A boa lista do Mano

Mano Menezes fez sua primeira convocação à frente da Seleção Brasileira. E surpreendeu, pelo menos àqueles que esperavam uma lista com Dentinho, Chicão, Elias e Roberto Carlos, todos atletas do Corinthians. O único jogador do Timão na convocação foi o volante Jucilei, o que me pareceu uma boa surpresa.

O time que encabeçou a lista foi o Santos com 4 jogadores, Robinho, Neymar, Ganso e André. O volante Arouca foi a ausência santista mais sentida. Pelo menos eu queria vê-lo vestindo a amarelinha.

Já que a palavra de ordem é renovar, dos 24 convocados 7 têm idade olímpica. Pato (Milan), Ganso (Santos) e Rafael (Manchester United) com 20 anos, Neymar (Santos) com 18, Sandro (Internacional) com 21, André (Santos) e o goleiro Renan (Avaí) com 19. Sangue novo na seleção que tem média de idade de 23,1 anos.

De forma geral gostei muito da convocação. Algumas lembranças são bem interessantes, como o zagueiro David Luiz (Benfica), o volante Jucilei (Corinthians), o lateral Rafael (Manchester United) e o jovem goleiro Renan (Avaí). Os retornos de Lucas (Liverpool), Pato (Milan), Hernanes (São Paulo) e Marcelo (Real Madrid) são excelentes, estes jogadores nunca deveriam ter sido afastados da seleção e, ao meu entender, deveriam ter ido à África do Sul. A esperada convocação de Paulo Henrique Ganso (Santos) também foi outro ponto positivo da lista do Mano. Quando leu o nome do meia paraense, o novo técnico da Seleção até soltou um sorrisinho maroto, como quem dissesse esse é o cara!

De negativo poucos nomes. Eu particularmente não gosto dos laterais Daniel Alves (Barcelona) e André Santos (Fenerbahçe), embora entenda a convocação dos dois. Na minha lista também não estariam os zagueiros Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo), acho que temos muitos zagueiros na frente deles, por exemplo Alex Silva (São Paulo), Miranda (São Paulo) e Leonardo Silva (Cruzeiro). Agora o que não entendi mesmo foi a convocação do goleiro Jéfferson (Botafogo) e do meia Éderson (Lyon). Jéfferson é bem fraquinho, inconstante, e até hoje não aprendeu a pegar falta. Já Éderson nunca se firmou no Lyon e nem mesmo no Fenerbahçe, não o vejo com bola suficiente pra vestir a camisa da seleção.

Outra coisa que vale ressaltar é a qualidade dos volantes, algo tão essencial no futebol moderno onde atacantes e meias não têm espaço e tempo nem para pensar. Hoje os volantes ganharam grande importância, sendo quase sempre os responsáveis pela organização do jogo. Mano só chamou volantes que sabem jogar. Ramires (Benfica), Lucas (Liverpool), Sandro (Internacional), Jucilei (Corinthians) e Hernanes (São Paulo) marcam, mas também gostam da bola e saem muito bem para o jogo.

Dia 10 de agosto este grupo entra em campo no amistoso contra o Estados Unidos, em Nova Jersey. Será o início da Era Mano Menezes à frente da seleção. Não sei se é pelo alívio do fim do dunguismo ou se pela boa primeira convocação do Mano, mas a expectativa é das melhores para os próximos anos!

Os 24 do Mano

Goleiros
Jéfferson (Botafogo), Renan (Avaí) e Víctor (Grêmio).

Laterais
Daniel Alves (Barcelona), Rafael (Manchester United), André Santos (Fenerbahçe) e Marcelo (Real Madrid).

Zagueiros
David Luiz (Benfica), Thiago Silva (Milan), Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo).

Volantes e Meias
Ramires (Benfica), Jucilei (Corinthians), Lucas (Liverpool), Hernanes (São Paulo), Sandro (Internacional), Ganso (Santos), Éderson (Lyon) e Carlos Eduardo (Hoffenheim).

Atacantes
Neymar (Santos), André (Santos), Robinho (Santos), Pato (Milan) e Diego Tardelli (Galo).

Dois tetras em jogo no Rio

Flamengo e Botafogo se classificaram para a decisão da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

E agora dois tetras estão em jogo!

Pela primeira vez em sua história o Flamengo pode conquistar o carioca por 4 anos seguidos. O tri clássico já aconteceu em 5 oportunidades (1942, 1943, 1944 – 1953, 1954, 1955 – 1978, 1979, 1979 Especial – 1999, 2000, 2001 – 2007, 2008, 2009), mas o tetra nunca veio para o clube da Gávea.

O tetra no Rio de Janeiro só aconteceu uma vez, mas mesmo assim existe discórdia sobre o tema. O Fluminense foi campeão em 1906, 1907, 1908 e 1909, mas o título de 1907 foi parar na justiça e acabou divido com o Botafogo. É um tetra, mas manchado pela divisão de um dos troféus.

O outro tetra que está em jogo no Rio não é cercado de glórias e alerias, mas é inédito mesmo, sem discussão. O Botafogo pode ser o primeiro time carioca a ser vice campeão estadual por 4 anos seguidos. Isto nunca aconteceu, nem nos anos da Guanabara.

Em todas suas versões, o Campeonato Carioca de Futebol já teve 6 tri vices, Flamengo (1936 pela Liga Carioca de Futebol, 1937 pela Liga Carioca de Futebol, 1938), Botafogo (1945, 1946, 1947), Flamengo (1982, 1983, 1984), Flamengo (1987, 1988, 1989), Vasco (1999, 2000, 2001) e Botafogo (2007, 2008, 2009). Mas tetra vice seria mesmo inédito.

Pra mim, a chance do Botafogo de cortar sua macabra sequência de vice campeonatos e evitar o primeiro tetra rubro negro é vencer a Taça Rio no próximo domingo. Se o Flamengo vencer o segundo turno e levar a decisão para mais 2 jogos acredito que o Fogão não resita. Tecnicamente o time dirgido por Andrade é bem superior à equipe do Joel Santana e em 2 jogos esta superioridade tem mais chances de prevalecer.

Imagem: Justiça Desportiva

Conta gotas 6

Vovôs gagás

conta gotas opio laudanoBotafogo e Fluminense fizeram – seguramente – um dos piores jogos da história deste confronto popularmente conhecido como clássico Vôvô. Zero a zero como não poderia deixar de ser e como sugeria a colocação dos dois na tabela. O tricolor é o lanterna da competição com 18 pontos e o alvinegro é 0 18º com 24, um a menos que o Náutico, primeira equipe fora da zona do rebaixamento. Parece que os vovôs estão gagás e pelo visto morrerão abraçados neste brasileirão.

Sai uruca

conta gotas opio laudanoDesde que o campeonato brasileiro começou o Grêmio vinha seguindo a regularidade de sucessos no Olímpico e fracassos em viagem. E eu sempre dizia, uma hora a coisa muda, ou o tricolor gaúcho começa a perder em casa ou começa a vencer fora. Eis que esta semana o Grêmio tropeçou no Olímpico ao empatar com o Vitória e tirou a urucubaca das partidas como visitante ao vencer o Náutico nos Aflitos. Eu acho que agora engrena e se junta ao Galo, Inter, Goiás e Corinthians na briga pelo 3º lugar.

Baila comigo

conta gotas opio laudanoA partida entre os Atléticos no Mineirão não foi dos melhores jogos deste brasileirão. Muito truncado, muito parado. Mas algumas coisas se salvaram no encontro. O gol do Tardelli – que jogou mal à beça – foi uma obra prima. Um lançamento primoroso do volante Correa e uma finalização raivosa e precisa – de primeira – do atacante alvinegro. Outro que se salvou na partida foi o meia do furacão Paulo Baier. Mesmo à beira dos 35 anos, Baier tem demonstrado muito fôlego e uma classe invejável. Ontem quase fez dois gols olímpicos, a torcida do Galo se calava quando o camisa 10 dos paranaenses pegava na bola. Mas meu destaque vai pra desengonçada dança do Rentería. O colombiano marcou seu primeiro gol com a camisa alvinegra e esbanjou suingue e irreverência na comemoração.

Quando tem que ir não vai

conta gotas opio laudanoEsta semana mesmo conversava com o Felipeta sobre o Inter. Quando tem que ir, não tem jeito, não vai. Durante toda a temporada – com exceção ao campeonato gaúcho – esta foi a tônica do Colorado. Na hora H o time some. Os melhores jogadors desaparecem, o Guiñazu – sempre tão competente – faz um pênalti bobo como o de ontem em cima do Thiago Ribeiro. Eu não acredito mesmo no Inter campeão brasileiro. Pra mim briga, no máximo, por um 3º lugar. E com dificuldades. Já sobre o Cruzeiro, foi uma excelente vitória no Beira Rio. daquelas que dão força para um time. Mas acho que a raposa acordou tarde demais pro campeonato e deve ficar aí onde está, nem lá nem cá, na famosa zona do Limbo. Não cai e não briga por nada.

Bota dendê

conta gotas opio laudanoO Palmeiras foi a Salvador e perdeu para o Vitória por 3 X 2 no Barradão. São Marcos falhou em 2 gols e uma coisa ficou nítida, o Verdão precisa de mais bola. O time tá muito duro, muito certinho. E quando não tem Diego Souza sofre, mas sofre muito. Mesmo perdendo o Palmeiras se manteve na liderança graças à vitória do Cruzeiro sobre o Inter. Mas agora verdão tem em seu encalço – além do Colorado – a sombra do São Paulo, atual tri campeão brasileiro, que venceu e está a apenas um ponto da liderança.

Alguém duvida?

conta gotas opio laudanoO São Paulo bateu o Avaí no Morumbi por 2 X 0 e chegou aos 43 pontos. Com as derrotas de Inter e Palmeiras o Tricolor está a apenas um ponto do topo da tabela. Depois de um início pra lá de oscilante, o São Paulo entrou definitivamente na briga pelo título. Rogério Ceni já voltou, Jorge Wágner, Miranda e André Dias voltaram a jogar bem. Renato Silva nestes poucos meses já fez mais que em toda sua passagem pelo Botafogo e Dagoberto e Richarlyson estão jogando muito, mas demais mesmo. E aí, alguém duvida que o São Paulo tá na briga pra ser campeão?

Imagem: Josias de Souza – Nos bastidores do poder

Vai começar o futebol!

radio opio

Clique no radinho pra escutar a trilha sonora do post!

Neste fim de semana começa o Brasileirão 2009, finalmente! Confesso que já não aguentava mais o futebolzinho dos estaduais. Sei que os mais maldosos dirão que o meu desgosto quanto aos campeonato regionais origina-se pura e simplesmente no ferido coração atleticano. Mas estes se enganam. 

Tecnicamente os estaduais são muito fracos, até o paulista. O mineiro então, nem se fala. Por isto a alegria com o início do Brasileirão. Como diz a canção que musicaliza o post, vai começar o futebol!

E este campeonato brasileiro promete. Há muito tempo que não começávamos a competição com tantos bons jogadores. A dupla de ataque da seleção brasileira na última Copa do Mundo por exemplo, Ronaldo e Adriano, disputarão a competição. Fred, o reserva imediato deles no Mundial da Alemanha também anda por aqui. Isto sem falar em Ramires, Hernanes, Nilmar, Miranda e por aí vai.

Eu me arrisco a dizer que desde que o futebol se globalizou – a partir da Lei Bosman – que não víamos tantos bons jogadores em território nacional.

Pelo que deu pra ver até aqui nos estaduais, Copa do Brasil e Libertadores, divido os times deste Brasileirão em 4 grandes grupos:

Os Candidatos Reaisbola trapos coloridos

São Paulo – Cruzeiro – Inter – Grêmio

Os que podem até chegar

Corinthians – Palmeiras – Flamengo – Santos – Fluminense

A Turma da Sulamericana 

Galo – Botafogo – Sport – Coritiba – Goiás – Atlético Paranaense

De olho na Segundona

Vitória – Náutico – Barueri – Avaí – Santo André

Então vamos às análises:

Os Candidatos Reais

No Brasil, até hoje os times não perceberam que a mudança estrutural no calendário do futebol gerou uma reconfiguração no que diz respeito ao tamanho dos times. Com o campeonato nacional como base da temporada, não há mais espaço para 14 ou 15 times grandes. A realidade hoje é outra. Por isto, pra mim estes são os 4 candidatos reais ao título do brasileirão:

Cruzeiro – Pra mim é, juntamente com o Inter, o time mais interessante de ser ver jogar no Brasil. Um futebol com muita variação tática que consegue unir leveza e força. De positivo vejo o comando do Adilson Batista, treinador muito inteligente que tem o time na mão. O melhor meio de campo do Brasil com Fabrício, Marquinhos Paraná – que só não joga de goleiro -,Ramires – um dos jogadores extraclasse do brasileirão – e Wagner. Além do excelente e ultimamente controlado Kléber. De negativo a implicância da torcida com treinador, os laterais que ainda não inspiram confiança e a falta de um companheiro melhor para Kléber no ataque. Sem falar na administração do clube estilo armazém, vende tudo. De vez em quando fica difícil saber se o objetivo do Cruzeiro é ganhar título ou gerar renda pros Perrelinha.

Grêmio – O tricolor gaúcho vem credenciado pelo vice campeonato no último brasileirão e pela melhor campanha da Libertadores deste ano. É verdade que não sem tem certeza de que o perfil do técnico Paulo Autuori, que assumirá o Grêmio, se encaixa ao do clube, mas até aqui a temporada gremista é muito boa, mesmo com os fracassos nos Grenais. De positivo posso destacar a maravilhosa fase do meia Souza, pra mim o melhor jogador da Copa Libertadores até aqui. Os zagueiros Réver e Léo são garantia de segurança para a meta defendida pelo bom goleiro Victor. De negativo a instabilidade vivida pelos últimos treinadores. Ano passado Vágner Mancini foi demitido sem perder nenhuma partida. Celso Roth assumiu e sempre esteve na corda bamba, mesmo quando liderava o Brasileirão, quando foi vice campeão, ou quando liderava tranquilamente seu grupo na Libertadores. E no ataque também falta gente. A Barbie Maxi López não me convence.

Inter – O centenário Colorado gaúcho é o time mais cantado e falado do país. E é difícil não se encantar quando Taison, Nilmar e D’Alessandro partem pra cima dos adversários. Mas a promessa colorada não é nova e até hoje o Inter não mostrou – quando foi testado de verdade – que é tudo isto que se fala. Eu gosto muito deste time, mas também quero esperar. De positivo posso destacar o trio ofensivo Taison-Nilmar-D’Alessandro. Os 3 são incríveis! E também me agrada muito o garoto Wálter, centroavante forte com cheiro de gol. Outros destaques do Inter são o bom volante Guiñazu e o correto zagueiro Álvaro, que joga duro. O meia Giuliano também é uma boa promesa. E antes que eu me esqueça, o envolvimento que a torcida tem com o time atualmente também pode ser fundamental para o sucesso Colorado. De negativo vejo o técnico Tite, não consigo ver um time dirigido por ele campeão brasileiro. Outro ponto negativo dos colorados é a inconstância, até o hoje o time não conseguiu obter uma regularidade significativa. Outra coisa que pode atrapalhar é a temida janela, na Itália dizem que desta vez não tem jeito, Nilmar vai para o Palermo. 

São Paulo – O atual tri campeão brasileiro fecha o grupo de candidatos reais ao título do brasileirão. Não dá pra ignorar o São Paulo de Muricy Ramalho. Podem dizer que joga feio, que a relação entre comissão técnica e jogadores não é mais a mesma, mas o São Paulo é sim um dos grandes favoritos ao título. De positivo o tricolor paulista tem sua sólida defesa, seguramente a melhor dupla de zaga do Brasil com André Dias e Miranda. Muricy já leva 3 anos no comando da equipe, o que faz uma grande diferença. Hernanes é o grande destaque do meio pra frente, mas também não se pode esquecer de Borges, o artilheiro das horas decisivas. Além de tudo isto, o São Paulo traz consigo a pecha de campeão, afinal, o tricolor é o atual tri campeão nacional. De negativo a eterna sombra da transferência de Hernanes e Miranda para o futebol europeu. O possível desgaste entre Muricy e o elenco. A ausência do capitão Rogério Ceni, gravemente lesionado. E a obsessão pela Libertadores que pode tirar o foco do time no primeiro terço do Brasileirão.

Os que podem até chegar

Este grupo é formado por times fortes que carregam interrogações. Pra mim estas equipes não são candidatas reais ao título, brigam por vaga na Libertadores. Mas podem chegar e levar a taça.

Corinthians – No paulistinha o Corinthians já mostrou que realmente voltou. E se Ronaldo mantiver a sequência que tem mostrado até aqui, o Timão chega forte e pode sim ser campeão brasileiro. De positivo tem o comando do técnico Mano Menezes pelo segundo ano no cargo. Mano é um dos melhores treinadores do país e impôs ao Corinthians um esquema muito sólido que cede poucos espaços aos adversários e sai com muita velocidade com a pose de bola. Ronaldo quando jogar vai destruir, tenho certeza. Mas a pergunta é se ele terá uma boa sequência de jogos no Brasileirão. Se tiver o Timão é um dos favoritos. Se não, será apenas figurante. Outros destaques são o volante Elias e o zagueiro William. De negativo só a limitação do elenco, faltam peças de reposição pra um campeonato longo como o Brasileirão.

Flamengo – A chegada de Adriano à Gávea trouxe esperança aos torcedores rubro negros. Ele vem pra preencher a principal lacuna do time flamenguista, o ataque. O resto do time é redondinho e Adriano pode fazer uma baita diferença, até porque com Obina, Josiel e Emerson fica difícil ganhar qualquer coisa. De positivo os laterais Juan e Leonardo Moura, Kléberson que parece ter recuperado seu bom futebol. O meio de campo tem bom toque de bola e a defesa é bem armada. Se Adriano recuperar seu futebol, o time não perder jogadores na janela do meio do ano e o extra campo não atrapalhar, o Flamengo pode até surpreender e conseguir algo além da classificação para a Libertadores. De negativo o clube em si que é uma zona, não dá pra confiar. Sempre a mesma história de salários atrasados, ingerênca e tudo mais, difícil confiar no Flamengo. E se Adriano não entrar nos eixos, também não se pode confiar nos outros atacantes.

Fluminense – Sobre o tricolor carioca começo dizendo que não acredito neste time, pra nada. Pra mim, sem o Fred o Flu brigaria pra não cair, aliás, segundona que o time das Laranjeiras deve ao futebol brasileiro. Mas levando em conta o Fred das minhas lembranças – aquele do Cruzeiro que fazia um gol por partida – o Fluminense pode surpreender. De positivo o já falado Fred e os garotos Alan e Tartá, que vem segurando a onda do tricolor este ano. De negativo a disparidade do time. Jogadores do patrocinador recebem pequenas fortunas e em dia, enquanto os atletas do clube ganham mal e nem sempre recebem. Além disto o Flu vai perder Thiago Neves, talvez o melhor jogador do time. Outro fator negativo é o técnico Parreira que desde 2002, no Corinthians, não faz um trabalho digno de nota. São 7 anos de fracassos, incluindo aí a Copa de 2006 com a seleção brasileira.

Palmeiras – O Verdão tem bons jogadores, tem um grande treinador, tem o presidente de clube mais lúcido do Brasil, mas mesmo assim não acredito no Palmeiras campeão. Pra mim, o time de Luxemburgo vai brigar por classificação à Libertadores. Mas pode sim surpreender, o time é bom, muito técnico e nos seus ápices chega a encantar. De positivo tem o técnico Vanderlei Luxemburgo, a segurança e o carisma do goleiro Marcos, o oportunismo do centroavante Keirrison, a força de Diego Souza e o talento indiscutível do meia Cleiton Xavier. De negativo a fragilidade da defesa e a inconstância do seu jogo. Os dias bons do time são maravilhosos, em compensação não consegue vencer uma partida quando o jogo não entra. E isto é essencial pra ser campeão em uma competição de 38 rodadas, ninguém consegue jogar sempre bem, então também tem que saber vencer jogando mal.

Santos – Pra mim o Peixe deve brigar pela Libertadores, mas se Neymar deslanchar como a torcida santista espera e o artilheiro Kléber Pereira fizer as pazees com as redes, a equipe dirigida por Vágner Mancini pode supreender o Brasil mais uma vez, assim como fez em 2002. O time ainda está em formação, mas conta com um treinador jovem e inteligente; e alguns bons jogadores no elenco. De positivo o peixe conta com o comando técnico do competente Vágner Mancini. Ao contrário do que pensa a maioria da imprensa, pra mim o Santos tem um time muito interessante. Um elenco homogêneo dentro das possibilidades do futebol brasileiro, com opções para quase todas posições. Os destaques são o pequeno guerreiro Mádson, o promissor garotinho Neymar e o experiente goleador Kléber Pereira, artilheiro do último brasileirão junto com Washington e Keirrison. De negativo é que o time está em formação e ainda é bem irregular. Neymar é uma promessa e o artilheiro da equipe não anda em boa fase. E algumas contratações como Lúcio Flávio ou o equatoriano Bolaños não se encaixaram como era esperado.

bolas de diamantes

A Turma da Sulamericana

Aqui se encontram as maiores incógnitas do campeonato. Os times que devem ficar no limbo, na meiúca da tabela de classificação. Com um pouco de sorte eles podem até subir um degrau e brigar por uma vaguinha na Libertadores. Em compensação, com um pouquinho de azar, com algumas contusões e supensões, podem até parar na série B.

Atlético Paranaense – O Furacão não passa por seu melhor momento e cheguei a pensar em colocá-lo no último grupo. Mas o rubro negro de Curitiba vem apresentando algumas caras novas interessantes, foi campeão paranaense e acho que, no fim das contas, deve mesmo brigar pela sulamericana. De positivo tem seus garotos, o atacante Wallyson, os laterais Raul e Márcio Azevedo. Além dos abundantes gols do He-Man Rafael Moura e do bom goleiro Galatto. De negativo a atual situação do clube com escândalos de corrupção e um enorme rombo nas contas. Os investimentos na equipe estão suspensos em detrimento das reformas da Arena da Baixada. Também não confio no treinador Geninho.

Botafogo – A verdade é que o time da estrela solitária não empolga, mas se caminha lentamente pelo menos caminha com os pés no chão; e caminha pra frente. O aspecto mais positivo do Botafogo é que é um clube que reconheceu que diminuiu, que não é mais grande. Nisto o Botafogo está a frente de muitos dos clubes brasileiros. E este senso de realidade permite que o time de General Severiano cresça ano a ano, dentro de suas reais possibilidades. O técnico Ney Franco é muito competente e tem o perfil ideal para o elenco botafoguense. Se o grupo não chega a empolgar, tem alguns jogadores em que a torcida confia e deposita muita confiança, principalmente os atacantes Reinaldo e Maicosuel. Negativo a instabilidade emocional que assolou o clube nos últimos anos, além das evidentes limitações do elenco e de grana.

Coritiba – O Coxa decepcionou no estadual, mas no ano do seu centenário pode fazer mais uma boa campanha no Brasileirão, como no ano passado. Mas isto vai depender do mantenimento de importantes jogadores do elenco, como o meia Marlos que deve ir para o São Paulo. De positivo vejo a dupla Paraíba – Marcelinho e o incansável Carlinhos – e o talentoso Marlos. O goleiro Vanderlei é bom, o ataque tem outros nomes interessantes como Hugo, Pedro Ken e o argentino Ariel. Também gosto  do lateral Rodrigo Heffner e do talismã do Coxa, Douglas Silva. De negativo a inexperiência do time que é muito jovem. Além disto o Coxa deve perder alguns jogadores importantes e a defesa é um tanto quanto instável.

Galo – É inegável que o alvinegro de Belo Horizonte melhorou muito em relação aos anos anteriores. Acho que dificilmente brigará para não cair nesta temporada. Mas outra coisa que não se pode negar é que o Galo ainda tem um longo caminho a percorrer. Alguns setores da equipe ainda são muito frágeis e esta fragilidade ficou evidenciada em mais uma goleada para o Cruzeiro. De positivo o competente Celso Roth que no ano passado levou o Grêmio, com um time modesto, ao vice campeonato. Repetir a campanha do tricolor gaúcho acho impossível, mas com uma estruturada tática e alguns poucos reforços o time pode engrenar e até brigar por Libertadores. Dentro de campo o destaque é Diego Tardelli, maior artilheiro do futebol brasileiro nesta temporada. De negativo o time não tem goleiro, Juninho é ruim e Édson, além de fraco é azarado. Ou seja, não dá. Todo o sistema defensivo tem que ser repensado também, antes da chegada de Celso Roth o único setor da equipe que marcava bem era o ataque com Tardelli e Éder Luis. A falta de grana também pesa contra o Galo.

Goiás – O esmeraldino goiano é, com certeza, um dos times mais malucos do país. Quando todo mundo dá sua queda como certa ele surge como um meteoro pela tabela de classificação e quando todo mundo aposta nele é só decepção. Nunca dá pra saber ao certo do que o Goiás é capaz. De positivo os excelentes Vítor (lateral direito), Felipe (atacante ex Náutico) e Júlio César (meia/ ala/ lateral esquerdo). Também conta com alguns jogadores muito rodados, os chamados macacos velhos que podem ajudar muito, como Romerito, Ramalho e Pedrito Iarley. A promessa é o zagueiro Rafael Tolói. De negativo o desinteresse da torcida esmeraldina pelo time e o treinador Hélio dos Anjos que, venhamos e convenhamos, deixa a desejar.

Sport – Acredito que o Leão de Recife, a exemplo do que aconteceu ano passado, faça uma campanha tranquila e segura no brasileirão. Acho que até onde o Sport pode chegar vai depender muito da sequência ou não do rubro negro na Libertadores. O Leão pode brigar por vaga no principal torneio continental das Américas e, na pior das hipóteses, deve ficar no Limbo da tabela do Brasileirão. De positivo a experiência do time que sabe muito bem o que fazer dentro de campo. Pessoalmente gosto muito do zagueiro Durval, do goleiro Magrão e do ala Moacir. Ciro é a grande promessa do time que tem na Ilha do Retiro um dos seus grandes trunfos. De negativo penso que a participação do Sport na Libertadores pode tirar o fôlego do time no Brasileirão. Se bem que o Sport tem um dos elencos mais homogêneos do Brasil.

De Olho na Segundona

Estas são as equipes que, para mim, brigarão irremediavelmente na ponta de baixo da tabela.

Avaí – Há muitos anos longe da primeira divisão o time do tenista Guga Kuerten pode sentir o peso do Brasileirão. É a primeira vez que o atual campeão catarinense disputa a série A no sistema de pontos corridos. De positivo o trabalho do ex jogador Silas, há mais de 1 ano no comando técnico do time, além do envolvimento da apaixonada torcida azul e branca que deve estar com saudades da primeira divisão. De negativo a limitação do elenco. Vindo da segundona, os jogos na Ressacada serão de extrema importância para que o time de Floripa se mantenha na elite do futebol brasileiro.

Barueri – O jovem e pequeno time de São Paulo deve sofrer nesta sua pioneira experiência na primeira divisão do campeonato brasileiro. Clube de empresários não possui torcida e isto pode fazer uma grande diferença. De positivo o interessante ataque do time com o batalhador Pedrão e o técnico e hablidoso Thiago Humberto. Ele é novo, vale a pena prestar atenção neste jogador. De negativo o fato de não ter torcida, de ser um clube de empresários. A Arena Barueri foi construída com dinheiro público, mas nem assim costuma aparecer gente por lá. Candidatíssimo ao rebaixamento.

Náutico – Este ano não será fácil para o Timbu. Em relação equipe da temporada passada o time de Recife perdeu seu melhor jogador, o rápido e goleador Felipe, que foi para o Goiás. Pra mim o Náutico luta contra o rebaixamento. De positivo o estádio dos Aflitos que costuma ser um verdadeiro caldeirão com sua incendiária torcida. De negativo é que o time é muito fraco, muito fraco mesmo.

Santo André – Candidato não só ao rebaixamento, mas à lanterna do campeonato. Um time muito velho, que passou da linha do experiente. O volante Fernando por exemplo, tem 42 anos. Sinceramente não vejo nada de positivo no Santo André. Os melhores jogadores da equipe que disputou a série B se transferiram, a cidade não se envolve com o time. Eu carimbo, Santo André é um dos 4 rebaixados.

Vitória – O rubro negro baiano não deve ter vida fácil neste brasileirão. Apesar do título no estadual e da heróica classificação para as quartas de final da Copa do Brasil diante do Galo no Mineirão, o time do técnico Paulo César Carpeggiani não empolga. De positivo o ímpeto ofensivo da equipe, sempre disposta a atacar. De negativo  a irregularidade – já demonstrada na Copa do Brasil – e a defesa extremamente vulnerável. Pra mim o rubro negro baiano vai ter que suar pra não cair.

torcida polonesa

Então, neste sábado começa o Brasileirão 2009 com promessa de muita emoção e bom futebol!

Vamos esperar a bola rolar e, quem sabe, comemorar!

Afinal, como diz a música

Vai começar o futebol!

Trilha Sonora: Hum a a zero
Composição: Pixinhguinha, Benedito Lacerda e Nelson Ângelo
Intérprete: Arranco de Varsóvia
Imagens Originais: FFFFound e Blog Beatroot

Castilho X Ingrid Betancourt

castilho ingrid betancourt cara de um fucinho do outro

A pedra foi cantada pelo Dudu Monsanto no Pontapé Inicial desta sexta feira.

Pra quem não conhece o cara, ele é o responsável pelo excelente Guia da Copa do Brasil da Espn Brasil

Bom, mas voltando ao tema do post, impossível não concordar com o Dudu, o Castilho (goleiro do Botafogo) e a Ingrid Betancourt (ex refém das Farc) são impressionantemente parecidos.

Indiscutivelmente, cara de um fucinho do outro!

O Garrincha da Música

geniosmarginais2Há exatos 66 anos nascia em Seattle, Estados Unidos, Johnny Allen Hendrix.

O menino pobre do subúrbio foi posteriormente renomeado como James Marshall Hendrix, mas o mundo o conheceria por um terceiro nome.

Jimi Hendrix é considerado por muitos o maior guitarrista de todos os tempos. Eu não entrarei neste mérito pois tenho uma séria dificuldade com este tipo de expressão e sinceramente não sei mensurar qual foi o maior guitarrista de todos os tempos.

Sei que Hendrix é meu favorito e pra mim isso basta.

Outra coisa que sei e que me dá pena, ou bronca, é que hoje Hendrix seja mais lembrado por sua irreverência e loucura que por sua música. Que seja colocado no mesmo saco que vários da geração Woodstock, apenas mais um hippie louco capaz de destruir instrumentos no palco ou tocar guitarra com a língua.

Não, ele era muito mais que isso.

Jimi Hendrix era um virtuoso na essência da palavra. Dominava seu instrumento, suas notas. Conseguia abusar dos experimentalismos sem macular o processo melódico.

Hendrix foi um músico de vanguarda, muito além de seu tempo ou até mesmo dos dias de hoje. Capaz de arranjos improváveis como em Crosstown Traffic e sensível o suficiente para criar Little Wing, uma jóia em termos de harmonia e melodia.

Inovador, brincava de múscia e nessa brincadeira criou e aperfeiçoou dezenas de equipamentos e efeitos sonoros até hoje utilizados no universo pop.

Jimi mudou a história da música popular, do rock, da guitarra. Inovou nas formas de tocar, fazer e pensar música.

No entanto, para a grande maioria, continua a ser o doidão que tocava muito e quebrava guitarras, o maluco dos ácidos na testa.

Poucos são capazes de ver o ritual Yorubá na performance em que Hendrix queima sua guitarra no lendário Festival de Monterey, na Califórnia. Trazendo para um contexto mais superficial, ainda poucos são os que reconhecem o verdadeiro valor musical de Jimi Hendrix e sua importância na história da música pop. Sua genialidade que vai muito além de sua incomparável técnica.

Por isso Hendrix me lembra Garrincha. O ponta direita do Botafogo era um monstro inigualável. E no entanto o que vemos hoje é, em quase todos os casos, uma representação do Garrincha folclórico, driblador irresponsável, mulherengo e beberrão. Quase não se fala da eficiência de Garrincha, bi campeão do mundo, artilheiro de Copa

O Anjo das Pernas Tortas jogava, vencia e encantava. E fazia tudo isso brincando.

Hendrix e Garrincha são gênios rotulados em papéis folclóricos que escondem suas verdadeiras relevâncias no meio em que atuaram. Não tiveram a mesma sorte que van Gogh. Mesmo cortando a própria orelha o holandês não teve – para a história – sua genialidade ofuscada por sua loucura.

Jimi Hendrix e Garrincha são os gênio marginais, no sentido etmológico da palavra. São os fodas, os foras de sério que tiveram que ser colocados de lado por não cumprirem com as exigências oficiosas, por não entrarem no padrão.

Para Ouvir: Little Wing – Jimi Hendrix

Resultados e Classificação – Brasileirão Série A

34ª Rodada

Classificação