O Mal da Copa

Tenho ouvido muitas reclamações sobre a Copa do Mundo.

A bola é horrível, as vuvuzelas são insuportáveis, os gramados estão soltando tufos, a arbitragem erra como sempre e o futebol apresentado é feio como nunca.

Mas pra mim, nada tem sido pior na África do Sul que a atuação dos técnicos.

Javier Aguirre só fez lambança. Escolheu um goleiro titular de um metro e setenta e um, deixando no banco o bom Guillermo Ochoa, do América do México. Utilizou mais o ex jogador Cauahtémoc Blanco que os jovens Chicharito Hernández e Pablo Barrera. Sem falar na inexplicável reserva de Andrés Guardado, melhor meio campista da Seleção Azteca.

Capello não conseguiu fazer o timaço da Inglaterra jogar. Mesmo com Carrick, Barry, Lampard e Gerrard, o meio de campo inglês não existiu na Copa. E o que dizer da preferência por Heskey ao invés de Jermain Defoe ou mesmo Peter Crouch?

Milovan Rajevac, o técnico Rayovac de Gana, inexplicavelmente deixou Sulley Muntari no banco. Eu sei que eles tiveram seus atritos antes do Mundial, mas em hipótese alguma Muntari deveria ficar fora deste time. Ainda mais sem Michael Essien. Outra coisa que não entendo, como o garoto Dominic Adiyiah não tem uma chance pra jogar pelo menos 30 minutos? Ele é bem melhor que qualquer atacante de Gana, até mesmo que o artilheiro Asamoah Gyan.

Bert Van Marwijk tirou Van Persie de campo para colocar Huntelaar e o atacante do Arsenal chiou. Se você já viu o centroavante do Milan jogar você sabe que Van Persie tem razões suficientes para reclamar.

Sobre Marcello Lippi há pouco o que dizer. Basta falar que ele levou para a Copa o miolo de zaga da Juventus, sétima colocada no fraquíssimo Campeonato Italiano. Também poderíamos lembrar que ele deixou de convocar Totti, Balotelli, Cassano, ou que preferia jogar com Iaquinta e Gilardino e deixar Di Natale e Quagliarella no banco, mas enfim.

Não é que Carlos Queiróz tenha montado um esquema defensivo, ele simplesmente traumatizou os jogadores portugueses que agora se negam a entrar na área adversária, os estudiosos andam chamado a enfermidade de golfobia. Brincadeira como Queiróz armou a equipe, dava pena ver o Cristiano Ronaldo jogar completamente isolado neste time.

Dunga paga pela má convocação e com o que possui no banco até que tem se virado bem. Mas fora de campo a mesma grosseria e estupidez de outros carnavais. Esperar o que de um cara que ao levantar a taça de campeão do mundo xingou ao invés de comemorar.

Sven Goran Eriksson foi o confuso professor de sempre. Preferiu o limitado Tiotê ao eficiente Romaric, o travado Dindane ao insinuante Gervinho. Na partida contra o Brasil errou ao deixar Kalou no lado esquerdo, se invertesse o possicionamento do jogador do Chelsea, e ele fosse bater com Michel Bastos, o resultado do jogo poderia ter sido diferente.

Vicente del Bosque nem provou uma formação com Xavi, Iniesta e Fabregas, o que me parece um absurdo. Com três meias deste porte ele tinha que pelo menos tentar jogar com todos eles.

Pra fechar, Raymond Domenech – técnico da França e de longe o maior trapalhão do Mundial da África do Sul. Sobre Domenech não vou falar nada, prefiro dar a palavra ao atacante Nicolas Anelka.

Se os professores gostam mesmo de futebol ou só estão nessa pelo dinheiro e pelo prestígio? Sinceramente não sei.

Imagem: Futuri Campioni Sport Sordi
Anúncios

Os acertos do Dunga

O Brasil passou com facilidade pelo Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, 3 X 0, gols de Juan, Luis Fabiano e Robinho, o último após belíssima jogada de Ramires.

A entrada do jogador do Benfica no time é um dos acertos do técnico da Seleção Brasileira na partida contra os chilenos. Depois de colocar Josué no lugar de Felipe Melo no jogo contra Portugal, Dunga optou por Ramires no confronto de ontem. E não poderia ter tomado decisão mais acertada.

Embora o técnico anão já tenha declarado diversas vezes que pra ele Ramires é meia, o ex jogador do Cruzeiro entrou no time como segundo volanteposição que há muito tempo defendo que é onde ele rende mais – e tomou conta do meio de campo da seleção.

Com Ramires, o time ficou mais leve, ganhou em mobilidade e velocidade,  melhorou a saída de bola – defeito crônico desta seleção – e ficou bem mais agressivo. Até Gilberto Silva, companheiro na proteção à zaga, subiu de produção ao lado do volante do Benfica, acertando mais passes e até arriscando eventuais subidas ao ataque.

Pra mim, Ramires foi o melhor jogador da partida e Dunga merece o elogio por sua escalação.

Outro mérito do técnico anão foi colocar Gilberto na lateral esquerda e empurrar Michel Bastos para o meio. A substituição poderia ter sido feita da forma mais simples – colocando o jogador do Cruzeiro no meio, onde geralmente atua, e mantendo o atleta do Lyon na lateral esquerda – mas Dunga teve a sensibilidade fazer o contrário e assim testar Gilberto na lateral e dar poucos minutos para Michel Bastos atuar onde está mais acostumado.

Dois acertos incontestáveis do já não tão contestado Dunga.

Imagem: Fifa

Com surpresa e sem brilho

Na última terça feira, 11 de maio, Dunga convocou a Seleção Brasileira que disputará a próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Teve surpresa, pelo menos pra mim. Gomes (Tottenham) entrou na vaga de Víctor (Grêmio) e Adriano (Flamengo) perdeu o lugar para Grafite (Wolfsburg).

Estas duas mudanças me surpreenderam, não pelo aspecto técnico. Gomes merece, e muito, a convocação. Fez uma temporada muito boa com o Tottenham que conseguiu a classificação para a próxima Champions League, algo que não acontecia há 49 anos.

A convocação do Grafite eu já defendo faz algum tempo. Um jogador que consegue mesclar força e velocidade, e que tem faro de gol. Mas acho que seu melhor momento já passou. Na temporada passada, quando Grafite destruiu levando o Wolfsburg ao título da Bundesliga e de quebra foi o artilheiro da competição, ele não teve sua chance. Mas depois de uma temporada sem muito brilho, a atual, Grafite garantiu seu lugar na Copa. Vai entender né?

As surpresas aconteceram, mas não foram as que eu e muita gente esperava. As mudanças pouco alteraram e continuamos com um time sem brilho, sem magia. A Seleção Brasileira mais alemã de todos os tempos.

Os 23 de Dunga

Goleiros

Julio César (Inter de Milão), Gomes (Tottenham), Doni (Roma)

Laterais

Maicon (Inter de Milão), Daniel Alves (Barcelona), Michel Bastos (Lyon), Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Milan)

Meio-Campistas

Felipe Melo (Juventus), Gilberto Silva (Panathinaikos), Ramires (Benfica), Elano (Galatasaray), Kaká (Real Madrid), Josué (Wolfsburg), Júlio Baptista (Roma), Kléberson (Flamengo)

Atacantes

Robinho (Santos), Luis Fabiano (Sevilla), Nilmar (Villarreal), Grafite (Wolfsburg)

Pra mim, as grandes ausências da convocação do Dunga são Ronaldinho Gaúcho (Milan), Neymar (Santos) e principalmente a dupla avícola Ganso (Santos) e Pato (Milan). E entre os convocados, os que menos entendo são Doni, Josué, Michel Bastos, Kléberson, Felipe Melo e Gilberto.

Convocação da Seleção – A do Dunga e a minha

Amanhã, 11 de maio, sai a convocação dos jogadores que defenderão o Brasil na próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Muitas expectativas e perguntas a respeito da lista do Dunga: Ronaldinho Gaúcho  estará entre os 23 convocados? E os meninos Neymar e Ganso, também vão à África? E quem fica de fora para que eles entrem?

Vindo do técnico anão, não acredito em surpresas. Pra mim, Ganso e Neymar estão fora de cogitação. Embora eu torça para vê-los na lista, não acredito mesmo que serão chamados.

Já sobre Ronaldinho, também não acredito na convocação, mas penso que existe possibilidade. Principalmente se Dunga e Jorginho tiverem desistido de Adriano. Sem o Imperador, cresce a chance do Gaúcho pois abre-se um espaço para mais uma grande estrela, um nome de peso.

A convocação sai amanhã, mas especular não custa nada né? Então aí vão os 23 jogadores que eu acho que serão convocados. Importante ressaltar que são aqueles que eu acredito que estarão na lista do Dunga e não os que eu queria ver por lá. Minha seleção seria bem diferente do time do técnico anão.

Lista do Dunga

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Doni (Roma) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Michel Bastos (Lyon) – Kléber (Inter de Porto Alegre)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Luisão (Benfica) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Josué (Wolfsburg) – Felipe Melo (Juventus) – Elano (Galatasaray) – Kaká (Real Madrid) – Júlio Baptista (Roma) – Ramires (Benfica) – Kléberson (Flamengo)

Atacantes
Robinho (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Nilmar (Villarreal)

Time Base (4-2-3-1)

Então, para que não haja confusão, na sequência apresento aquela que seria a minha convocação!

Lista do Bernardo

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Gomes (Tottenham) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Marcelo (Real Madrid) – Fábio Aurélio (Liverpool)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Alex (Chelsea) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Lucas (Liverpool) – Sandro (Inter de Porto Alegre) – Paulo Henrique Ganso (Santos) – Kaká (Real Madrid) – Ramires (Benfica) – Hernanes (São Paulo)

Atacantes
Neymar (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Alexandre Pato (Milan) – Ronaldinho Gaúcho (Milan)

Time Base (4-1-3-2)

Imagem: Jornalismo 24 Horas

O Salário dos Professores

Quem acompanha o Ópio sabe do respeito que tenho pela escola italiana de técnicos de futebol. Há muito que defendo o criticado Carlo Ancelotti, só pra ficar em um exemplo.

Não que eu seja retranqueiro, não que eu goste de defesa, mas que os italiaanos sabem armar um time, isto pra mim é inegável.

Outro ponto que venho defendendo aqui é que a Inglaterra, dirigida pelo italiano Fabio Capello, é sim a grande favorita pra Copa do ano que vem, por vários motivos.

Porque joga praticamente em casa (quem conhece a África do Sul sabe o que falo, o país é – até hoje – de propriedade dos ingleses e dos holandeses), por ter o melhor meio de campo do mundo com Barry, Lampard, e Gerrard, por ter Wayne Rooney na frente, por ter John Terry e Ferdinand no miolo de zaga, timaço! Mas também porque a Inglaterra tem em seu comando Fabio Capello.

Hoje vi um post no blog da Marília Ruiz com os salários dos 32 técnicos que estarão no Mundial da África do Sul. O mais bem pago dos 32 professores, Fabio Capello. O segundo, Marcelo Lippi. Nosso treinador anão, Dunga, só aparece na 11ª posição ao lado de Maradona (Argentina), Takeshi Okada (Japão) e Ricki Herbert da Nova Zelândia.

E o mais surprrendente pra mim foi saber que o menor salário dos treinadores da Copa não é do técnico da Coréia do Norte, Kim Jong Hun. O norte coreano é o 31º mais bem pago, à frente do treinador da Nigéria, Shaibu Amodu.

Confira a lista completa no Blog da Marília Ruiz!

Imagem: N K Ashokbharan

Boa convocação!

Dunga convocou nesta terça, dia 27 de outubro, a seleção brasileira que enfrentará Inglaterra e Omã em amistosos nos dias 14 e 18 de novembro respectivamente.

O duelo contra o English Team acontece em Doha no Catar. Já a partida contra Omã será realizada na casa dos adversários da península arábica, na capital Mascate.

Sem poder contar com jogadores que atuam no futebol brasileiro, Dunga convocou 4 surpresas para os jogos na Ásia. O lateral Fábio Aurélio (Liverpool), os meias Carlos Eduardo (Hoffenheim) e Michel Bastos (Lyon) – este último se for utilizado deverá jogar na lateral esquerda, sua posição de origem – e o atacante Hulk do Porto.

Das novidades, acho que Fábio Aurélio há muito já fazia por merecer esta chance e a convocação do Michel Bastos também é muito válida, ele começou a temporada muito bem no Lyon, é um jogador rápido, versátil e moderno. Já Carlos Eduardo e Hulk eu não convocaria. O primeiro é um bom jogador, mas em sua posição temos nomes melhores, Diego da Juventus por exemplo. Já o Hulk vale pelo nome! É um jogador muito forte e tal, mas pra mim não tem bola pra jogar na seleção. No último campeonato português ele marcou 8 gols, na edição deste ano fez 1 e na Champions da atual temporada marcou outros 2; números bem modestos pra um centroavante de referência. Eu preferia ver o Grafite do Wolfsburg ou o Alexandre Pato do Milan.

Mas enfim, em seu todo a convocação é coerente e, de uma forma geral, podemos dizer que é boa.

Abaixo, a lista dos 24 convocados:

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Doni (Roma)

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Inter de Milão)
Luisão (Benfica)
Naldo (Werder Bremen)

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Fábio Aurélio (Liverpool)
Michel Bastos (Lyon)

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Felipe Mello (Juventus)
Josué (Wolfsburg)
Lucas (Liverpool)
Alex (Spartak Moscou)
Ramires (Benfica)
Elano (Galatasaray)
Kaká (Real Madrid)
Júlio Baptista (Roma)
Carlos Eduardo (Hoffenheim)

Atacantes

Luís Fabiano (Sevilla)
Robinho (Manchester City)
Nilmar (Villarreal)
Hulk (Porto)

Zangado_colunista_do_Ópio

 

Zangado é um dos 7 anões da Branca de Neve e mesmo do Reino da Fantasia é o colunista especial do Ópio do Povo para assuntos da seleção brasileira.

Imagem: Grumy Git

Sem grandeza até pra vencer

dunga-caricaturaO futebol é cheio de chavões e frases prontas. Um destes lugares comuns é que na derrota que se conhece os grandes homens.

Então, por analogia óbvia, penso que os pequenos homens se fazem conhecer nas vitórias.

E ontem Dunga mostrou, mais uma vez, que não sabe nem vencer. Após o 4º gol do Brasil o treinador se virou pra arquibancada do Pituaçu aos gritos:

Filha da puta! Fala sua vaca! Vaca!

Que que é isto Dunga? Que que eu vou dizer lá em casa?

Atitude pequena de homem minúsculo, além de nada condizente com o cargo que ocupa, técnico da maior seleção de futebol do mundo.

Sem falar na coletiva após o jogo, áspera, ácida e desprovida de S’s… Dunga não perde a oportunidade de dar uma resposta atravessada nos jornalistas que cobrem a seleção, principalmente naqueles que não são pertencentes à Corporação Global.

Ele foi realmente injustiçado nos anos 90. A tal Era Dunga – termo cunhado pela mídia após a derrota para a Argentina no Delle Alpi de Turim – foi uma covarde forma de designar o insucesso da seleção do Lazaroni naquele Mundial.

Talvez por isto Dunga se mostre tão armado, tão cheio de reservas no convívio com a imprensa. Mas há que se entender o momento. E o de agora em nada se parece com o massacre midiático a que foi exposto em 1990. Pelo contrário, há muito que a imprensa esportiva brasileira não dedicava tantos elogios ao treinador da seleção canarinho, independente de quem ele fosse.

Mesmo assim Dunga segue de escudo na mão e dedos em riste, sempre pronto a atacar.

Mas o torcedor, querido técnico anão, nada tem a ver com isto.

Imagem: Comunidade Moda
Canal do Youtube: johnvjones