O melhor Ronaldinho do ano

Tudo bem que o Flamengo só conseguiu um empate contra o Ceará no Presidente Vargas e acabou desclassificado da Copa do Brasil.

Mas mesmo assim a torcida rubro negra deve ter dormido esperançosa.

Isto porque pela primeira vez na temporada, Ronaldinho foi Ronaldinho.

O camisa 10 rubro negro, assim como todo o time, fez sua melhor partida no ano.

Em 3 oportunidades o Gaúcho deixou seus companheiros na cara do gol, em totais condições de marcar. Na primeira Botinelli isolou a bola, na segunda Thiago Neves balançou as redes e na terceira Wanderley perdeu o gol cara a cara com Fernando Henrique.

E mais importante que os 3 passes decisivos, na hora em que o bicho pegou, Ronaldinho não se escondeu, foi quem mais buscou o jogo, quem mais chamou a bola.

Apesar da decepção pela desclassificação, fica uma ponta de alento para a torcida rubro negra.

Será que Ronaldinho pode voltar a ser Ronaldinho? Não aquele do Barça, que já não existe mais. Mas pelo menos que o camisa 10 volte a ser um jogador decisivo.

Imagem: Zebra Da Hora

Gol de placa? Não, gol de Messi!

O Barcelona venceu o Real Madrid no Santiago Bernabéu, 2 x 0 com 2 gols de Lionel Messi.

O segundo, uma pintura!

Um gol maradoniano que me fez lembrar o gol do eterno 10 argentino em outra semifinal, a da Copa de 86, contra a Bélgica.

site oficial do Barça preferiu a expressão Messídico para ilustar a obra prima do melhor do mundo.

Mas a definição que eu mais gostei foi a do André Kfouri na transmissão da ESPN, “um gol de Messi”, simples assim.

O repórter ainda completou com maestria, “temos que nos acostumar com esta expressão”.

Como se Messi fosse um sinônimo de beleza, de genialidade.

E por acaso não é?
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Messídico!, postado via vodpod

Vídeo: Globo

11 candidatos à craque da Copa

Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo dispensa apresentações. Se Portugal fizer uma boa Copa com certeza ele será um dos protagonistas. Principalmente depois do corte de Nani, todo esquema ofensivo dos lusitanos passa pelo craque do Real Madrid.

Drogba

Drogba é um dos melhores atacantes do mundo e teve uma temporada excelente no Chelsea. Mesmo com o cotovelo quebrado, o centro avante marfinense é um perigo. E Se a Costa do Marfim chegar longe será através de seus gols.

Júlio César

Em uma seleção onde o talento é reduzido, geralmente o brilho recai no sistema defensivo. Ainda mais se seu goleiro é Júlio César. Eu não acredito no Brasil, mas caso o penta vire hexa, Júlio César é o grande candidato à herói.

Maicon

Além de Júlio César, só vejo mais um brasileiro com chances de faturar o título de craque da Copa. E é seu companheiro de Internazionale, Maicon. O lateral vive fase estupenda e hoje é o melhor jogador de linha da pobre seleção do técnico anão.

Messi

Não importa quem ganhe o prêmio da Fifa ou da France Football, Messi é o melhor jogador do mundo, e sobre isto não há discussão. Na África do Sul a pulga terá a chance de mostrar que tembém pode brilhar pela Argentina, mesmo longe de Xavi, Iniesta e companhia. Continue lendo

A Inter tem mais time, mas o Bayern tem o craque

Amanhã, 22 de maio, Internazionale de Milão e Bayern de Munique decidem a Uefa Champions League no Santiago Bernabéu, em Madrid.

9 em cada 10 pessoas que eu converso apostam no time italiano. A exceção geralmente sou eu.

Concordo que a Inter tenha mais time. Também tem o melhor técnico e leva na bagagem a desclassificação dos dois grandes favoritos ao título, Barcelona e Chelsea, pra mim, os dois melhores times do mundo.

A Inter também tem o decisivo Samuel Eto’o e uma defesa que é um verdadeiro paredão com Júlio César no gol, Maicon, Lúcio, Samuel e, provavelmente, Chivu na lateral esquerda. Também tem Cambiasso e Milito em ótima fase.

A Inter tem tudo isto, e não nego. Mas o Bayern tem o craque, o jogador mais capaz de decidir um título. Falo de Arjen Robben.

O holandês reencontrou no Bayern seu melhor jogo, o futebol que encantou o mundo em sua primeira temporada no Chelsea. Arisco, agressivo, driblador e – agora na Alemanha – letal. Robben não está jogando como jogava no Chelsea, está melhor. Sua finalização melhorou demais e a categoria segue a mesma de sempre.

A Inter tem o melhor time, tem mesmo. Mas o Bayern tem o craque. E em uma decisão eu aposto nos craques. Por isto meu palpite é que o Bayern de Munique será o novo campeão europeu.

Imagem: UEFA

Adjetivando o substantivo

Não se trata de aula de gramática, o assunto é futebol, mais precisamente Lionel Messi.

Há quase 4 meses eu não escrevia no Ópio, mas hoje não pude me calar, não depois do que vi o argentino fazer no Camp Nou.

4 gols que o igualam a Rivaldo, maior artilheiro azul e grená em competições européias. 4 gols que o tornaram o 8º maior artilheiro em jogos oficiais de toda história do Barça, deixando pra trás duas lendas, o búlgaro Hristo Stoichkov e o catalão Josep Escolá, mito dos anos 30 e 40 do século passado.

Aqui no Ópio já chamei Messi de gênio, craque, monstro e até Deus um dia ousei. Mas confesso que hoje me faltam palavras, me faltam adjetivos.

Os adjetivos não se enquadram mais a Messi, não há o que dizer. Somente o som cru das palmas se chocando, do coração palpitando a cada drible, a cada passe, a cada gol.

Messi não pode mais ser chamado de craque, de gênio, de monstro. Como seus compatriotas Piazzolla, Borges e Cortázar, ele extrapolou… tornou-se maior que sua própria arte, maior que qualquer adjetivo.

Messi é o melhor, é simplesmente Messi.

Caricatura: André Fidusi

Gol de técnico

Há uns dez dias o técnico do Nagoya Grampus fez um golaço na partida contra o Yokohama Marinos pela J-League.

O gol, logicamente não valeu, mas mesmo assim merece uma placa no Nissan Stadium.

O autor do gol é o célebre e controverso craque iugoslavo – no mundo de hoje seria sérvio – Dragan Stojkovic.

Pros mais novos, Stojkovic era um daqueles clássicos camisas 10 que hoje quase não existem e pelos quais tanto choram os mais românticos dos críticos. Extremamente técnico, errava no máximo 3 passes por temporada e era capaz de dar lançamentos perfeitos de 50, 60 metros.

Na Copa de 90 Stojkovic foi o grande jogador da Iugoslávia e fez uma partida épica contra a Espanha nas oitavas de final, marcando dois golaços! Ironicamente foi um dos 3 jogadores que perderam os pênaltis que resultaram na eliminação iugoslava nas quartas contra a Argentina.

Um jogador fantástico que na final da Champions League de 1991, atuando pelo Olympique de Marselha, se negou a bater um pênalti contra seu ex clube, o Estrela Vermelha de Belgrado, seu time de coração. Nesta final os iugoslavos ficaram com o título com um 5 X 3 nas penalidades.

Mas 2 anos depois Stojkovic se redimiu com a torcida da riviera francesa e ajudou o mesmo Olympique de Marselha a conquistar a Champions de 93, derrotando o poderoso Milan na decisão.

Sem mais delongas, vale a pena ver o lance do técnico Dragan Stojkovic.

Canal do Youtube: The Jamie Bullen Channel

Campanha Vamos Ajudar o Washington

washington-fluminense-anos_80Quem, como eu, foi criança nos anos 80 e curtia futebol certamente há de se lembrar do grande atacante Washington que – juntamente com o ótimo Assis – formava a dupla de ataque do Fluminense que ficou conhecida como Casal 20.

Com eles o Fluminense conquistou seu único título do brasileirão, em 1984. E o bigodudo Washington era sempre figurinha carimbada nos álbuns daquela época.

Washington passa por sério problemas. Foi acometido pela Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), a doença que é conhecida como Mal do Esporte.

A ELA é muito comum em esportistas e os cientistas acreditam que seu surgimento esteja ligado ao excesso de atividade física. O volante polonês Krzystof Nowak que defendeu o Atlético Paranaense em 1996 e 1997 faleceu vítima da enfermidade em 2005, com apenas 29 anos.

Futebol, baseball e triathlon são os esportes com maior incidência da doença.

casal_20-fluminense-assis_e_washington

A Esclerose Lateral Amiotrófica não tem cura e a medicação que atrasa a evolução dos sintomas custa cerca de 1.600 reais, dose relativa a um mês de tratamento.

Washington, como muitos de nossos craques do passado,  não carece de muitos recursos econômicos. Com o intuito de ajudar o ídolo tricolor, o juizforano João Márcio Júnior lançou a campanha Vamos Ajudar o Washington.

Márcio Júnior visitou o ex jogador e levou uma camisa oficial do Fluminense para ser autografada pelo craque. Esta camisa está agora em leilão e toda a renda obtida através da ação será revertida para que o Washington possa adiquirir a medicação necessária ao tratamento.

washington_autografa_camisa-casal_20

Os interessados em adquirir a pérola podem enviar seu lance na camisa (mínimo de 300 reais) para o email joaomarciojr@gmail.com

E pra quem quiser ajudar o ex atacante do Flu sem participar do leilão, segue abaixo a conta – gerenciada por sua filha.

Conta Poupança 7237-0
Agência 2926-2
Banco do Brasil
Titular da Conta: Geovana de Souza Santos (Filha do Washington)
CPF 165.634.415-72

Imagens: Meu Time! e Clássicos