Um beija flor entre os leões indomáveis

O Giuseppe Meazza nunca mais foi o mesmo depois daquele oito de junho. Quantos derbys dellaa madonnina já passaram, quantos craques já pisaram seu gramado, quantas vezes as redes já balançaram ali, mas nunca mais como naquela mágica tarde de oito de junho.

De um lado os argentinos com toda sua tradição, classe e soberba. Envoltos no manto alviceleste, os hermanos desfilavam pálidos, lúridos, atônitos com tamanho fulgor vindo dos adversários; aqueles verdadeiros leões vestidos de verde, amarelo e vermelho que, com seu negrume, pareciam carregar todas as cores do mundo.

El pibe deoro não conseguia brilhar, era ofuscado pelas presas africanas que logo se converteriam em predadoras, destruindo em segundos a glória de dois mundiais, a história de mais de um século de futebol em terras platinas.

Aos vinte e dois minutos do segundo tempo uma falta que Makanaky desviou meio sem jeito no primeiro pau. A bola subiu, roçou as nuvens de Milão e, provavelmente, foi tocada por um dos Deuses dos estádios, quem sabe Schiavio, quem sabe Santagostino ou até mesmo Meazza.

Quando a esfera atingiu o topo de sua parábola, faltando muito pra voltar ao campo de jogo, François Omam-Biyik saltou e os argentinos o olharam com estranheza. O camisa sete esguio e desengonçado não se deteve com o assombro dos adversários e simplesmente pairou. Durante minutos ficou ali, parado sobre a cabeça de Néstor Sensini, como um beija flor. Sem se importar com o tempo nem com a distância, só esperando pacientemente a bola voltar.

E quando ela voltou bastou um leve toque de cabeça para vencer o goleiro argentino e encher de alegria as redes do San Siro. As cores da África invadiam a Itália, pintavam o mundo.

Naquela tarde de oito de junho, o verde, o amarelo e o vermelho representaram muito mais que a união do continente negro, simbolizaram o conúbio de todo universo da bola com aqueles guerreiros de ébano, com aqueles leões indomáveis.

E entre os leões, havia um beija flor.

Imagem: Kenyan List
Vídeo: Obsessional TV
Anúncios

I Seminário do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa

Neste fim de semana, Belo Horizonte recebe o I Seminário do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa.

O objetivo é discutir os impactos da Copa de 2014 no Brasil e, principalmente, em BH.

Embora a grande mídia apresente a Copa como uma consolidação da estabilidade econômica no país e uma fonte de oportunidades e criação de renda para a população, megaeventos desta magnitude trazem também uma série de interferências sociais que podem culminar em um Estado de Exceção, propício a todos os desmandos e desrespeitos aos direitos humanos e sociais.

Sem falar na torneirinha de dinheiro público que jorra, jorra, sem o menor controle das autoridades que deveriam ser responsáveis pelo correto uso do erário público.

Além dos painéis de debate e dos grupos de trabalho que se formarão no Seminário, o evento terminará com um campeonato de pelada que será realizado na Praça da Estação, um dos espaços públicos de BH com uso mais questionado pela poluação no último ano.

Abaixo, a programação do I Seminário do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa.

Sexta – 13/05

18 Horas – Painel 1 – Os Megaeventos e as violações aos direitos humanos e sociais

Sábado – 14/05

9 Horas – Painel 2 – A Cidade de Exceção e a Copa do Mundo

11 Horas – Painel 3 – Mobilidade Urbana pra quem?

14 – HorasGrupos de Trabalho

18 Horas – Painel 4 – Impactos de economia e urbanística decorrentes da realização do Mundial da Fifa no Brasil

Local dos painéis e dos grupos de trabalho: Auditório da Faculdade de Direito da UFMG (avenida João Pinheiro, 100, centro de Belo Horizonte).

Domingo – 15/05

Copelada – Campeonato de Pelada (inscrições às 15 horas e início dos jogos às 16 horas).

Local do Copelada: Praça da Estação, centro de Belo Horizonte.

O Comitê Popular dos Atingidos pela Copa 2014 é composto por pessoas de diversos setores da sociedade e busca discutir e entender os processos para a realização da Copa do Mundo de 2014. O objetivo do coletivo é fiscalizar e pressionar as autoridades quanto à utilização do dinheiro público na Copa, assim como o usofruto dos benefícios do evento por parte das cidades e suas populações.

Pra quem curte o tema, o Ópio do Povo tem a campanha 2014 – Eu não quero pagar a conta, participe!

Imagens: Comitê Popular dos Atingidos Pela Copa – BH

Convocação da Seleção – A do Dunga e a minha

Amanhã, 11 de maio, sai a convocação dos jogadores que defenderão o Brasil na próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Muitas expectativas e perguntas a respeito da lista do Dunga: Ronaldinho Gaúcho  estará entre os 23 convocados? E os meninos Neymar e Ganso, também vão à África? E quem fica de fora para que eles entrem?

Vindo do técnico anão, não acredito em surpresas. Pra mim, Ganso e Neymar estão fora de cogitação. Embora eu torça para vê-los na lista, não acredito mesmo que serão chamados.

Já sobre Ronaldinho, também não acredito na convocação, mas penso que existe possibilidade. Principalmente se Dunga e Jorginho tiverem desistido de Adriano. Sem o Imperador, cresce a chance do Gaúcho pois abre-se um espaço para mais uma grande estrela, um nome de peso.

A convocação sai amanhã, mas especular não custa nada né? Então aí vão os 23 jogadores que eu acho que serão convocados. Importante ressaltar que são aqueles que eu acredito que estarão na lista do Dunga e não os que eu queria ver por lá. Minha seleção seria bem diferente do time do técnico anão.

Lista do Dunga

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Doni (Roma) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Michel Bastos (Lyon) – Kléber (Inter de Porto Alegre)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Luisão (Benfica) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Josué (Wolfsburg) – Felipe Melo (Juventus) – Elano (Galatasaray) – Kaká (Real Madrid) – Júlio Baptista (Roma) – Ramires (Benfica) – Kléberson (Flamengo)

Atacantes
Robinho (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Nilmar (Villarreal)

Time Base (4-2-3-1)

Então, para que não haja confusão, na sequência apresento aquela que seria a minha convocação!

Lista do Bernardo

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Gomes (Tottenham) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Marcelo (Real Madrid) – Fábio Aurélio (Liverpool)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Alex (Chelsea) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Lucas (Liverpool) – Sandro (Inter de Porto Alegre) – Paulo Henrique Ganso (Santos) – Kaká (Real Madrid) – Ramires (Benfica) – Hernanes (São Paulo)

Atacantes
Neymar (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Alexandre Pato (Milan) – Ronaldinho Gaúcho (Milan)

Time Base (4-1-3-2)

Imagem: Jornalismo 24 Horas

Eu me assumo

junkieO incomparável Fiódor Dostoievski dizia que a história de um homem é a história de seus vícios. Quem me conhece sabe o quanto sou propenso ao vícios, diariamente fumo pelo menos 2 maços de cigarro, tomo 2 litros de café. Sou um contundente comedor de açucar – principalmente na forma de chocolate ou sorvete -, sem falar em tantos outros vícios, alguns lícitos ouros nem tanto, que cultivei e sigo a cultivar ao longo dos anos.

Neste fim de semana pude me deparar, ou pelo menos reconhecer mais um destes vícios.

Sempre gostei muito de futebol, embora não carregue comigo o fanatismo clubístico. Já fui fanático, é verdade, mas em outros tempos. O passar das primaveras e dos carnavais trouxeram pra mim um gosto pelo esporte bretão em seu sentido mais amplo, afastado do amor ao clube e levando o coração a acercar-se da bola propriamente dita.

Mas neste fim de semana não tive mais como fugir. Na manhã fria de domingo assisti, na íntegra, a partida África do Sul X Iraque pela Copa das Confederações. Minha desculpa interna era que queria ver o time do seu Natalino. Simplesmente horrível, não há outra palavra pra definir a partida. Quase tão ruim como aquele fatídico Brasil 0 X 0 Bolívia no Engenhão, pela eliminatórias pra Copa de 2010.

Depois de ver os mais de 90 minutos de África do Sul 0 X 0 Iraque – placar mais que lógico e justo pela bola jogada – não tive outra opção se não encarar de frente, me assumir.

Sou, inveteradamente, viciado em futebol

africa_do_sul_0_X_0_iraque_sofre-bola

Imagens: Twoday e Fifa