Sem campo pras meninas

logo_copa_libertadores_de_futebol_feminino-fútbol_femenino

A Conmebol resolveu finalmente organizar a primeira edição da Copa Libertadores da América de futebol feminino. O que pra mim não passa de uma obrigação da entidade que é responsável pela difusão e massificação do esporte no continente.

Mas do jeito que o torneio começou, era melhor nem ter feito.

A primeira rodada estava marcada pra tarde deste domingo com

Santos (Brasil) X White Star (Peru)
Caracas (Venezuela) X Everton (Chile)
.

Devido ao clássico Santos X Palmeiras pelo brasileirão a rodada foi remanejada com o confronto entre brasileiras e peruanas remarcado para sábado à noite e a partida entre as venezuelanas e as chilenas para a manhã deste domingo.

No jogo inauguralapós a cerimônia de abertura – transcorreu tudo bem e o Santos estreou na competição continental com vítória por 3 X 1, com gols das craques Marta e Cristiane (2). Nicole descontou para o White Star. Até aí tudo bem.

Mas eis que chegou o domingo.

Por volta das 8 da manhã as atletas do Caracas e do Everton chegaram à Vila Belmiro para jogar a partida que começaria às 9 e meia. E pra surpresa de todas descobriram que, neste domingo, o único duelo que seria disputado na vila mais famosa do mundo seria Santos X Palmeiras pela séria A do brasileirão.

Em um papelão digno de Didi Mocó e companhia, a diretoria santista proibiu a realização da partida alegando que o gramado seria prejudicado para o clássico à tarde. Segundo a cúpula alvinegra, com as chuvas da última semana e a partida do sábado, o gramado da Vila não suportaria mais dois jogos neste domingo.

A solução encontrada foi deslocar as meninas – em cima da hora – para o estádio Ulrico Mursa da Portuguesa Santista.

A atitude mostra o despreparo da Confederação Sulamericana e de suas filiadas nacionais, incapazes de organizarem um campeonato minimamente digno com 8 equipes. Além do descaso e do desrespeito com as jogadoras que já convivem com o semi-profissionalismo ou mesmo o amadorismo absoluto no futebol feminino da América do Sul.

A Conmebol não se pronunciou sobre o incidente. Assim como em sua página oficial não postou a relação das equipes e jogadoras que disputam o torneio, não arrumou a tabela com as datas remarcadas, nem atualizou o resultado da peleja inicial… nada.

print-tabela-libertadores-feminina-conmebol

Bom, como já disse, se era pra fazer assim era melhor nem ter feito.

Imagem: Mundo del Fútbol Femenino

Medíocre dos pés à cabeça

felipe_melo-fiorentina-juventus-seleção_brasileiraQuem me conhece sabe o que penso sobre Felipe Melo, é um jogador medíocre na essência da palavra, médio mesmo.

Com um agravante, pensa que joga mais, mas muito mais, do que realmente joga. E como isto é perigoso.

Ontem à tarde mesmo eu conversava com Thiaguinho – o lesadão – sobre esta característica do volante da Juve e da Seleção Brasileira. Não imagino Felipe Melo fazendo 7 jogos de Copa seguidos – partidas tensas pela natureza e grandeza do torneio – sem ser expulso, fazer um pênalti e entregar pelo menos 2 gols aos adversários.

Como pensa que joga muito mais do que realmente joga tá sempre inventando, dando um calcanhar desencessário, tentando um chapéu em um momento que exige o famoso bola pro mato que o jogo é de campeonato.

Não consigo ver as grandes qualidades dele que a imprensa, de forma geral, tanto exalta. Assim como não concebo a idéia de que ele arrumou o meio de campo da seleção.

Sua saída de bola é só regular e seu passe tembém não passa disto. A chegada na frente e a finalização também não são lá estas coisas e está longe de ser um exímio marcador como muitos têm falado. É violento demais para isto. Bom marcador é aquele que rouba muitas bolas e faz poucas faltas. E ele pára mais jogadas com infrações que propriamente com desarmes.

Ontem depois de sua expulsão Felipe Melo mostrou que não é medíocre só com a bola no pé. Tentando justificar o injustificável – uma desleal solada na coxa do adversário, totalmente desnecessária – veio com a famigerada e ultrapassada frase:

Futebol é coisa pra homem.

Aí ficam as perguntas: Ser homem é dar porrada? Eu não sabia disto… E será que ele não conhece uma tal de Marta? Ou a Cristiane? Ou a Birgit Prinz?…

Tenha dó Felipe Melo, futebol é um esporte como outro qualquer que pode ser praticado tanto por homens como por mulheres.

E vê se aprende com seu companheiro de profissão e de posição, o volante Elias do Corinthians que outro dia, em uma coletiva do time do Parque São Jorge, soltou a seguinte pérola – no bom sentido da expressão:

Futebol masculino é coisa pra homem, assim como o feminino é coisa pra mulher!

Imagem: Blog do Torcedor