O Mal da Copa

Tenho ouvido muitas reclamações sobre a Copa do Mundo.

A bola é horrível, as vuvuzelas são insuportáveis, os gramados estão soltando tufos, a arbitragem erra como sempre e o futebol apresentado é feio como nunca.

Mas pra mim, nada tem sido pior na África do Sul que a atuação dos técnicos.

Javier Aguirre só fez lambança. Escolheu um goleiro titular de um metro e setenta e um, deixando no banco o bom Guillermo Ochoa, do América do México. Utilizou mais o ex jogador Cauahtémoc Blanco que os jovens Chicharito Hernández e Pablo Barrera. Sem falar na inexplicável reserva de Andrés Guardado, melhor meio campista da Seleção Azteca.

Capello não conseguiu fazer o timaço da Inglaterra jogar. Mesmo com Carrick, Barry, Lampard e Gerrard, o meio de campo inglês não existiu na Copa. E o que dizer da preferência por Heskey ao invés de Jermain Defoe ou mesmo Peter Crouch?

Milovan Rajevac, o técnico Rayovac de Gana, inexplicavelmente deixou Sulley Muntari no banco. Eu sei que eles tiveram seus atritos antes do Mundial, mas em hipótese alguma Muntari deveria ficar fora deste time. Ainda mais sem Michael Essien. Outra coisa que não entendo, como o garoto Dominic Adiyiah não tem uma chance pra jogar pelo menos 30 minutos? Ele é bem melhor que qualquer atacante de Gana, até mesmo que o artilheiro Asamoah Gyan.

Bert Van Marwijk tirou Van Persie de campo para colocar Huntelaar e o atacante do Arsenal chiou. Se você já viu o centroavante do Milan jogar você sabe que Van Persie tem razões suficientes para reclamar.

Sobre Marcello Lippi há pouco o que dizer. Basta falar que ele levou para a Copa o miolo de zaga da Juventus, sétima colocada no fraquíssimo Campeonato Italiano. Também poderíamos lembrar que ele deixou de convocar Totti, Balotelli, Cassano, ou que preferia jogar com Iaquinta e Gilardino e deixar Di Natale e Quagliarella no banco, mas enfim.

Não é que Carlos Queiróz tenha montado um esquema defensivo, ele simplesmente traumatizou os jogadores portugueses que agora se negam a entrar na área adversária, os estudiosos andam chamado a enfermidade de golfobia. Brincadeira como Queiróz armou a equipe, dava pena ver o Cristiano Ronaldo jogar completamente isolado neste time.

Dunga paga pela má convocação e com o que possui no banco até que tem se virado bem. Mas fora de campo a mesma grosseria e estupidez de outros carnavais. Esperar o que de um cara que ao levantar a taça de campeão do mundo xingou ao invés de comemorar.

Sven Goran Eriksson foi o confuso professor de sempre. Preferiu o limitado Tiotê ao eficiente Romaric, o travado Dindane ao insinuante Gervinho. Na partida contra o Brasil errou ao deixar Kalou no lado esquerdo, se invertesse o possicionamento do jogador do Chelsea, e ele fosse bater com Michel Bastos, o resultado do jogo poderia ter sido diferente.

Vicente del Bosque nem provou uma formação com Xavi, Iniesta e Fabregas, o que me parece um absurdo. Com três meias deste porte ele tinha que pelo menos tentar jogar com todos eles.

Pra fechar, Raymond Domenech – técnico da França e de longe o maior trapalhão do Mundial da África do Sul. Sobre Domenech não vou falar nada, prefiro dar a palavra ao atacante Nicolas Anelka.

Se os professores gostam mesmo de futebol ou só estão nessa pelo dinheiro e pelo prestígio? Sinceramente não sei.

Imagem: Futuri Campioni Sport Sordi

Os acertos do Dunga

O Brasil passou com facilidade pelo Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, 3 X 0, gols de Juan, Luis Fabiano e Robinho, o último após belíssima jogada de Ramires.

A entrada do jogador do Benfica no time é um dos acertos do técnico da Seleção Brasileira na partida contra os chilenos. Depois de colocar Josué no lugar de Felipe Melo no jogo contra Portugal, Dunga optou por Ramires no confronto de ontem. E não poderia ter tomado decisão mais acertada.

Embora o técnico anão já tenha declarado diversas vezes que pra ele Ramires é meia, o ex jogador do Cruzeiro entrou no time como segundo volanteposição que há muito tempo defendo que é onde ele rende mais – e tomou conta do meio de campo da seleção.

Com Ramires, o time ficou mais leve, ganhou em mobilidade e velocidade,  melhorou a saída de bola – defeito crônico desta seleção – e ficou bem mais agressivo. Até Gilberto Silva, companheiro na proteção à zaga, subiu de produção ao lado do volante do Benfica, acertando mais passes e até arriscando eventuais subidas ao ataque.

Pra mim, Ramires foi o melhor jogador da partida e Dunga merece o elogio por sua escalação.

Outro mérito do técnico anão foi colocar Gilberto na lateral esquerda e empurrar Michel Bastos para o meio. A substituição poderia ter sido feita da forma mais simples – colocando o jogador do Cruzeiro no meio, onde geralmente atua, e mantendo o atleta do Lyon na lateral esquerda – mas Dunga teve a sensibilidade fazer o contrário e assim testar Gilberto na lateral e dar poucos minutos para Michel Bastos atuar onde está mais acostumado.

Dois acertos incontestáveis do já não tão contestado Dunga.

Imagem: Fifa

Com surpresa e sem brilho

Na última terça feira, 11 de maio, Dunga convocou a Seleção Brasileira que disputará a próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Teve surpresa, pelo menos pra mim. Gomes (Tottenham) entrou na vaga de Víctor (Grêmio) e Adriano (Flamengo) perdeu o lugar para Grafite (Wolfsburg).

Estas duas mudanças me surpreenderam, não pelo aspecto técnico. Gomes merece, e muito, a convocação. Fez uma temporada muito boa com o Tottenham que conseguiu a classificação para a próxima Champions League, algo que não acontecia há 49 anos.

A convocação do Grafite eu já defendo faz algum tempo. Um jogador que consegue mesclar força e velocidade, e que tem faro de gol. Mas acho que seu melhor momento já passou. Na temporada passada, quando Grafite destruiu levando o Wolfsburg ao título da Bundesliga e de quebra foi o artilheiro da competição, ele não teve sua chance. Mas depois de uma temporada sem muito brilho, a atual, Grafite garantiu seu lugar na Copa. Vai entender né?

As surpresas aconteceram, mas não foram as que eu e muita gente esperava. As mudanças pouco alteraram e continuamos com um time sem brilho, sem magia. A Seleção Brasileira mais alemã de todos os tempos.

Os 23 de Dunga

Goleiros

Julio César (Inter de Milão), Gomes (Tottenham), Doni (Roma)

Laterais

Maicon (Inter de Milão), Daniel Alves (Barcelona), Michel Bastos (Lyon), Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Milan)

Meio-Campistas

Felipe Melo (Juventus), Gilberto Silva (Panathinaikos), Ramires (Benfica), Elano (Galatasaray), Kaká (Real Madrid), Josué (Wolfsburg), Júlio Baptista (Roma), Kléberson (Flamengo)

Atacantes

Robinho (Santos), Luis Fabiano (Sevilla), Nilmar (Villarreal), Grafite (Wolfsburg)

Pra mim, as grandes ausências da convocação do Dunga são Ronaldinho Gaúcho (Milan), Neymar (Santos) e principalmente a dupla avícola Ganso (Santos) e Pato (Milan). E entre os convocados, os que menos entendo são Doni, Josué, Michel Bastos, Kléberson, Felipe Melo e Gilberto.

Convocação da Seleção – A do Dunga e a minha

Amanhã, 11 de maio, sai a convocação dos jogadores que defenderão o Brasil na próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Muitas expectativas e perguntas a respeito da lista do Dunga: Ronaldinho Gaúcho  estará entre os 23 convocados? E os meninos Neymar e Ganso, também vão à África? E quem fica de fora para que eles entrem?

Vindo do técnico anão, não acredito em surpresas. Pra mim, Ganso e Neymar estão fora de cogitação. Embora eu torça para vê-los na lista, não acredito mesmo que serão chamados.

Já sobre Ronaldinho, também não acredito na convocação, mas penso que existe possibilidade. Principalmente se Dunga e Jorginho tiverem desistido de Adriano. Sem o Imperador, cresce a chance do Gaúcho pois abre-se um espaço para mais uma grande estrela, um nome de peso.

A convocação sai amanhã, mas especular não custa nada né? Então aí vão os 23 jogadores que eu acho que serão convocados. Importante ressaltar que são aqueles que eu acredito que estarão na lista do Dunga e não os que eu queria ver por lá. Minha seleção seria bem diferente do time do técnico anão.

Lista do Dunga

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Doni (Roma) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Michel Bastos (Lyon) – Kléber (Inter de Porto Alegre)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Luisão (Benfica) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Josué (Wolfsburg) – Felipe Melo (Juventus) – Elano (Galatasaray) – Kaká (Real Madrid) – Júlio Baptista (Roma) – Ramires (Benfica) – Kléberson (Flamengo)

Atacantes
Robinho (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Nilmar (Villarreal)

Time Base (4-2-3-1)

Então, para que não haja confusão, na sequência apresento aquela que seria a minha convocação!

Lista do Bernardo

Goleiros
Júlio César (Inter de Milão) – Gomes (Tottenham) – Victor (Grêmio)

Laterais
Maicon (Inter de Milão) – Daniel Alves (Barcelona) – Marcelo (Real Madrid) – Fábio Aurélio (Liverpool)

Zagueiros
Lúcio (Inter de Milão) – Juan (Roma) – Alex (Chelsea) – Miranda (São Paulo)

Volantes e Meias
Gilberto Silva (Panathinaikos) – Lucas (Liverpool) – Sandro (Inter de Porto Alegre) – Paulo Henrique Ganso (Santos) – Kaká (Real Madrid) – Ramires (Benfica) – Hernanes (São Paulo)

Atacantes
Neymar (Santos) – Adriano (Flamengo) – Luís Fabiano (Sevilla) – Alexandre Pato (Milan) – Ronaldinho Gaúcho (Milan)

Time Base (4-1-3-2)

Imagem: Jornalismo 24 Horas

O Salário dos Professores

Quem acompanha o Ópio sabe do respeito que tenho pela escola italiana de técnicos de futebol. Há muito que defendo o criticado Carlo Ancelotti, só pra ficar em um exemplo.

Não que eu seja retranqueiro, não que eu goste de defesa, mas que os italiaanos sabem armar um time, isto pra mim é inegável.

Outro ponto que venho defendendo aqui é que a Inglaterra, dirigida pelo italiano Fabio Capello, é sim a grande favorita pra Copa do ano que vem, por vários motivos.

Porque joga praticamente em casa (quem conhece a África do Sul sabe o que falo, o país é – até hoje – de propriedade dos ingleses e dos holandeses), por ter o melhor meio de campo do mundo com Barry, Lampard, e Gerrard, por ter Wayne Rooney na frente, por ter John Terry e Ferdinand no miolo de zaga, timaço! Mas também porque a Inglaterra tem em seu comando Fabio Capello.

Hoje vi um post no blog da Marília Ruiz com os salários dos 32 técnicos que estarão no Mundial da África do Sul. O mais bem pago dos 32 professores, Fabio Capello. O segundo, Marcelo Lippi. Nosso treinador anão, Dunga, só aparece na 11ª posição ao lado de Maradona (Argentina), Takeshi Okada (Japão) e Ricki Herbert da Nova Zelândia.

E o mais surprrendente pra mim foi saber que o menor salário dos treinadores da Copa não é do técnico da Coréia do Norte, Kim Jong Hun. O norte coreano é o 31º mais bem pago, à frente do treinador da Nigéria, Shaibu Amodu.

Confira a lista completa no Blog da Marília Ruiz!

Imagem: N K Ashokbharan

Boa convocação!

Dunga convocou nesta terça, dia 27 de outubro, a seleção brasileira que enfrentará Inglaterra e Omã em amistosos nos dias 14 e 18 de novembro respectivamente.

O duelo contra o English Team acontece em Doha no Catar. Já a partida contra Omã será realizada na casa dos adversários da península arábica, na capital Mascate.

Sem poder contar com jogadores que atuam no futebol brasileiro, Dunga convocou 4 surpresas para os jogos na Ásia. O lateral Fábio Aurélio (Liverpool), os meias Carlos Eduardo (Hoffenheim) e Michel Bastos (Lyon) – este último se for utilizado deverá jogar na lateral esquerda, sua posição de origem – e o atacante Hulk do Porto.

Das novidades, acho que Fábio Aurélio há muito já fazia por merecer esta chance e a convocação do Michel Bastos também é muito válida, ele começou a temporada muito bem no Lyon, é um jogador rápido, versátil e moderno. Já Carlos Eduardo e Hulk eu não convocaria. O primeiro é um bom jogador, mas em sua posição temos nomes melhores, Diego da Juventus por exemplo. Já o Hulk vale pelo nome! É um jogador muito forte e tal, mas pra mim não tem bola pra jogar na seleção. No último campeonato português ele marcou 8 gols, na edição deste ano fez 1 e na Champions da atual temporada marcou outros 2; números bem modestos pra um centroavante de referência. Eu preferia ver o Grafite do Wolfsburg ou o Alexandre Pato do Milan.

Mas enfim, em seu todo a convocação é coerente e, de uma forma geral, podemos dizer que é boa.

Abaixo, a lista dos 24 convocados:

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Doni (Roma)

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Inter de Milão)
Luisão (Benfica)
Naldo (Werder Bremen)

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Fábio Aurélio (Liverpool)
Michel Bastos (Lyon)

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Felipe Mello (Juventus)
Josué (Wolfsburg)
Lucas (Liverpool)
Alex (Spartak Moscou)
Ramires (Benfica)
Elano (Galatasaray)
Kaká (Real Madrid)
Júlio Baptista (Roma)
Carlos Eduardo (Hoffenheim)

Atacantes

Luís Fabiano (Sevilla)
Robinho (Manchester City)
Nilmar (Villarreal)
Hulk (Porto)

Zangado_colunista_do_Ópio

 

Zangado é um dos 7 anões da Branca de Neve e mesmo do Reino da Fantasia é o colunista especial do Ópio do Povo para assuntos da seleção brasileira.

Imagem: Grumy Git

Sem grandeza até pra vencer

dunga-caricaturaO futebol é cheio de chavões e frases prontas. Um destes lugares comuns é que na derrota que se conhece os grandes homens.

Então, por analogia óbvia, penso que os pequenos homens se fazem conhecer nas vitórias.

E ontem Dunga mostrou, mais uma vez, que não sabe nem vencer. Após o 4º gol do Brasil o treinador se virou pra arquibancada do Pituaçu aos gritos:

Filha da puta! Fala sua vaca! Vaca!

Que que é isto Dunga? Que que eu vou dizer lá em casa?

Atitude pequena de homem minúsculo, além de nada condizente com o cargo que ocupa, técnico da maior seleção de futebol do mundo.

Sem falar na coletiva após o jogo, áspera, ácida e desprovida de S’s… Dunga não perde a oportunidade de dar uma resposta atravessada nos jornalistas que cobrem a seleção, principalmente naqueles que não são pertencentes à Corporação Global.

Ele foi realmente injustiçado nos anos 90. A tal Era Dunga – termo cunhado pela mídia após a derrota para a Argentina no Delle Alpi de Turim – foi uma covarde forma de designar o insucesso da seleção do Lazaroni naquele Mundial.

Talvez por isto Dunga se mostre tão armado, tão cheio de reservas no convívio com a imprensa. Mas há que se entender o momento. E o de agora em nada se parece com o massacre midiático a que foi exposto em 1990. Pelo contrário, há muito que a imprensa esportiva brasileira não dedicava tantos elogios ao treinador da seleção canarinho, independente de quem ele fosse.

Mesmo assim Dunga segue de escudo na mão e dedos em riste, sempre pronto a atacar.

Mas o torcedor, querido técnico anão, nada tem a ver com isto.

Imagem: Comunidade Moda
Canal do Youtube: johnvjones

Eu sou mais 82!

Ontem recebi este excelente vídeo do grande amigo Matheus Amzalak – que o outro grande amigo Fernandinho Carnaval carinhosamente apelidou de O Menino Maluquinho.

Foi impossível não comparar.

Dunga não perde a oportunidade de alfinetar a fantástica geração de 82, sempre lembrando que os pupilos do mestre Telê Santana nunca ganharam uma Copa do Mundo.

É verdade que eles não levaram o mundial da Espanha, aliás, esta turma de craques passou pela seleção sem levantar nenhuma taça oficial, nem mesmo uma Copa América.

São coisas da bola.

Mas nem por isto a geração de Zico, Sócrates, Éder Aleixo, Júnior, Falcão e Luisinho pode ser diminuída.

27 anos depois da fatídica derrota para a Itália do endiabrado Paolo Rossi, o Brasil e o mundo continuam a reverenciar este time que encantou a todos nos gramados da Espanha.

Já a seleção do Tetra – mesmo vitoriosa – não recebe um décimo das homenagens e piropos destinados ao time de 82.

Resumo da ópera: Os títulos entram para a história, mas a beleza do jogo fica guardada em nossos corações.

O futebol é disparadamente o esporte mais lúdico que já inventou nossa medíocre humanidade.

E por esta característica lúdica, quem ama futebol de verdade considera o ganhar como uma coisa quase secundária. Claro que é ótimo vencer. Mas bom mesmo é jogar, brincar, se divertir. Esta é a essência do jogo. Não a vitória a qualquer custo.

E como costuma dizer outro mestre – Fernando Calazans – se o Zico nunca venceu uma Copa do Mundo, azar das Copas!

Por estas e por outras é que eu sou mais 82!

Canal do Youtube: Sebfootball

Sem confetes nem purpurinas

confetes-purpurinas-serpentinas-carnavalSempre fui tachado de utópico por minhas convicções políticas. E quando o assunto é futebol, muitos dos meus poucos amigos me rotulam como romântico. O que, sinceramente, não concordo, embora respeite a opinião deles.

Pra mim não se trata de romantismo e utopia, mas simplesmente da forma como enxergo o mundo, como vejo as coisas. Não tenho culpa se a obra prima As Veias Abertas da América Latina me influenciou e me ensinou mais sobre a história que todos os livros didáticos da minha vida escolar juntos.

No futebol também tenho minhas preferências, minhas influências. Prefiro por exemplo o estetismo sem títulos dos times do Wenger à eficiência catedrática das equipes do contestado – mas vitorioso – Carlo Ancelotti.

Em clubes até entendo a obsessão pela vitória, mesmo que ela não precise ser acompanhada por aplausos. Mas quando tratamos de seleção, aí não!

Uma seleção joga mais ou menos 10 partidas por ano. Então me digam, faz algum sentido tirarmos os melhores jogadores de seus clubes – que pagam seus salários – pra jogarmos única e exclusivamente pra vencer? Pra mim não.

Pra mim as seleções devem servir para mostrar e ratificar o estilo de jogo de um país. A reunião dos grandes craques de uma nação com o objetivo único de jogar bola. Do jeito que o povo gosta, do jeito que o povo quer. As seleções, principalmente em países que cultuam tanto o futebol como o Brasil, deveriam constituir um traço da identidade cultural do país. E não ser uma máquina burocrática que só visa a vitória… e  o pior, a vitória a qualquer custo.

Por isto registro aqui meus parabéns à classificação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo da África do Sul. Também parabenizo o ex companheiro Dunga pelos resultados no comando do escrete canarinho, mas só por isto.

garrincha-elza_soares

A vitória sobre a Argentina foi grandiosa, histórica, disto não restam dúvidas. Mas não consigo apreciar o futebol da seleção do Dunga. Um time que se posta atrás e que é realmente fulminante nos contra ataques e letal nas bolas paradas. Mas não passa daí. Um time que – tristemente – não dribla, que não tem a cara do Brasil, do futebol brasileiro.

E até a tal solidez defensiva da seleção eu questiono. Ou será que já nos esquecemos dos vareios de bola que tomamos do Paraguai em Assunção, do Uruguai em pleno Morumbi e, principalmente, em Quito quando o Equador chutou nada mais nada menos que 39 bolas contra nossa meta. Ah se não fosse Júlio César, este sim é sólido!

Sem falar na fatídica derrota pra Venezuela, no aperto que tomamos do Canadá e do Egito e da sequência de partidas sem gols jogando em território nacional.

Por tudo isto volto parabenizar a classificação para a Copa e os resultados que, não se pode negar, são realmente ótimos.

Mas meus parabéns não levam consigo nem confetes nem purpurinas.

zangado_7_anoes grumpy_7_dwarfsZangado é um dos 7 anões da Branca de Neve e mesmo do Reino da Fantasia é o colunista especial do Ópio do Povo para assuntos da seleção brasileira.

Imagens: Novas Estações,
Papo de Homem
e Grumy Git

No, we can’t

obama-yes-we-can-verde_amareloO Brasil sagrou-se campeão da Copa das Confederações após vencer na final o Estados Unidos por 3 X 2. E de virada!

Antes de mais nada parabéns a este grupo – incluindo aí a comissão técnica encabeçada por Dunga –  tão criticado e que mantém sua vitoriosa trajetória de bons resultados e futebol pra lá de duvidoso.

Congratulações à parte queria levantar dois pontos:

O primeiro é a exacerbada euforia da imprensa oficial, leia-se Globo e seu filhote Sportv. Assistindo alguns programas da rede de comunicação global parecia que havíamos ganhado uma Copa do Mundo e só eu não sabia que já estávamos em 2010.

Coloquemos os pingos nos is, a Copa das Confederações é um torneio secundário de nível técnico bastante discutível. Nesta edição por exemplo, tínhamos 3 seleções do primeiro escalão do futebol mundial – Brasil, Itália e Espanha. Duas equipes que podemos colocar aí num terceiro escalão da bola – Egito e Estados Unidos. E 3 seleções que, se jogasem nosso brasileirão, suariam para se manter na terceira divisãoIraque, África do Sul e Nova Zelândia.

Mas o que mais me chamou a atenção na vitória brasileira na final da Copa das Confederações não foi a grande virada, nem o magnífico gol do Luís Fabiano, nem mesmo o ufanismo piegas da nossa mídia oficial. Foi o galáctico Kaká evocando Barack Obama.

Segundo conta a lenda do título, no intervalo – quando o Brasil perdia por 2 X 0Kaká motivou o grupo utilizando-se do slogan da campanha eleitoral do atual presidente estadounidense, o famoso e reptido Yes we can.

Duro é saber que a seleção brasileira de futebol precise recorrer a discursos motivacionais para vencer o Estados Unidos. A vitória contra a seleção estadounidense deveria ser óbvia, mais que natural.

Por isto Kaká, Dunga e todos os defensores da ideologia do resultado,

não, nós não podemos ser assim!

A seleção brasileira merece mais que somente os 3 pontos no final da partida.

zangado_7_anoes grumpy_7_dwarfsZangado ainda vive com a Branca de Neve, é apaixonado e viciado por futebol.

Tanto que se tiver que escolher entre jogar bonito ou ganhar, não hesita em escolher a primeira opção.

Como conhece Dunga intimamente, fruto de anos de convivência, é nosso colunista especial para Seleção Brasileira.

Imagens: Diabolim e Grumy Git

Dunga, troca de canal!

football globe futebol_globalUm dia antes da estréia brasileira na Copa das Confederações vi uma entrevista do Dunga falando sobre sua futura adversária, a Seleção do Egito.

Na hora comentei com a Brancaele nunca viu o Egito jogar.

Dunga disse que a seleção faraó se destacava por uma marcação muito forte no meio de campo, além de suas rápidas escapadas laterais em jogadas de contra ataques. Clichês e desinformação, é tudo o que continha a análise do técnico anão.

O time do Egito – sob o comando do treinador Hassan Shehata que, aliás, é a cara do Omar Sharif mais jovem – se notabiliza pelo bom toque de bola no meio de campo e pelo futebol ofensivo, principalmente quando está em campo seu trio de ouro formado por Amr Zaki (uma das sensações da temporada inglesa), Abu Trika e Mohamed Zidan. Um time que gosta de jogar e deixar jogar. O oposto do que disse Dunga.

É impressionante como todo técnico fala a mesma coisa quando analisa um adversário que não conhece:

É um time que marca muito forte e sai muito rápido nos contra ataques. Tem atacantes muito velozes, fortes.

Geninho, treinador pra lá de preguiçoso, é mestre neste tipo de análise.

E sobre o contra ataque, vamos falar sério Dunga, em via de regra os contra ataques acontecem pelas beiradas do campo, algo bem lógico que aprendemos nos primeiros dias de escolinha.

É uma pena que a comissão técnica brasileira seja tão desinformada quanto ao futebol mundial. Levando-se em conta que a seleção brasileira se reúne umas 8 vezes por ano, gostaria de saber o que eles fazem com tanto tempo livre. Já que, ao que parece,acompanhar futebol por aí não é a deles.

O Egito não é nenhuma potência da bola, é verdade. Mas é bi campeão africano, vencendo em uma das finais o time de Camarões comandado pelo astro internacional Samuel Eto’o. Tá cheio de jogadores do Al-Ahly que tá sempre no Mundial Interclubes, além de contar com algumas figurinhas conhecidas do futebol europeu.

Po exemplo, não conhecer Mohamed Zidan – pra quem vive no e do futebol – é uma vergonha. O cara já jogou 3 temporadas pelo Werder Bremen e é camisa 10 do Borussia Dortmund, um dos principais times da Alemanha.

Se você não sabe Dunga, a Bundesliga é transmitida pela ESPN, assim como a Copa Africana de Nações, realizada de dois em dois anos .

Talvez esteja na hora de trocar de canal meu amigo, deixar de ver os bitolados do Sportv e prestar atenção, mesmo que só um pouquinho, no futebol que se joga hoje em dia pelo mundo.

zangado_7_anoes grumpy_7_dwarfs

∞ Zangado ainda vive com a Branca de Neve.

Amante do futebol, escreve para o Ópio do Povo sobre a seleção brasileira.

Imagens: Dreamstime e Grumy Git

A convocação do Dunga e o som da corneta

zangado 7 anoesMeu ex companheiro de conto de fadas convocou hoje a seleção brasileira que disputará as partidas contra Uruguai e Paraguai pelas eliminatórias e a Copa das Confederações na África do Sul

Agora que a Copa do Brasil chega às semifinais e a Libertadores às quartas, o técnico anão resolveu convocar jogadores que atuam em território nacional. Só pra avacalhar!

Tirou Kléber (Inter), Nilmar (Inter) e André Santos (Corinthians) da Copa do Brasil, Ramires (Cruzeiro) e Víctor (Grêmio) do torneio intercontinental. O goleiro gremista pra mim é o pior dos casos pois se trata de um jogador que dificilmente terá oportunidade de jogar na seleção e faz uma falta danada ao tricolor gaúcho. Com Júlio César (Inter de Milão) e Gomes (Tottenham) no grupo, duvido muito que Víctor seja aproveitado. Então deixa o menino jogar a Libertadores!

A lateral esquerda segue sendo a pior posição do escrete canarinho. André Santos foi convocado em seu pior momento desde que chegou ao Corinthians, nem o Mano tem tido paciência com ele. Kléber não chega à linha de fundo ofensiva há mais ou menos uns 3 anos. E Fábio Aurélio, que fez ótima temporada no Liverpool, continua esquecido.

Quanto a Nilmar e Ramires não dá pra condenar, mesmo prejudicando suas equipes. Os dois estão jogando demais, sobrando no futebol brasileiro e já mereciam esta convocação há muito tempo. Aliás, bom a torcida celeste aproveitar as partidas que antecedem a apresentação de Ramires. Serão as últimas, pois hoje foi anunciado o negócio com o Benfica de Portugal, 7 milhões e meio de euros. O Cruzeiro tem direito apena a 30% disto, cerca de 2 milhões, 250 mil euros.

dunga 2008 tecnico seleção brasileiraO ponto alto do Dunga foi seguramente não ter convocado Ronaldinho Gaúcho. Ninguém sentiu falta. Mas algumas figurinhas carimbadas que tiveram uma temporada pífia continuam com cadeira cativa no grupo do técnico anão. Continuo discordando frontalmente do meu ex companheiro nas convocações de Gilberto Silva (Panathinaikos), Felipe Melo (Fiorentina), Elano (Manchester City), Luisão (Benfica) e incluo Robinho (Manchester City) nesta lista também. Hoje, eu não convocaria Robinho.

Vamos a convocação do Dunga e, logicamente, às minhas cornetadas!

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Gomes (Tottenham)
Víctor (Grêmio).

Deixaria Víctor disputar a Libertadores e levaria o Diego (Almeria) ou mesmo o Rubinho (Genoa).

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Kléber (Inter)
André Santos (Corinthians)

Do lado direito não há o que questionar, mas do esquerdo… Trocaria Kléber e André Santos por Fábio Aurélio (Liverpool) e mais algum, quem? Sinceramente não sei, pensei no Adriano (Sevilla), mas faz muito tempo que ele não atua pela lateral. Ah se o Evra fosse brasileiro…

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Bayern de Munique)
Alex (Chelsea)
Luisão (Benfica)

Luisão é uma brincadeira, até o Atchim sabe disto. Levando-se em conta a imposibilidade de levar Miranda (São Paulo), no lugar do zagueiro do Benfica eu testaria o Naldo (Werder Bremen) ou o Felipe (Udinese). Este último é pouco conhecido aqui, tem 24 anos e é um zagueiraço. E podem anotar, se não jogar pela seleção brasileira já já vestirá a camisa da Azzurra. 

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Anderson (Manchester United)
Josué (Wolfsburg)
Elano (Manchester City)
Kaká (Milan)
Júlio Baptista (Roma)
Ramires (Cruzeiro)
Felipe Melo (Fiorentina)

Elano é mais que reserva no fraquinho Manchester City, segue na seleção porque é quase um amuleto do técnico anão. Felipe Melo é um jogador, com muita boa vontade, medíocre na essência da palavra, médio mesmo. Gilberto Silva tem todo meu respeito, jogou muito na Copa de 2002, no América mineiro. No Galo e nos primeiros anos de Arsenal comeu a bola! Mas já deu né? Muito obrigado Gilberto Silva, mas acho que o tempo dos volantões já passou. Pra estes 3 lugares eu levaria Lucas (Liverpool), Denílson (Arsenal) e Diego, recentemente transferido para Juventus de Turim. Se o Palmeiras não estivesse na Libertadores também consideraria o versátil e eficiente Cleiton Xavier.

Atacantes

Pato (Milan)
Nilmar (Inter)
Robinho (Manchester City)
Luís Fabiano (Sevilha)

Sinceramente, eu também daria um tempo do Robinho na seleção. O jogador não vem jogando nada e futebol parece ser a última coisa em que ele pensa ultimamente. O negócio é que a fase não anda muito boa pros atacantes brasileiros. Aqui, Nilmar é disparado o melhor. Lá fora, a melhor temporada não é nem do Pato nem do Fabuloso, é do Grafite (Wolfsburg). O ex jogador do São Paulo e do Goiás é artilheiro do campeonato alemão com 26 gols, alguns deles lindíssimos, e ainda briga com Eto’o pela Chuteira de Ouro da Europa, prêmio dado ao maior goleador dos campeonatos nacionais no velho continente. E, como simpatizo com o cara, ta aí, daria uma chance pro Grafite.

Bem amigos, estas são as minhas considerações. E quais são as suas?  

Foto original: Estadão

Opções pra seleção

Zangado nosso novo colunista!

Zangado, nosso novo colunista!

É com prazer que estréio minha coluna aqui no Ópio do Povo. Confesso que foi com enorme alegria e surpresa que recebi o convite do Bernardo. Espero não decepcionar os comedores de ópio

O que poucos sabem é que eu sempre fui o anão que manjava de futebol. No nosso time – Toquinhos Futebol Clube – eu era o camisa 10, o cérebro pensante dentro de campo. Além de exercer, paralelamente, a função de técnico e manager.

Na nossa equipe o Dunga era apenas um cabeça de área, nem volante conseguia ser. Um carregador de piano sem muito brilho, sem muitos recursos técnicos. Tanto que até hoje a venda dele pro Inter de Porto Alegre, que aconteceu na minha gestão, é considerada a melhor transação na história do futebol na nossa Terra, o equivalente à venda do Fábio Júnior pra Roma, se lembram?

Uma de suas características mais marcantes, além das poucas palavras, sempre foi sua famosa teimosia. Tinha dia que nem a Branca de Neve pra fazê-lo mudar de opinião, dureza.

Essa teimosia se nota na forma como Dunga se casou com o esquema da moda, o 4-2-3-1. Até contra o inofensivo Peru o treinador não abriu mão dos 2 cabeças de área leões de chácara

Seleção do Dunga
seleçao do dunga Nada contra o esquema, a seleção espanhola joga assim e há um pensamento, quase unânime, que a Fúria vem jogando o melhor futebol entre todas seleções do mundo desde 2006. Mas o Brasil, com a grande variedade de bons jogadores que tem, poderia muito bem pensar em outras variações de jogo.

Abaixo apresentarei algumas delas, na mantenho a formação do ex companheiro de Toquinhos FC, mas com algumas opções que poderiam deixar o time mais leve, mais solto.

4-2-3-1 do Zangado
seleção brasileira 4-2-3-1 Zangado4-4-2 com losango
seleção zangado 4-4-2 losango4-4-2 com quadrado
seleção zangado 4-4-2 quadrado4-3-3 com 2 volantes
seleção zangado 4-3-3 com 2 volantes4-3-3 com 2 meias
seleção zangado 4-3-3 com 2 meias4-1-4-1
seleção zangado 4-1-4-1

 E pra não ficar em cima do muro, aí vai a minha seleção ideal!
seleção brasileira ideal do Zangado 

O Anão que entende de futebol

zangado 7 anoesCansado de falar do futebolzinho do time do Dunga, resolvi trazer um convidado ao Ópio para ficar por conta de nossa seleção.

Zangado, o anão que entende de futebol!

Ele mesmo, o mais rabugento dos companheiros da Branca de Neve é quem será o responsável pelas análises do escrete canarinho no Ópio.

Eu me cansei do técnico anão e deste futebolzinho amarrado, triste e previsível da seleção.

Por isto abro este espaço, a Coluna do Zangado, pra quem ainda tem paciência pra ver as enfadonhas partidas que em nada se parecem com o jogo que eu gosto

E se perguntarem por que o Zangado?

Por duas razões. Uma pra não dizerem que eu pego no pé, nada melhor que um ex companheiro do Dunga.

E a outra, mais óbvia, porque ele é o Anão que entende de futebol!

Felipão demitido do Chelsea

E não deu, a Scolari Family não pegou em Nothing Hill.

Felipão não é mais o técnico do Chelsea.

O anúncio oficial saiu agora há pouco, em nota no sítio do time londrino.

Aquele mesmo papo de sempre, agradecemos seu trablho, agregou muito ao clube, mas não dá mais.

No lugar de Felipão, quem assume o time temporariamente é o assistente técnico Ray Wilkins, ex jogador do clube de Stamford Bridge e do English Team

O certo é que Felipão vinha balançando há tempos. Uns dizem que pelos resultados, outros por boicote do grupo. Ainda tem aqueles que acreditam que o maior empecilho foi a língua e aqueles que pensam que o grande problema foi o estilo paizão do gaúcho.

Felipão está agora disponível no mercado. E a pressão aumenta em cima de Dunga.

The Scolari Family no Chelsea:

36 jogos – 20 vitórias – 11 empates – 5 derrotas – 65,74% de aproveitamento