Eu já sabia não, todo mundo já sabia!

Eu poderia começar este post com a famosa frase dos profetas do acontecido, eu já sabia! Mas como diz o título, esta todo mundo já sabia.

Após a expulsão de Felipe Melo liguei para o amigo Thiaguinho Lesadão e antes do alô ele disse: A gente já tinha cantado essa pedra hein Bê.

Pois é, não era preciso nenhuma mediunidade para saber que isto aconteceria. Foi só a coisa apertar que Felipe Melo mostrou todo seu destempero, um pisão covarde em Arjen Robben quando o Brasil já perdia por 2 X 1 e vivia seu momento de maior pressão no mundial da África do Sul.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Eu já sabia não, todo mundo já sabia!, postado via vodpod

Mas Felipe Melo não se limitou a fazer bobagens só dentro de campo. Na zona mista após o jogo suas declarações foram lamentáveis. Disse que aquilo foi um lance de jogo, sem deslealdade, e que se ele tivesse entrado com maldade Robben não teria continuado em campo pois ele, Felipe Melo, teria força suficiente para quebrar a perna do holandês.

não fiquei atônito com as declarações porque era o Felipe Melo falando. E isto é exatamente o que eu e todos que acompanham futebol além da Copa esperam do volante da Juventus. Desequilibrado é pouco pro garoto.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Eu já sabia não, todo mundo já sabia! – 2, postado via vodpod

Vídeos: Globo

Perdeu a chance…

Ramires substituiu Felipe Melo na partida contra o Chile, válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

E o volante do Benfica entrou bem demais na partida! Desarmou, protegeu a zaga, cobriu a lateral esquerda com perfeição, foi pro jogo, agregou muita qualidade à saída de bola brasileira e ainda, de quebra, em uma jogada maravilhosa e de muita personalidade deu a assistência para o gol de Robinho, tento que sacramentou a vitória por 3 X 0.

Ramires fez um jogo pra virar titular da Seleção. E acredito que viraria, caso não tivesse cometido o deslize de fazer uma falta dura e boba em cima de Alexis Sanches no meio de campo.

A infração rendeu a Ramires um cartão, o segundo amarelo que tira o volante do confronto contra o Holanda pelas quartas de final.

Uma pena, acho que Ramires perdeu a chance de virar titular no time do Dunga.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Saiba mais sobre Perdeu a chance…, postado via vodpod

E agora é preocupação para os torcedores da Seleção Canarinho que pode ter Felipe Melo novamente entre os 11 titulares, isto caso ele se recupere da lesão sofrida no jogo contra Portugal.

Vídeo: Globo

Os acertos do Dunga

O Brasil passou com facilidade pelo Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, 3 X 0, gols de Juan, Luis Fabiano e Robinho, o último após belíssima jogada de Ramires.

A entrada do jogador do Benfica no time é um dos acertos do técnico da Seleção Brasileira na partida contra os chilenos. Depois de colocar Josué no lugar de Felipe Melo no jogo contra Portugal, Dunga optou por Ramires no confronto de ontem. E não poderia ter tomado decisão mais acertada.

Embora o técnico anão já tenha declarado diversas vezes que pra ele Ramires é meia, o ex jogador do Cruzeiro entrou no time como segundo volanteposição que há muito tempo defendo que é onde ele rende mais – e tomou conta do meio de campo da seleção.

Com Ramires, o time ficou mais leve, ganhou em mobilidade e velocidade,  melhorou a saída de bola – defeito crônico desta seleção – e ficou bem mais agressivo. Até Gilberto Silva, companheiro na proteção à zaga, subiu de produção ao lado do volante do Benfica, acertando mais passes e até arriscando eventuais subidas ao ataque.

Pra mim, Ramires foi o melhor jogador da partida e Dunga merece o elogio por sua escalação.

Outro mérito do técnico anão foi colocar Gilberto na lateral esquerda e empurrar Michel Bastos para o meio. A substituição poderia ter sido feita da forma mais simples – colocando o jogador do Cruzeiro no meio, onde geralmente atua, e mantendo o atleta do Lyon na lateral esquerda – mas Dunga teve a sensibilidade fazer o contrário e assim testar Gilberto na lateral e dar poucos minutos para Michel Bastos atuar onde está mais acostumado.

Dois acertos incontestáveis do já não tão contestado Dunga.

Imagem: Fifa

Com surpresa e sem brilho

Na última terça feira, 11 de maio, Dunga convocou a Seleção Brasileira que disputará a próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Teve surpresa, pelo menos pra mim. Gomes (Tottenham) entrou na vaga de Víctor (Grêmio) e Adriano (Flamengo) perdeu o lugar para Grafite (Wolfsburg).

Estas duas mudanças me surpreenderam, não pelo aspecto técnico. Gomes merece, e muito, a convocação. Fez uma temporada muito boa com o Tottenham que conseguiu a classificação para a próxima Champions League, algo que não acontecia há 49 anos.

A convocação do Grafite eu já defendo faz algum tempo. Um jogador que consegue mesclar força e velocidade, e que tem faro de gol. Mas acho que seu melhor momento já passou. Na temporada passada, quando Grafite destruiu levando o Wolfsburg ao título da Bundesliga e de quebra foi o artilheiro da competição, ele não teve sua chance. Mas depois de uma temporada sem muito brilho, a atual, Grafite garantiu seu lugar na Copa. Vai entender né?

As surpresas aconteceram, mas não foram as que eu e muita gente esperava. As mudanças pouco alteraram e continuamos com um time sem brilho, sem magia. A Seleção Brasileira mais alemã de todos os tempos.

Os 23 de Dunga

Goleiros

Julio César (Inter de Milão), Gomes (Tottenham), Doni (Roma)

Laterais

Maicon (Inter de Milão), Daniel Alves (Barcelona), Michel Bastos (Lyon), Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Milan)

Meio-Campistas

Felipe Melo (Juventus), Gilberto Silva (Panathinaikos), Ramires (Benfica), Elano (Galatasaray), Kaká (Real Madrid), Josué (Wolfsburg), Júlio Baptista (Roma), Kléberson (Flamengo)

Atacantes

Robinho (Santos), Luis Fabiano (Sevilla), Nilmar (Villarreal), Grafite (Wolfsburg)

Pra mim, as grandes ausências da convocação do Dunga são Ronaldinho Gaúcho (Milan), Neymar (Santos) e principalmente a dupla avícola Ganso (Santos) e Pato (Milan). E entre os convocados, os que menos entendo são Doni, Josué, Michel Bastos, Kléberson, Felipe Melo e Gilberto.

Medíocre dos pés à cabeça

felipe_melo-fiorentina-juventus-seleção_brasileiraQuem me conhece sabe o que penso sobre Felipe Melo, é um jogador medíocre na essência da palavra, médio mesmo.

Com um agravante, pensa que joga mais, mas muito mais, do que realmente joga. E como isto é perigoso.

Ontem à tarde mesmo eu conversava com Thiaguinho – o lesadão – sobre esta característica do volante da Juve e da Seleção Brasileira. Não imagino Felipe Melo fazendo 7 jogos de Copa seguidos – partidas tensas pela natureza e grandeza do torneio – sem ser expulso, fazer um pênalti e entregar pelo menos 2 gols aos adversários.

Como pensa que joga muito mais do que realmente joga tá sempre inventando, dando um calcanhar desencessário, tentando um chapéu em um momento que exige o famoso bola pro mato que o jogo é de campeonato.

Não consigo ver as grandes qualidades dele que a imprensa, de forma geral, tanto exalta. Assim como não concebo a idéia de que ele arrumou o meio de campo da seleção.

Sua saída de bola é só regular e seu passe tembém não passa disto. A chegada na frente e a finalização também não são lá estas coisas e está longe de ser um exímio marcador como muitos têm falado. É violento demais para isto. Bom marcador é aquele que rouba muitas bolas e faz poucas faltas. E ele pára mais jogadas com infrações que propriamente com desarmes.

Ontem depois de sua expulsão Felipe Melo mostrou que não é medíocre só com a bola no pé. Tentando justificar o injustificável – uma desleal solada na coxa do adversário, totalmente desnecessária – veio com a famigerada e ultrapassada frase:

Futebol é coisa pra homem.

Aí ficam as perguntas: Ser homem é dar porrada? Eu não sabia disto… E será que ele não conhece uma tal de Marta? Ou a Cristiane? Ou a Birgit Prinz?…

Tenha dó Felipe Melo, futebol é um esporte como outro qualquer que pode ser praticado tanto por homens como por mulheres.

E vê se aprende com seu companheiro de profissão e de posição, o volante Elias do Corinthians que outro dia, em uma coletiva do time do Parque São Jorge, soltou a seguinte pérola – no bom sentido da expressão:

Futebol masculino é coisa pra homem, assim como o feminino é coisa pra mulher!

Imagem: Blog do Torcedor