Só os daqui

Toda vez que seleção brasileira é convocada vem aquela mesma história do convoca quem joga fora ou convoca quem está aqui.

Desta vez o técnico anão justificou a não convocação de jogadores de clubes nacionais, mesmo assim o papo voltou à tona…

Chega a me surpreender este tipo de discussão. Pra mim a coisá é bastante óbvia, seleção tem que ter os melhores, independente se jogam no Brasil, Itália, Inglaterra ou Emirados Árabes.

Mas pra brincar, aí vai uma seleção só com os daqui.

estrelao prancheta so os daqui

Dá jogo?

Anúncios

Se você recebe um cálice de vinho, você o prova, depois pergunta de onde vem. O mesmo vale para um jogador de futebol.

Arsène Wenger, se defendendo das acusações de não escalar britânicos no tradicional Arsenal de Londres

Hipocrisia à Francesa

 

O que vale pra eles não vale pra nós...

O que vale pra eles não vale pra nós...

O presidente da UEFA, Michel Platini, voltou aos holofotes por conta de suas polêmicas declarações.

 

Depois de puxar a orelha do técnico Arsene Wenger e do Porto de Portugal, agora o francês direciona suas críticas à compra de clubes por magnatas estrangeiros.

Usando o Liverpool e o Manchester City como exemplos, o ex jogador bateu forte.

Querem um Liverpool presidido por um Xeique  Árabe, com treinador brasileiro e 11 africanos em campo? Onde fica a cidade de Liverpool nisso tudo?  Temos que estabelecer regras. O segredo do futebol está na identificação dos torcedores com seus times e tantos estrangeiros não fazem bem à identidade de um clube.

E disse mais: 

Um grupo do Catar deve investir no Catar e apostar no desenvolvimento do futebol de seu próprio país.

Platini só se esqueceu de um coisa, dos 7 grandes patrocinadores da UEFA somente 2 são europeus:

Heineken (Holanda) e Vodafone (Reino Unido). Os outros 5 são estrangeiros.

Ben Q (Taiwan) – Sony (Japão) – Playstation (Japão) – Ford (EUA) e Mastercard (EUA).

As palavras de Platini repercutiram muito mal na comunidade futebolística européia. 

Dirigentes ingleses classificaram as declarações como xenófobas e um contracenso ao processo de globalização que vive o mundo.

A Premier League se pronunciou dizendo que a Uefa deve tomar conta de seus assuntos e que a estrutura do futebol inglês não diz respeito ao dirigente.