Era melhor nem ter ido…

A França chegou à Copa do Mundo com um gol escandalosamente ilegal. Henry conduz a bola com a mão – em uma jogada que seria ilegal até no basquete ou no vôlei – e passa para Gallas marcar.

Não sei se foi praga irlandesa, mas a participação francesa no Mundial da África do Sul conseguiu estar abaixo do fiasco.

Fiasco teria sido perder todos os jogos ou ser eliminada sem balançar as redes, como ocorreu em 2002. Mas a França foi pior.

A crise futebolística, evidenciada no time mal convocado, mal armado e sem imaginação que se apresentou nos gramados sulafricanos, foi só um lado da história. Talvez tenha sido o pior, pelo menos para os amantes da bola, mas outro fator chamou ainda mais atenção que os maus tratos dados à jabulani pela seleção francesa.

A crise de relacionamento entre a comissão técnica – liderada pelo treinador Raymond Domenech – e os jogadores estampou as capas dos principais jornais do mundo e culminou com a bombástica manchete do L’Equipe Va Te Faire Enculer, Sale Fils De Pute, transcrição literal do que Anelka disse à Domenech no intervalo do jogo contra o México. E nem é preciso traduzir né, todo mundo entendeu o que o atacante do Chelsea disse.

A manchete do famoso jornal francês rendeu o corte de Anelka, escancarou de vez a crise e fez com que até a ministra dos esportes da França, Roselyne Bachelot, interviesse no caso.

Pra França só fica uma verdade da Copa da África do Sul, era melhor nem ter ido.

Imagem: How Do You Bag Krag?

As últimas vagas da Europa

A FIFA sorteou hoje os confrontos da repescagem européia das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

O equlíbrio deve dar a tônica destes enfrentamentos que decidem os últimos 4 europeus no Mundial da África.

repescagem-eliminatorias-zona_europeia-farol-uniao_europeia-confrontos

A única superioridade incontestável é dos franceses sobre os irlandeses. Mas o estilo antagônico das duas seleções pode gerar muita dificuldade para os Les Blues.

Pra quem pensa que Portugal pegou uma molezinha sugiro que acompanhem os jogos da Bundesliga. A seleção bósnia conta com diversos bons jogadores como os meias Pjanic (Lyon), Salihovic (Hoffenheim) e Misimovic – atual campeão alemão pelo Wolfsburg. Sem falar na poderosa dupla de ataque formada pelo inseparável parceiro de Grafite no Wolfsburg, Edin Dzeko (vice artilheiro da Bundesliga na temporada passada e atual vice artilheiro das eliminatórias européias) e o letal Vedad Ibisevic que jogando pelo promovido Hoffenheim fez 19 gols só no primeiro turno – 17 jogos – do campeonato alemão da última temporada.

Grécia e Ucrânia é um confronto de seleções muito parecidas. Os gregos têm um esquema bem defensivo e no ataque apostam tudo na velocidade de Gekas (Larissa) – artilheiro da zona européia de classificação pra Copa – e nas bolas paradas de Karagounis (Panathinaikos). Os ucranianos também têm um esquema que prima pelo sistema defensivo e as ações ofensivas são concentradas na dupla do Dynamo de Kiev, Shevchenko e Milevskiy.

Já no confronto entre os ex soviéticos e os ex iugoslavos, vejo um leve favoritismo para os russos que possuem mais jogadores talentosos como Arshavin (Arsenal), Zhirkov (Chelsea), Bystrov (Zenit) e o jovem Dzagoev (CSKA Moscou), além do excelente goleiro Akinfeev (CSKA Moscou), pretendido por alguns dos grandes clubes europeus como Manchester United, Milan e Bayern de Munique. Mas os russos que se cuidem, a Eslovênia – mesmo sem nenhum grande craque – tem um time arrumadinho que sabe se defender bem e sai muito rápido nos contra ataques.

Meus palpites são que França, Rússia, Bósnia e Grécia chegarão ao Mundial da África, enquanto Portugal, Ucrânia, Eslovênia e Irlanda terão que assistir a Copa pela televisão.

Imagem original: Cafe Babel