Champions começa com Barça exuberante!

O Barcelona vinha de uma derrota por 2 X 0 para o pequeno e inexpressivo Hercules, em pleno Camp Nou.

E quando Govou – depois de um passe genial do excelente Djbril Cissé – abriu o placar aos 20 do primeiro tempo, a torcida azul e grená se calou.

Em campo, Xavi olhou pra Iniesta que olhou pra Messi que olhou pra Xavi… e a partir daí foi só beleza.

74% de posse de bola para o Barça que finalizou 29 vezes. O Panathinaikos chutou uma única bola, a do gol do Govou.

Um show do Barcelona, uma verdadeira aula de futebol!

Deleite puro para os olhos de qualquer amante do esporte bretão.

Fora o baile, o 5 X 1 ficou barato para o time grego.

Vídeo: Gol HDTV 1
Anúncios

A arte da defesa

O Barça é o time espetacular dos craques espetaculares. E uma derrota não é capaz de apagar isto.

A Inter não embasa seu jogo no espetáculo, não precisa de aplausos para se satisfazer, basta vencer. E isto não a diminui.

Defender também uma arte. Uma difícil arte.

Um time para ser campeão não precisa ser Barcelona. Até porque – sem Messi, Xavi, Iniesta e companhia –  fazer o que os catalães fazem é utopia.

A Inter fez o que pôde. E o fez com primazia.

Com um jogador a menos e dois gols de vantagem, o que fazer no Camp Nou contra uma Barça de sonhos? Mourinho pensou que a melhor – e talvez a única possível – estratégia seria defender. Com unhas, dentes e coração.

Assim foi a Inter e a proposta de jogo italiana surtiu resultado. O Barça dominou toda a partida, teve 76% de posse de bola, mas pouco ultrapassou o ferrolho interista. Tanto que dos 15 chutes do Barça, apenas 4 foram ao gol de Júlio César.

Defendo até o último dia o estilo vistoso do Barcelona. É este o futebol que eu gosto de ver, o que me dá prazer. Mas entendo que defender faz parte do jogo e não é tarefa nada fácil, ainda mais quando do outro lado estão Messi, Xavi e Ibrahimovic.

Por isto aplaudo a disciplina e a aplicação tática da Inter. A forma como o time italiano se defendeu foi impressionante e digna de elogios. E a classificação foi mais que merecida.

Mesmo assim, pra mim, o Barça segue sendo o melhor time do mundo. E o melhor jogador? Claro que nada mudou, Messi!

Imagens: Corriere della Sera

Que saudades do Eto’o

Ontem, a Inter de Milão, jogando em casa, bateu o Barcelona por 3 X 1 e deu um grande passo para chegar à final Champions, algo que não consegue desde 1972, quando os italianos foram derrotados por 2 X0 pelo histórico time do Ajax (Holanda), tri campeão europeu em 71, 72 e 73.

Mas o que mais doeu ontem não foi a derrota, foi ver Samuel Eto’o esbanjando vontade e categoria pelo lado interista.

Eu sei que Milito fez um gol e deu duas assistências, que Sneijder marcou um e deu o passe para o outro e que Thiago Motta roubou duas bolas que resultaram em tentos para os italianos. Eu sei disto tudo, mas mesmo assim, pra mim, o homem do jogo foi Samuel Eto’o.

Ele não fez gol e não deu assistência, pelo menos não diretamente, mas jogou demais!

Do pé do camaronês saiu o passe para Milito rolar pra Sneijder empatar a partida. E do pé dele saiu o cruzamento para a cabeçada de Sneijder que resultou no gol impedido de Diego Milito. Sem falar que no segundo gol, quem puxou toda a defesa para Maicon entrar livre e marcar foi Eto’o.

O ex centroavante do Barça – que tem 2 títulos de Champions com o time catalão, e marcando nas duas finais – ainda ajudou muito na marcação, combatendo os avanços de Maxwell e Keita pelo lado direito da defesa italiana.

Eto’o vem mostrando que além muito talento, também é capaz de jogar taticamente em função do time, um jogador completo.

E vem fazendo falta ao Barça. Embora Ibra também seja um craque, o futebol de Samuel Eto’o casa muito melhor com o estilo de jogo do time catalão. Ibra joga muito, mas Eto’o também. E o camaronês tem um futebol mais leve, mais fluente, muito mais condizente com o estilo barcelonista.

E confesso, ontem deu saudades…

Imagem: OleOle

Mais uma no calo do Real

Pelo 6º ano consecutivo o Real Madrid caiu nas oitavas de final da UEFA Champions League.

Mas o tormento continua nas quartas, mesmo após a eliminação.

O Bayern de Munique passou pelo poderoso Manchester United. A classificação heróica às semifinais veio dentro do Old Trafford com um gol salvador do holandês Arjen Robben.

Já a Inter de Milão eliminou o CSKA de Moscou tendo como grande protagonista outro holandês, Wesley Sneijder.

Os dois jogadores foram sumariamente dispensados do Real Madrid nesta temporada. Não havia espaço para eles no milionário elenco merengue.

Sorte de Robben e Sneijder, eles foram desdenhados pelo Real, mas agora podem jogar as semifinais do maior torneio de futebol do mundo.

Mais uma no calo merengue que ainda poderá ver o Barça levantar o troféu de bi campeão da Champions em pleno Santiago Bernabéu.

Imagem: Spanish Football Sports

Só um xixizinho…

O Stuttgart precisou de apenas 11 minutos pra definir sua vitória sobre o Unirea Urziceni, pela última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

O restante da partida não passou de burocracia, todos à espera do apito final. Talvez por isto o controverso goleiro alemão Jens Lehmann tenha se entediado e, apertado, não pensou duas vezes para sair de sua meta e fazer aquele xixizinho atrás do gol…

E o detalhe, a balançada veio só depois… com tudo guardado dentro da bermuda…

Gol de técnico

Há uns dez dias o técnico do Nagoya Grampus fez um golaço na partida contra o Yokohama Marinos pela J-League.

O gol, logicamente não valeu, mas mesmo assim merece uma placa no Nissan Stadium.

O autor do gol é o célebre e controverso craque iugoslavo – no mundo de hoje seria sérvio – Dragan Stojkovic.

Pros mais novos, Stojkovic era um daqueles clássicos camisas 10 que hoje quase não existem e pelos quais tanto choram os mais românticos dos críticos. Extremamente técnico, errava no máximo 3 passes por temporada e era capaz de dar lançamentos perfeitos de 50, 60 metros.

Na Copa de 90 Stojkovic foi o grande jogador da Iugoslávia e fez uma partida épica contra a Espanha nas oitavas de final, marcando dois golaços! Ironicamente foi um dos 3 jogadores que perderam os pênaltis que resultaram na eliminação iugoslava nas quartas contra a Argentina.

Um jogador fantástico que na final da Champions League de 1991, atuando pelo Olympique de Marselha, se negou a bater um pênalti contra seu ex clube, o Estrela Vermelha de Belgrado, seu time de coração. Nesta final os iugoslavos ficaram com o título com um 5 X 3 nas penalidades.

Mas 2 anos depois Stojkovic se redimiu com a torcida da riviera francesa e ajudou o mesmo Olympique de Marselha a conquistar a Champions de 93, derrotando o poderoso Milan na decisão.

Sem mais delongas, vale a pena ver o lance do técnico Dragan Stojkovic.

Canal do Youtube: The Jamie Bullen Channel

Conta gotas 2

Baile Catalão

festa catalãO Barcelona atropelou o Bayern de Muique pela primeira partida das quartas de final da Champions League. Foi um verdadeiro baile, 4X0 com gols de Messi (2), Henry e Eto’o. Todos os gols no 1º tempo. Na segunda etapa o time catalão se dedicou apenas ao show. Belos dribles, trocas de passes e muita firula. O Bayern no primeiro tempo parecia um peru em véspera de natal, perdido e sem rumo. No segundo tratou de ver o show barcelonista de pertinho. 

Quase definido, quase

com um pé na semifinalO Chelsea conseguiu uma importantíssima vitória contra o Liverpool na primeira partida das quartas de final da Champions. 3 X 1 de virada em pleno Anfield Road com 2 gols do russo Ivanovic. Drogba fez o 3º. O gol do Liverpool foi marcado pelo espanhol Fernando Torres logo no início da partida. Destaque para o ganês Michael Essien que simplesmente anulou o cérebro vermelho, Steven Gerrard que não viu a cor da bola. E cada dia mais tenho a certeza, se Felipão pudesse ter contado com o volante africano as coisas teriam sido bem diferentes pra ele. Voltando ao confronto, o Chelsea pôs um pé e meio na semifinal. Mas do outro lado tem o Liverpool, então continuo com o quase definido, ou vocês não se lembram de Istambul?

Jogo de um nome só

fenix verdeA esperada partida na Ilha do Retiro entre Sport X Palmeiras foi um jogo de um nome só, Diego Souza. O meia acabou com o jogo, ajudou na marcação e foi responsável por todos os lances de perigo do verdão. Participou da jogada no primeiro gol e fez o seu, aliás, um golaço! Já quase tinha feito um parecido, mas o goleiro Magrão havia evitado com uma belíssima defesa. O Palmeiras vinha jogando esta partida há mais ou menos um mês, desde a derrota pro Colo Colo no Palestra Itália. O jogo de ontem era pra ser o que decretaria a morte do verdão na Libertadores. Esqueceram de avisar ao Diego Souza.

Engarrafado e atropelado

taxi e transito portenhoO Cruzeiro falhou feio na logística para a partida de ontem contra o Estudiantes, pela Copa Libertadores. Primeiro por não ficar na bela La Plata, capital administrativa da província. A cidade possui bons hotéis, não deu pra entender por que o Cruzeiro optou por ficar em Buenos Aires. E o que deu pra entender menos ainda é como a chefia da delegação azul ignorou o caótico trânsito portenho. Resultado, a equipe ficou presa no engarrafamento e chegou atrasada ao estádio. Se do lado de fora o time celeste ficou engarrafada, dentro de campo foi atropelado. 4 X 0 pro Estudiantes com gols de Verón, Gastón Fernández e Sánchez Prette (2). E fim da invencibilidade cruzeirense na temporada.

Cala a boca Klinsmann

em boca fechada nao entra mosquitoUm dia antes da partida contra o Barcelona no Camp Nou, o técnico Jurgen Klinsmann do Bayern de Munique disse à imprensa alemã que não tinha nada desta história de Lionel Messi ser o melhor jogador de futebol do mundo, que o cara mesmo era o francês Frank Ribéry. Não bastasse a bobagem, o ex centroavante da seleção alemã ainda complementou com o desafio: “Amanhã eles se enfrentarão, vocês poderão comprovar o que estou dizendo”. Nada contra o Scarface da bola de quem, admito, também sou fã. Mas não tem comparação com a Pulga, não mesmo. Klinsmann, em boca fechada não entra mosquito.