Insensato Futebol

Não concordo com a tese que falta experiência a esta Seleção.

Sei que as principais referências do time ainda não passaram dos 21, mas mesmo com a pouca idade, a vivência no futebol é extensa.

Pra mim, o que falta é tesão e o que sobra é soberba.

Derrota após derrota não nos cansamos de olhar o futebol mundial com um inegável ar de superioridade.

Do alto de nossa presunção não vemos ninguém ao nosso lado, muito menos acima. Somos o único país do futebol.

E enquanto Argentina e Uruguai faziam um jogo épico, com técnica, tática e muita emoção, nossos craques comentavam via twitter Insensato Coração.

Perderam um jogo histórico. Não o de domingo, que também perderam, de forma patética.

Jogadores que não gostam de futebol me assustam um pouco. Custo a entender como o roteiro repetido de uma novela pode ser mais interessante que um dos maiores clássicos do futebol mundial. 

Infelizmente não sei os nomes dos protagonistas de Insensato Coração, se soubesse, poderia compará-los a Messi, Tévez, Forlán e Luisito Suárez, e então veríamos qual elenco é o mais interessante.

Este texto não é pra justificar a derrota de domingo.

Não perdemos pra nós mesmos, perdemos para um Paraguai brioso e aplicado, para um time de jogadores que entendem que o futebol é bem mais que diversão, pra eles, é profissão.

Desclassificados da Copa América, nossos jogadores podem agora, tranquilos, ver a novela.

Enquanto nós, que gostamos de futebol, veremos empolgados a sensação Venezuela, o ressurgente Peru, o altivo Paraguai e o gigante renascido Uruguai.

Imagem: Blogmail

Cala a boca Mano!

Na apresentação da Seleção Brasileira que disputará a Copa América na Argentina, o técnico Mano Menezes resolveu cutucar Lionel Messi, o melhor jogador do mundo.

Em relação à fase individual de cada um, nós já vimos que às vezes os jogadores arrebentam em seus clubes e não conseguem repetir o desempenho em suas seleções. Acho que podemos até citar o Messi, que faz maravilhas no Barcelona, mas não conseguiu ter o mesmo desempenho pela Argentina no Mundial na África do Sul.

Primeiramente, é mentira que Messi tenha feito um mal Mundial África do Sul, não foi uma maravilha, mas também não foi este desastre todo. É vero que o melhor do mundo não fez um golzinho sequer, mas teve boas apresentações, além de ser o jogador que mais finalizou no Mundial.

Outra coisa que não pode ser desconsiderada, a Seleção Argentina dirigida por Diego Maradona na Copa. Aquilo era uma bagunça só, um time desorganizado, mal postado em campo, mal convocado. O meia Jonás Gutiérrez ocupou a lateral direita do time enquanto Javier Zanetti via o Mundial pela TV, assim como o ótimo Esteban Cambiasso, ambos campeões europeus pela Inter em 2010.

Outro ponto a se pensar; Messi foi criado em uma escola que prima pelo futebol coletivo, o Barça. Na Catalunha desde os 13 anos, Messi aprendeu desde sempre que futebol é um esporte que se joga em conjunto e a Argentina de 2010 era um ajuntadão, um salve-se quem puder. Então é lógico que o melhor do mundo não rendesse na seleção o mesmo que mostra em seu clube, até porque no clube os jogadores treinam durante todo um ano e sem falar que a Seleção Argentina ou qualquer outro selecionado nacional não se compara ao Barça. Só a Espanha chega perto, justamente pela espinha dorsal azul e grená, mas mesmo a Fúria fica atrás já que não conta com Messi, Dani Alves e Abidal, pra ficar só em 3 nomes.

Por tanto, Mano deveria se preocupar mais com seu time. Até porque a Seleção Brasileira vem jogando uma bolinha murcha murcha, bem quadradinha. Um time burocrático, engessado, que só encontra alegria nos pés do Neymar.

Só pra reforçar o título do post, cala a boca Mano!

Imagem: Clica Piauí

Eu já sabia não, todo mundo já sabia!

Eu poderia começar este post com a famosa frase dos profetas do acontecido, eu já sabia! Mas como diz o título, esta todo mundo já sabia.

Após a expulsão de Felipe Melo liguei para o amigo Thiaguinho Lesadão e antes do alô ele disse: A gente já tinha cantado essa pedra hein Bê.

Pois é, não era preciso nenhuma mediunidade para saber que isto aconteceria. Foi só a coisa apertar que Felipe Melo mostrou todo seu destempero, um pisão covarde em Arjen Robben quando o Brasil já perdia por 2 X 1 e vivia seu momento de maior pressão no mundial da África do Sul.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Eu já sabia não, todo mundo já sabia!, postado via vodpod

Mas Felipe Melo não se limitou a fazer bobagens só dentro de campo. Na zona mista após o jogo suas declarações foram lamentáveis. Disse que aquilo foi um lance de jogo, sem deslealdade, e que se ele tivesse entrado com maldade Robben não teria continuado em campo pois ele, Felipe Melo, teria força suficiente para quebrar a perna do holandês.

não fiquei atônito com as declarações porque era o Felipe Melo falando. E isto é exatamente o que eu e todos que acompanham futebol além da Copa esperam do volante da Juventus. Desequilibrado é pouco pro garoto.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Eu já sabia não, todo mundo já sabia! – 2, postado via vodpod

Vídeos: Globo

Análises e Palpites das Quartas de Final – I

Brasil e Holanda é um dos confrontos mais bonitos do futebol. Duas escolas de natureza ofensivista, que prezam pelo jogo bonito. Isto é o que diz a história, porque os atuais times de Brasil e Holanda nada têm a ver com esta cultura do ataque, do jogo vistoso, plástico. As duas seleções se importam com uma única coisa, o resultado.

Dunga e Bert Van Marwijk dirigem times espelhados. No esquema da moda, 4-2-3-1. Uma linha de quatro atrás, dois volantes de pegada, uma linha com 3 teóricos armadores e na frente, solitário, um único atacante. E é assim que entrarão em campo nesta sexta feira, 2 de julho.

Os dois times já se enfrentaram 3 vezes em Copas do Mundo. Em 74 baile holandês, 2 X 0 e muita porrada por parte da seleção canarinho. Em 94 vitória brasileira, 3 X 2 naquele jogo do gol de falta do Branco, uma das partidas mais emocionantes que já vi em mundiais. Em 98 empate em 1 X 1 no tempo normal, 0 X 0 na prorrogação e triunfo verde e amarelo nos pênaltis, 4 X 2.

Na África do Sul nenhuma das duas equipes encantou, mas ambas vêm em uma trajetória segura até as quartas de final. A Holanda venceu seus 4 jogos, 2 X 0 na Dinamarca, 1 X 0 no Japão, 2 X 1 em Camarões e na Eslováquia. Já o Brasil empatou em 0 X 0 com Portugal e bateu a Coréia do Norte por 2 X 1, a Costa do Marfim por 3 X 1 e o Chile por 3 X 0.

No Brasil, Elano está fora do jogo das quartas e possivelmente do restante da Copa. Ramires suspenso e Felipe Melo ainda é dúvida. Na Holanda o maior problema é o relacionamento. Ao ser substituído no jogo contra a Eslováquia, Van Persie se desentendeu com o treinador Bert Van Marwijk e foi taxativo, quem tinha que sair era o Sneijder.

Esta é, de longe, a partida mais difícil para o time de Dunga até aqui. Embora individualmente a defesa holandesa não seja nenhuma maravilha, o esquema protege bem esta fragilidade e não sei se a burocrática seleção brasileira encontrará espaços para jogar. Do outro lado, se Robben bater diretamente com Michel Bastos será um carnaval laranja. O meia do Lyon, que na seleção é lateral, não tem a menor condição de segurar Robben. Dunga terá que destacar um dos volantes para o trabalho de ajuda na marcação do atacante do Bayern de Munique. E aí pode sobrar espaço para Wesley Sneijder. Aquela velha história do se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

Meu Palpite: Holanda vence por 2 X 0.

Imagens Originais: NowPublic e Café com Ciência
Colagem: Picnik

Os acertos do Dunga

O Brasil passou com facilidade pelo Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, 3 X 0, gols de Juan, Luis Fabiano e Robinho, o último após belíssima jogada de Ramires.

A entrada do jogador do Benfica no time é um dos acertos do técnico da Seleção Brasileira na partida contra os chilenos. Depois de colocar Josué no lugar de Felipe Melo no jogo contra Portugal, Dunga optou por Ramires no confronto de ontem. E não poderia ter tomado decisão mais acertada.

Embora o técnico anão já tenha declarado diversas vezes que pra ele Ramires é meia, o ex jogador do Cruzeiro entrou no time como segundo volanteposição que há muito tempo defendo que é onde ele rende mais – e tomou conta do meio de campo da seleção.

Com Ramires, o time ficou mais leve, ganhou em mobilidade e velocidade,  melhorou a saída de bola – defeito crônico desta seleção – e ficou bem mais agressivo. Até Gilberto Silva, companheiro na proteção à zaga, subiu de produção ao lado do volante do Benfica, acertando mais passes e até arriscando eventuais subidas ao ataque.

Pra mim, Ramires foi o melhor jogador da partida e Dunga merece o elogio por sua escalação.

Outro mérito do técnico anão foi colocar Gilberto na lateral esquerda e empurrar Michel Bastos para o meio. A substituição poderia ter sido feita da forma mais simples – colocando o jogador do Cruzeiro no meio, onde geralmente atua, e mantendo o atleta do Lyon na lateral esquerda – mas Dunga teve a sensibilidade fazer o contrário e assim testar Gilberto na lateral e dar poucos minutos para Michel Bastos atuar onde está mais acostumado.

Dois acertos incontestáveis do já não tão contestado Dunga.

Imagem: Fifa

Análises e Palipites das Oitavas de Final – III

Holanda e Eslováquia fazem um dos três confrontos europeus destas oitavas de final. E talvez seja o embate mais desequilibrado entre os times do velho continente.

A Holanda veio com um futebol diferente do que estamos acostumados. Nada de magia e futebol ofensivo, pragmatismo é a palavra da moda para o técnico Bert Van Marwijck. Embora a seleção laranja tenha dois dos melhores jogadores da atualidade – Sneijder e Robben – eles não querem saber de jogar bonito como manda a tradição do futebol holandês, eles querem é ganhar e acabar com a pecha de nadar, nadar e morrer na praia. Se a bola jogada na primeira fase não causou nenhum rebuliço, a segurança com que a Holanda venceu seus jogos me impressionou. É um time pra ficar de olho.

A Eslováquia já fez mais do que se esperava dela. Conseguiu a classificação em um grupo com Itália e Paraguai – onde era considerada a terceira força – e mais, ainda venceu e mandou pra casa a poderosa Squadra Azzurra, atual campeã do mundo. Hamsik, que vinha apagado, já fez uma boa partida contra os italianos e é a grande esperança eslovaca ao lado do artilheiro Róbert Vittek.

Historicamente a Holanda é conhecida por jogar bonito e não ganhar nada, com exceção feita à Eurocopa de 1988. Esta geração quer mudar este rótulo e tem condições técnicas para isto. Ou alguém duvida que um time com Robben, Sneijder e Van Persie pode ser campeão mundial? Pra mim, a Eslováquia encerra sua participação na África do Sul nesta segunda feira.

Meu Palpite: 1 X 0 Holanda.

Brasil e Chile repetem o confronto das oitavas de final da Copa de 1998. Naquela ocasião, Brasil 4 X 1 com dois gols de César Sampaio e dois gols de Ronaldo. Marcelo Salas marcou para os chilenos. Voltando à África do Sul, não haveria melhor adversário para o time de Dunga. O Chile é um time leve, que gosta de jogar e é dirigido por um técnico utópico demais para montar um ferrolho. Bielsa gosta do jogo. E a Seleção do Dunga gosta de adversários assim.

O Brasil passou sem sustos pela primeira fase da Copa. Sem sustos e sem a menor graça. O time de Dunga foi nos 3 jogos aquilo que foi nos últimos 3 anos; forte, vencedor e sem sal. Felipe Melo não deve jogar, o que no final das contas é uma ótima notícia pra quem torce pro Brasil. Josué deve ser seu substituto, tornando o pesado meio de campo brasileiro um pouco mais leve.

Eu gostei do Chile na primeira fase da Copa. Um time bem leve, rápido, que toca muito bem a bola, mas que peca demais nas finalizações das jogadas. A equipe de Marcelo Bielsa terá 3 desfalques no já não tão confiável setor defensivo. O volante Estrada, expulso no jogo contra a Espanha e os zagueiros Ponce e Medel que tomaram o segundo amarelo na mesma partida. O que já era difícil ficou ainda pior.

Confrontando os estilos dos dois times, acho muito improvável que o Chile apronte para cima do Brasil. Acredito que este seja o jogo mais tranquilo para os comandados de Dunga na África do Sul. O Chile é um velho freguês que, agora, tem um time interessante. Mas ainda não é capaz de eliminar o Brasil em um mata mata de Copa.

Meu Palpite: Brasil 4 X 2.

Imagens: NowPublic, Wikimedia Commons, Café com Ciência e Travel Pod.
Efeitos: Picnik

Zebra nas cabeças!

Com os 4 confrontos de oitavas já definidos, temos pelo menos uma surpresa garantida nas semifinais da Copa do Mundo.

O vencedor de Uruguai X Coréia do Sul enfrenta nas quartas o vencedor de Estados Unidos X Gana. Uma destas 4 seleções estará nas semifinais, o que representa uma grande zebra.

Há quem dirá que o Uruguai não é surpresa, afinal nossos vizinhos são bi campeões do mundo. Mas vale lembrar que a Celeste Olímpica não levanta a Taça há 60 anos, não chega a uma semifinal desde 1970 e às oitavas desde 1990. E pela pífia campanha uruguaia nas eliminatórias – onde sofreu até pra passar pela Costa Rica na repescagem – a classificação para uma possível semifinal surpreende e muito.

Destas quatro seleções, a que mais me agradou até aqui foi o Estados Unidos. Um time bem armado, que quase não erra passe e acredita até o fim. A Coréia do Sul não acrescenta muito, é uma equipe disciplinada, mas nada muito além disto.

Gana tem inegáveis qualidades defensivas, uma seleção que concede pouquíssimas chances de gol aos adversários. Em compensação, do meio pra frente só tem perna de pau. E o craque do time, o jovem Dominic Adiyiah, quase não tem chances. Só entrou no jogo contra Alemanha, mas a partida já estava nos acréscimos da etapa suplementar. E do Uruguai já falei, o time vem fazendo uma boa Copa, mas se apertar entrega.

boa notícia pra quem torce pro time do Dunga, se o Brasil confirmar a classificação em primeiro lugar no Grupo G e avançar até as semis, o adversário da seleção canarinho sai deste chaveamento acima. Ou seja, dá pra cravar que se o Brasil chegar à semifinal fatalmente será um dos finalistas na África do Sul.

Imagem: Ora Pois