velocidade de Gekas (Larissa) – artilheiro da zona européia de classificação pra Copa – e nas bolas paradas de Karagounis (Panathinaikos). Os ucranianos também têm um esquema que prima pelo sistema defensivo e as ações ofensivas são concentradas na dupla do Dynamo de Kiev, Shevchenko e Milevskiy.

Já no confronto entre os ex soviéticos e os ex iugoslavos, vejo um leve favoritismo para os russos que possuem mais jogadores talentosos como Arshavin (Arsenal), Zhirkov (Chelsea), Bystrov (Zenit) e o jovem Dzagoev (CSKA Moscou), além do excelente goleiro Akinfeev (CSKA Moscou), pretendido por alguns dos grandes clubes europeus como Manchester United, Milan e Bayern de Munique. Mas os russos que se cuidem, a Eslovênia – mesmo sem nenhum grande craque – tem um time arrumadinho que sabe se defender bem e sai muito rápido nos contra ataques.

Meus palpites são que França, Rússia, Bósnia e Grécia chegarão ao Mundial da África, enquanto Portugal, Ucrânia, Eslovênia e Irlanda terão que assistir a Copa pela televisão.

Imagem original: Cafe Babel
Anúncios

Como o Futebol Explica o Mundo

como o futebol explica o mundoFranklin Foer é um estado unidense apaixonado por futebol. 

Jornalista político renomado, Foer sempre foi um craque das palavras.

Com a bola no pé nunca passou de um grande perna de pau, como ele mesmo descreve no já delicioso prólogo de seu livro  

Como o Futebol Explica o Mundo – Um Inesperado Olhar Sobre a Globalização.

O livro é simplesmente sensacional. Fala do futebol como o Ópio o concebe. Muito mais que um esporte.

Foer viajou por Brasil, Itália, Irã, Bósnia, Sérvia, Espanha, Holanda, Reino Unido, Ucrânia, Rússia e Estados Unidos.

O livro conquista quem gosta e quem não gosta do esporte mais popular do mundo.

E é ótimo para acabar com preconceitos.

Porque nele o futebol é apenas um instrumento para que Foer fale do mundo, do choque entre o moderno e o antigo, entre o local e o global. 

O livro fala de sociedade, violência, religião, modernidade, globalização.

Mostra que o futebol transcende o esporte e é capaz de pacificar guerras, conflagrar conflitos e revoluções.

A obra de Foer disseca o macro e o micro, revela personagens insólitos, possíveis apenas nesta loucura chamada realidade.

Um hooligan choroso, um negro nos Cárpatos, um fanático que crê que a vitória em campo é a vitória de seu Deus.

Obra Prima!

Quem lê em inglês pode ler na net!