Olimpíada, bananas e o Meio de Campo

banana-e-macacoEsta semana muita gente me escreveu cobrando meu posicionamento em relação aos Jogos Olímpicos de 2016, evento que será sediado pelo Rio de Janeiro.

Bom, sinceramente não estou com a menor vontade de escrever sobre o assunto e não o farei. Sou completamente contra a realização da Olimpíada aqui, assim como não apoio a Copa de 2014.

Nada contra o Rio, cidade que levo em meu coração e que visito pelo menos 3 vezes ao ano, por trabalho ou por prazer. E nada contra meu país também. Mas não posso coadunar com a massa feliz que apoia a bandidagem responsável por tais eventos.

Colocar bilhões de dólares nas mãos de Eduardo Paes, Nuzman, Ricardo Teixeira, Chiquinho da Mangueira e companhia é como pedir pra raposa tomar conta do glinheiro ou pra um macaco cuidar da plantação de bananas… simplesmente não dá.

Mas já que falei de bananas e Jogos Olímpicos, aproveito para indicar aqui uma excelente leitura sobre o tema. O texto Olímpiadas no país das bananas, do jornalista e amigo João Paulo Ribeiro.

Pontual e ácido, João Paulo discorre sobre o tema contrapondo as bananas, fruto e gesto, que convivem em nosso esporte.

Vale a pena conferir!

Imagem: Meio de Campo
Anúncios

Ramires na Seleção!

Desde que criei o Ópio que a Val fala sobre colocar arquivos de áudio no blog.

Muito em funçao da minha ignorância e semi analfabetismo técnico internético informático, jejeeje, eu vinha protelando o áudio.

Até que a mesma Val, apresentou a solução, o fácil Goear.

Aí me bateu aquela nostalgia da minha época de FM Lagoinha. Bons tempos em que eu era tutoreado por alguém tão lúcido, mesmo que dentro de sua sã loucura, como Mozahir Salomão.

Dias que começavam com as ininterruptas gargalhadas da paritinense Elanilza Carneiro e com as palhaçadas sem fim do violeiro de mão cheia e operador de áudio Fernando, cara que me ensinou o valor e a beleza das modas de viola.

Dias em que pude trabalhar com gente tão íntegra como João Paulo Ribeiro, figurinha rara de caráter irretocável.

Pra relembrar este tempo e, acatando mais uma dica da Val, aí vai a primeira pílula da RádioÓpio.

Ficou tosco pra caralho, cheio de ruídos incontroláveis no pequeno mp3 player… Mas tá aí!

E como o apressado come cru, não é que não consegui colocar o player aqui, jajajajaj!

Então é só clicar no radinho abaixo pra ouvir a tosqueira!

radio opio

Jornalismo Faixa Preta

Ontem fui surpreendido por palavras que me emocionaram muito.

Palavras de um amigo que não vejo há tempos. Mas de quem nunca me esqueci.

Confesso que até chorei e disso Dona Valery está de prova.

Chorei pela lembrança de outros tempos. Mais ireesponsáveis e com certeza menos saudáveis. 

Os 19, 20 anos que não voltam. 

Também chorei pelo reconhecimento de uma amizade que não julga e não se apega à diferenças.

Coisa rara no novo milênio. Mas que não me surpreende vinda do João.

Nós estudamos jornalismo juntos e tivemos o prazer de, sob a tutela libertária de Mozahir Salomão, iniciar nossa vivência no Mundo do Rádio.

Dentro de nossas diferenças construímos uma amizade sólida que não esmoreceu com os caminhos tomados.

João seguiu na profissão. Sorte do jornalismo. E eu tomei meus rumos.

João sempre se destacou pela eficiência e seriedade.

Me recordo – e que os linguistas de plantão me perdoem o pronome no início da frase, mas é assim que eu gosto. Me desculpem, mas sempre preferi Garrincha a Pelé – que para descobrirmos seu aniversário foi preciso que alguém roubasse sua carteira.

No trabalho e fora dele sempre foi uma grande referência de ética e disciplina. Virtudes que ele traz da sabedoria oriental das artes marciais. E que não confundam o lutador, o guerreiro, com o brigão.

João Paulo faz jornalismo com alma de lutador.

Pessoas como ele são mais que necessárias ao nosso cenário midiático que, infelizmente, não consegue ultrapassar a meia verdade.

Pra Conferir:

Blog Meio de Campo

Programa Meio de Campo (Rede Minas)