O filho do seu Iomar

thiago_alcantara barcelona-cropIbrahimovic estreou com a camisa do Barça no Troféu Joan Gamper, contra o badalado e endinheirado Manchester City. Ibra não fez gol e o Barcelona saiu de campo derrotado por 1 X 0, gol do búlgaro Martin Petrov.

Apesar da derrota, o Barça dominou toda a partida e a dupla Messi-Ibra deu algumas pequenas amostras do que poderá fazer nesta temporada.

Quem deixou ótima impressão pra torcida azul grená e para o técnico Pep Guardiola foi o jovem meia Thiago Alcântara. O garoto de apenas 18 anos atuou como gente grande, com ótima visão e distribuição de jogo, bem ao estilo de seu pai.

Thiago Alcântara é filho de Iomar do Nascimento. Ainda não sabe quem é o pai da criança?

mazinho-seleçao_brasileiraO Mazinho, campeão da Copa de 94 com o Brasil. Pros mais novos, Mazinho surgiu no Santa Cruz e alcançou grande destaque na lateral do Vasco, onde foi campeão brasileiro em 1989.

Também jogou na Fiorentina, Valencia e Celta de Vigo entre outros, mas pra mim seu auge foi no Palmeiras nos primeiros anos de Parmalat. Lá ele foi bi campeão brasileiro em 93 e 94.

E foi no Verdão que Mazinho descobriu-se um excelente volante, fazendo uma inesquecível dupla na cabeça de área palestrina com César Sampaio.

Hoje Mazinho dirige o Aris Tessalônica da Grécia, ao lado do ex volante hispano brasileiro Donato, que fez nome jogando no Deportivo La Coruña.

Voltando a seu filho, Thiago, o menino mostra qualidades de jogo muito parecidas ao pai quando jogava pelo meio, porém com mais agressividade, mais pra meia que pra volante.

Thiago nasceu na Itália, na época em que Mazinho defendia o Lecce. Antes de jogar pelo Barça passou pela base do Flamengo e pelo Ureca, um pequeno clube da Galícia.

E antes que os cartolas brasileiros cresçam o olho, Thiago já tem nacionalidade espanhola e desde as categorias de base defende a Fúria, seleção pela qual sagrou-se campeão europeu Sub 17 em 2008.

thiago_alcantara-furia-seleção_espanhola

Imagens: Barça Transfer Zone e Sporting Heroes
Anúncios

Entre o Samba e a Tarantella

 

Mais pra Tarantella que pra Samba...

Mais pra Tarantella que pra Samba...

Quando Marcelo Lippi, treinador da Azzurra, disse a Amauri que gostaria de contar com ele na Seleção Italiana o atacante não teve dúvidas e começou o processo de naturalização.

 

Os papéis devem sair no início de 2009. Mas Amauri já não demonstra mais o mesmo entusiasmo para vestir a camisa azul tetra campeã do mundo. 

O motivo do recuo do atacante da Juventus de Turim é uma outra camisa de peso.

Uma amarelinha, com cinco estrelas no peito.

Amauri foi sondado por pessoas ligadas a Dunga. O treinador estaria disposto a convocá-lo para os primeiros jogos das Eliminatórias em 2009, contra Equador e Peru.

E o jogador balançou com a possibilidade de defender o país onde nasceu.

Acho que é um direito legítimo, mas pra mim Amauri deveria jogar na Squadra Azzurra.

De 10 anos como profissional ele jogou 8,5 na Bota, onde verdadeiramente se formou como jogador.

E tem um estilo pra lá de italiano. Um Luca Toni menos desengonçado e com a mesma facilidade de colocar a bola pra dentro.

Não questiono a qualidade de Amauri para vestir a camisa da Seleção Brasileira, sei que ele é um excelente jogador, muito forte e técnico.

Sei que ele tem muito mais bola que inúmeros jogadores que já foram convocados em tempos de Dunga e de tantos outros treinadores.

Não é um questionamento técnico como no caso do Afonso Alves, é uma questão de estilo. 

Pra mim Amauri é um excelente jogador, um goleador como poucos no futebol atual. Mas é um jogador italiano. Não de nascimento, mas em sua essência.

Seu futebol, embora altamente eficiente e competitivo, nada tem a ver com o nosso futebol. E não falo do futebolzinho mixuruco da Seleção do Anão, mas do futebol de encanto que nós brasileiros sonhamos e gostamos.

Por tanto, não tenho dúvidas quanto ao talento do Amauri.

Mas também carrego a certeza que ele está muito mais pra Paolo Rossi que pra Coutinho, que Amauri dança a Tarantella bem melhor que o samba.