Os acertos do Dunga

O Brasil passou com facilidade pelo Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, 3 X 0, gols de Juan, Luis Fabiano e Robinho, o último após belíssima jogada de Ramires.

A entrada do jogador do Benfica no time é um dos acertos do técnico da Seleção Brasileira na partida contra os chilenos. Depois de colocar Josué no lugar de Felipe Melo no jogo contra Portugal, Dunga optou por Ramires no confronto de ontem. E não poderia ter tomado decisão mais acertada.

Embora o técnico anão já tenha declarado diversas vezes que pra ele Ramires é meia, o ex jogador do Cruzeiro entrou no time como segundo volanteposição que há muito tempo defendo que é onde ele rende mais – e tomou conta do meio de campo da seleção.

Com Ramires, o time ficou mais leve, ganhou em mobilidade e velocidade,  melhorou a saída de bola – defeito crônico desta seleção – e ficou bem mais agressivo. Até Gilberto Silva, companheiro na proteção à zaga, subiu de produção ao lado do volante do Benfica, acertando mais passes e até arriscando eventuais subidas ao ataque.

Pra mim, Ramires foi o melhor jogador da partida e Dunga merece o elogio por sua escalação.

Outro mérito do técnico anão foi colocar Gilberto na lateral esquerda e empurrar Michel Bastos para o meio. A substituição poderia ter sido feita da forma mais simples – colocando o jogador do Cruzeiro no meio, onde geralmente atua, e mantendo o atleta do Lyon na lateral esquerda – mas Dunga teve a sensibilidade fazer o contrário e assim testar Gilberto na lateral e dar poucos minutos para Michel Bastos atuar onde está mais acostumado.

Dois acertos incontestáveis do já não tão contestado Dunga.

Imagem: Fifa

Com surpresa e sem brilho

Na última terça feira, 11 de maio, Dunga convocou a Seleção Brasileira que disputará a próxima Copa do Mundo, na África do Sul.

Teve surpresa, pelo menos pra mim. Gomes (Tottenham) entrou na vaga de Víctor (Grêmio) e Adriano (Flamengo) perdeu o lugar para Grafite (Wolfsburg).

Estas duas mudanças me surpreenderam, não pelo aspecto técnico. Gomes merece, e muito, a convocação. Fez uma temporada muito boa com o Tottenham que conseguiu a classificação para a próxima Champions League, algo que não acontecia há 49 anos.

A convocação do Grafite eu já defendo faz algum tempo. Um jogador que consegue mesclar força e velocidade, e que tem faro de gol. Mas acho que seu melhor momento já passou. Na temporada passada, quando Grafite destruiu levando o Wolfsburg ao título da Bundesliga e de quebra foi o artilheiro da competição, ele não teve sua chance. Mas depois de uma temporada sem muito brilho, a atual, Grafite garantiu seu lugar na Copa. Vai entender né?

As surpresas aconteceram, mas não foram as que eu e muita gente esperava. As mudanças pouco alteraram e continuamos com um time sem brilho, sem magia. A Seleção Brasileira mais alemã de todos os tempos.

Os 23 de Dunga

Goleiros

Julio César (Inter de Milão), Gomes (Tottenham), Doni (Roma)

Laterais

Maicon (Inter de Milão), Daniel Alves (Barcelona), Michel Bastos (Lyon), Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Luisão (Benfica), Thiago Silva (Milan)

Meio-Campistas

Felipe Melo (Juventus), Gilberto Silva (Panathinaikos), Ramires (Benfica), Elano (Galatasaray), Kaká (Real Madrid), Josué (Wolfsburg), Júlio Baptista (Roma), Kléberson (Flamengo)

Atacantes

Robinho (Santos), Luis Fabiano (Sevilla), Nilmar (Villarreal), Grafite (Wolfsburg)

Pra mim, as grandes ausências da convocação do Dunga são Ronaldinho Gaúcho (Milan), Neymar (Santos) e principalmente a dupla avícola Ganso (Santos) e Pato (Milan). E entre os convocados, os que menos entendo são Doni, Josué, Michel Bastos, Kléberson, Felipe Melo e Gilberto.

Derrota real, vexame galáctico

alcorcon-real_madrid-raul

O futebol, como o mundo, vive a dicotomia da segregação econômica. Como na sociedade temos cidadãos de classes A, B e por aí vai, o mundo da bola também vive suas divisões e estratificações sob a tutela do vil metal; com times milionários e equipes semi amadoras que habitam e dividem o mesmo terreno.

Na última terça os galácticos do Real visitaram o subúrbio de Madrid. Foram ao município de Alcorcón – a 13 quilômetros da capital espanhola – enfrentar, pela Copa do Rei,  a equipe local que joga na 3ª divisão do campeonato espanhol e que leva o mesmo nome da cidade em que está situada. Um confronto entre o futebol real – não de realeza, mas de realidade – e o mundo fantástico e fantasioso da bola galáctica, das estrelas que brilham mais que a camisa, que a história.

Mesmo sem Kaká e Cristiano Ronaldo – estrelas máximas da constelação madrilenha – todos decretavam a barbada, goleada merengue… e com um pé nas costas. Mas no futebol, diferentemente da nossa sociedade do hiper consumo, nem sempre o dinheiro consegue ser o vitorioso.

Foi um dos maiores vexames da história do Real Madrid. 4 X 0 para um time da 3ª divisão… um time de estádio acanhado e de uma paupérrima galeria de troféus, sem nenhum título de relevância. Um time de jogadores modestos… jogadores modestos sim, mas que suam, que brigam, que jogam quase por amor ao esporte, pois o que ganham não é mais que o necessário para sobreviver.

4 X 0 com uma doce ironia. 3 dos 4 gols foram marcados por jogadores que passaram pelas divisões de base do time merengue, mas que nunca tiveram oportunidade no time de cima. O meia Ernesto Gómez que anotou o 3º tento da goleada e o atacante Borja Pérez, autor do primeiro e do último gol no massacre de Alcorcón. Detalhe, Borja já havia marcado outras 4 vezes contra o Real Madrid jogando pelos pequenos Leganés e Alicante. O outro gol da partida foi contra de Arbeloa, uma das contratações para a atual temporada.

Nem o mais otimista dos torcedores do AD Alcorcón poderia imaginar a noite de ontem. O dia em que a simplicidade do subúrbio venceu o poder e a ostentação capitalina.

A humilhante derrota imposta ao Real mostra muito mais que a pilhéria do futebol onde nem sempre os que compõem a base da pirâmide estão necessariamente abaixo daqueles que habitam o topo. A goleada do Alcorcón expõe a mentira galáctica dos astros milionários da bola e ratifica a idéia de que, hoje, não existe time de outro mundo.

Que o Real Madrid tem grandes craques é inegável. Mas ainda falta muito pra que estes jogadores formem um grande time.

Imagem: Ecodiario
Canal do Youtube: Todo Goles

Boa convocação!

Dunga convocou nesta terça, dia 27 de outubro, a seleção brasileira que enfrentará Inglaterra e Omã em amistosos nos dias 14 e 18 de novembro respectivamente.

O duelo contra o English Team acontece em Doha no Catar. Já a partida contra Omã será realizada na casa dos adversários da península arábica, na capital Mascate.

Sem poder contar com jogadores que atuam no futebol brasileiro, Dunga convocou 4 surpresas para os jogos na Ásia. O lateral Fábio Aurélio (Liverpool), os meias Carlos Eduardo (Hoffenheim) e Michel Bastos (Lyon) – este último se for utilizado deverá jogar na lateral esquerda, sua posição de origem – e o atacante Hulk do Porto.

Das novidades, acho que Fábio Aurélio há muito já fazia por merecer esta chance e a convocação do Michel Bastos também é muito válida, ele começou a temporada muito bem no Lyon, é um jogador rápido, versátil e moderno. Já Carlos Eduardo e Hulk eu não convocaria. O primeiro é um bom jogador, mas em sua posição temos nomes melhores, Diego da Juventus por exemplo. Já o Hulk vale pelo nome! É um jogador muito forte e tal, mas pra mim não tem bola pra jogar na seleção. No último campeonato português ele marcou 8 gols, na edição deste ano fez 1 e na Champions da atual temporada marcou outros 2; números bem modestos pra um centroavante de referência. Eu preferia ver o Grafite do Wolfsburg ou o Alexandre Pato do Milan.

Mas enfim, em seu todo a convocação é coerente e, de uma forma geral, podemos dizer que é boa.

Abaixo, a lista dos 24 convocados:

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Doni (Roma)

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Inter de Milão)
Luisão (Benfica)
Naldo (Werder Bremen)

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Fábio Aurélio (Liverpool)
Michel Bastos (Lyon)

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Felipe Mello (Juventus)
Josué (Wolfsburg)
Lucas (Liverpool)
Alex (Spartak Moscou)
Ramires (Benfica)
Elano (Galatasaray)
Kaká (Real Madrid)
Júlio Baptista (Roma)
Carlos Eduardo (Hoffenheim)

Atacantes

Luís Fabiano (Sevilla)
Robinho (Manchester City)
Nilmar (Villarreal)
Hulk (Porto)

Zangado_colunista_do_Ópio

 

Zangado é um dos 7 anões da Branca de Neve e mesmo do Reino da Fantasia é o colunista especial do Ópio do Povo para assuntos da seleção brasileira.

Imagem: Grumy Git

Meu Brasil X Minha Argentina

Dizem que no Brasil somos 170 milhões de técnicos de futebol.

E também dizem que cada brasileiro tem sua própria seleção, aquela que não perderia pra ninguém.

Eu tenho o meu escrete. Aliás, tenho vários. Um pra cada dia.

Então aí vai Meu Brasil e Minha Argentinade hoje.

Brasil (4-1-4-1)
meubrasil03-09-09-2

Argentina (4-4-2)
minha_argentina-03_09_09-seleção_argentina

Imagem do Estrelão: Submarino

O mais novo queridinho

Nem os merengues Kaká e Cristiano Ronaldo, nem o hollywoodiano David Beckham, o garoto propaganda mais requisitado do mundo do futebol atualmente é Lionel Messi.

O vídeo acima, uma peça para o Sportscenter latinoamericano da ESPN, é o último com o craque do Barça.

O argentino está longe de ser um galã; baixinho, magrelo e com cara de pulga, como sugere seu apelido. Mas Messi tem carisma, talvez sua forma diminuta e quase esquálida faça com que nós, meros mortais, pensemos que fazer o que ele faz com a bola nos pés seja fácil, seja possível.

Mas não é. Messi é uma exceção. Joga como um Deus, uma autêntica divindade da bola.

Messi é muito mais que um jogador. É melodia de Piazzolla com prosa de Cortázar.

Abaixo o antológico gol contra o Getafe com a histórica narração do uruguaio Víctor Hugo Morales do gol mais bonito da história das Copas, aquele assinado por Maradona contra os ingleses no Mundial do México 86. Se não me engano o primeiro confronto entre Argentina e Inglaterra após a Guerra das Malvinas.

Curte futebol e redes sociais? Então conheça a Sociedade Futeboleira do Brasil!

No, we can’t

obama-yes-we-can-verde_amareloO Brasil sagrou-se campeão da Copa das Confederações após vencer na final o Estados Unidos por 3 X 2. E de virada!

Antes de mais nada parabéns a este grupo – incluindo aí a comissão técnica encabeçada por Dunga –  tão criticado e que mantém sua vitoriosa trajetória de bons resultados e futebol pra lá de duvidoso.

Congratulações à parte queria levantar dois pontos:

O primeiro é a exacerbada euforia da imprensa oficial, leia-se Globo e seu filhote Sportv. Assistindo alguns programas da rede de comunicação global parecia que havíamos ganhado uma Copa do Mundo e só eu não sabia que já estávamos em 2010.

Coloquemos os pingos nos is, a Copa das Confederações é um torneio secundário de nível técnico bastante discutível. Nesta edição por exemplo, tínhamos 3 seleções do primeiro escalão do futebol mundial – Brasil, Itália e Espanha. Duas equipes que podemos colocar aí num terceiro escalão da bola – Egito e Estados Unidos. E 3 seleções que, se jogasem nosso brasileirão, suariam para se manter na terceira divisãoIraque, África do Sul e Nova Zelândia.

Mas o que mais me chamou a atenção na vitória brasileira na final da Copa das Confederações não foi a grande virada, nem o magnífico gol do Luís Fabiano, nem mesmo o ufanismo piegas da nossa mídia oficial. Foi o galáctico Kaká evocando Barack Obama.

Segundo conta a lenda do título, no intervalo – quando o Brasil perdia por 2 X 0Kaká motivou o grupo utilizando-se do slogan da campanha eleitoral do atual presidente estadounidense, o famoso e reptido Yes we can.

Duro é saber que a seleção brasileira de futebol precise recorrer a discursos motivacionais para vencer o Estados Unidos. A vitória contra a seleção estadounidense deveria ser óbvia, mais que natural.

Por isto Kaká, Dunga e todos os defensores da ideologia do resultado,

não, nós não podemos ser assim!

A seleção brasileira merece mais que somente os 3 pontos no final da partida.

zangado_7_anoes grumpy_7_dwarfsZangado ainda vive com a Branca de Neve, é apaixonado e viciado por futebol.

Tanto que se tiver que escolher entre jogar bonito ou ganhar, não hesita em escolher a primeira opção.

Como conhece Dunga intimamente, fruto de anos de convivência, é nosso colunista especial para Seleção Brasileira.

Imagens: Diabolim e Grumy Git

Paga ou não paga?

carlos_mateo deuda real_madrid divida grua guindaste protestoManhã de sexta agitada no centro de treinamento do Real Madrid en Valdebebas.

Munido com 2 maços de cigarro, duas garrafas de água e um celular para falar com a imprensa, Carlos Mateo – proprietário da empresa Mateo Alumínios – dependurou-se em um guindaste em frente ao CT do novo time de Kaká e Cristiano Ronaldo para cobrar uma suposta dívida do clube merengue de aproximadamente 110 mil euros.

Segundo o empresário, o Real Madrid contratou o Grupo Begar que por sua vez contratou a Mateo Alumínios para realizar obras na estrutura metálica em edifícios do clube. Ainda de acordo com Carlos Mateo, com a falência do Grupo Begar (passivos em torno de 300 milhões de euros) o Real se comprometeu em pagar os credores da massa falida diretamente envolvidos com as obras do clube.

Como isto não aconteceu, Carlos Mateo resolveu dependurar-se na grua pra cobrar aquilo que, teoricamente, tem direito. O protesto durou cerca de 12 horas.

Em curta nota oficial, o Real Madrid declarou não ter nenhum compromisso contratual com o senhor Carlos Mateo e que, seu compromisso, era de intermediar as negociações entre o Grupo Begar e seus credores envolvidos nas obras do clube.

Imagem: As

Cristiano Ronaldo com um pé no Real

cristiano-ronaldo-rumo-ao-real-madridDepois de pagar 65 milhões de euros por Keká, o Real Madrid está prestes a assinar com seu outro sonho de consumo, Cristiano Ronaldo.

O Manchester United publicou hoje cedo em seu sítio oficial que aceitou a proposta do clube espanhol pelo jogador português.

A nota do clube inglês é curta e grossa, explica que, diante da vontade do jogador de sair e da oferta recorde, 80 milhões de libras (cerca de 96 milhões de euros), não restava outra alternativa, há não ser liberar o jogador para negociar com os espanhóis.

O sim do Manchester permitiu ao Real Madrid abrir as negociações diretas com o jogador e seu agente. A expectativa é que a transferência seja concluída até o dia 30 de junho.

Caso o negócio se concretize, será a transferência mais cara da história do futebol, batendo os 71 milhões de euros que o Real pagou por Zinédine Zidane em 2001.

Dado interessante no blog do PVC, 5 das 10 maiores compras do futebol foram realizadas por Florentino Pérez que recentemente reassumiu a presidência do Real e já inicia o novo período galáctico dos merengues. E mais, as 4 maiores transferência são dele, o barão da especulação imobiliária de Madrid.

Imagem: Once upon a time…

Juras injúrias

putas-prostitutasEu te amo… mas eu te minto.

Eu te amo… mas eu te traio.

Eu te amo… mas eu te troco.

Amores fugazes que não duram mais que um momento, mais que um sopro. Esta é a tônica do mundo de hoje, moderno e apressado. Esta é a lei que rege o futebol atual, grana e mentira.

Há menos de seis meses Kaká disse não à montanha de dinheiro do Manchester City, fez juras de amor eterno e inquestionável ao Milan. Declarou que terminaria sua carreira ali e que, no fim, seria conhecido como um Paolo Maldini, uma bandeira do rubro negro italiano.

Mas os meses passaram, a grana diminuiu e o amor, parece que também. O novo pretendente não era mais um aventureiro, um destes novos ricos sem pedigree. O Real Madrid tem nome e sobrenome no mundo do futebol. Tem grife, tem pompa, mesmo que sua história por trás da história não seja das mais belas.

Se o City está pra um emergente, o Madrid representa o filho perfeito de um velho Coronel do interior, um daqueles que usurparam o povo e a terra, mas que segue com seu status de nobreza e cara de bom moço, autêntico Dotôr.

E seduzido pela aura encantadora do Real Kaká se foi. Disse que o amor não acabara, mas que o momento pedia a separação, que seria melhor assim. Papo de quem quer sair fora, mas quer terminar bem. Seguimos amigos

Papo furado, furadíssimo.

Na verdade o amor nunca existiu.

O amor no futebol virou amor de putas. Mas não dos puteiros de Florentino Ariza, nem das putas tristes do nonagenário jornalista sem nome de Marquez.

Amor com preço, com hora marcada. Pra gozar e pra dizer adeus.

amor_bandido

Imagem: Original Ópio do Povo
Foto Prostitutas: Rádio France Internacional

A convocação do Dunga e o som da corneta

zangado 7 anoesMeu ex companheiro de conto de fadas convocou hoje a seleção brasileira que disputará as partidas contra Uruguai e Paraguai pelas eliminatórias e a Copa das Confederações na África do Sul

Agora que a Copa do Brasil chega às semifinais e a Libertadores às quartas, o técnico anão resolveu convocar jogadores que atuam em território nacional. Só pra avacalhar!

Tirou Kléber (Inter), Nilmar (Inter) e André Santos (Corinthians) da Copa do Brasil, Ramires (Cruzeiro) e Víctor (Grêmio) do torneio intercontinental. O goleiro gremista pra mim é o pior dos casos pois se trata de um jogador que dificilmente terá oportunidade de jogar na seleção e faz uma falta danada ao tricolor gaúcho. Com Júlio César (Inter de Milão) e Gomes (Tottenham) no grupo, duvido muito que Víctor seja aproveitado. Então deixa o menino jogar a Libertadores!

A lateral esquerda segue sendo a pior posição do escrete canarinho. André Santos foi convocado em seu pior momento desde que chegou ao Corinthians, nem o Mano tem tido paciência com ele. Kléber não chega à linha de fundo ofensiva há mais ou menos uns 3 anos. E Fábio Aurélio, que fez ótima temporada no Liverpool, continua esquecido.

Quanto a Nilmar e Ramires não dá pra condenar, mesmo prejudicando suas equipes. Os dois estão jogando demais, sobrando no futebol brasileiro e já mereciam esta convocação há muito tempo. Aliás, bom a torcida celeste aproveitar as partidas que antecedem a apresentação de Ramires. Serão as últimas, pois hoje foi anunciado o negócio com o Benfica de Portugal, 7 milhões e meio de euros. O Cruzeiro tem direito apena a 30% disto, cerca de 2 milhões, 250 mil euros.

dunga 2008 tecnico seleção brasileiraO ponto alto do Dunga foi seguramente não ter convocado Ronaldinho Gaúcho. Ninguém sentiu falta. Mas algumas figurinhas carimbadas que tiveram uma temporada pífia continuam com cadeira cativa no grupo do técnico anão. Continuo discordando frontalmente do meu ex companheiro nas convocações de Gilberto Silva (Panathinaikos), Felipe Melo (Fiorentina), Elano (Manchester City), Luisão (Benfica) e incluo Robinho (Manchester City) nesta lista também. Hoje, eu não convocaria Robinho.

Vamos a convocação do Dunga e, logicamente, às minhas cornetadas!

Goleiros

Júlio César (Inter de Milão)
Gomes (Tottenham)
Víctor (Grêmio).

Deixaria Víctor disputar a Libertadores e levaria o Diego (Almeria) ou mesmo o Rubinho (Genoa).

Laterais

Maicon (Inter de Milão)
Daniel Alves (Barcelona)
Kléber (Inter)
André Santos (Corinthians)

Do lado direito não há o que questionar, mas do esquerdo… Trocaria Kléber e André Santos por Fábio Aurélio (Liverpool) e mais algum, quem? Sinceramente não sei, pensei no Adriano (Sevilla), mas faz muito tempo que ele não atua pela lateral. Ah se o Evra fosse brasileiro…

Zagueiros

Juan (Roma)
Lúcio (Bayern de Munique)
Alex (Chelsea)
Luisão (Benfica)

Luisão é uma brincadeira, até o Atchim sabe disto. Levando-se em conta a imposibilidade de levar Miranda (São Paulo), no lugar do zagueiro do Benfica eu testaria o Naldo (Werder Bremen) ou o Felipe (Udinese). Este último é pouco conhecido aqui, tem 24 anos e é um zagueiraço. E podem anotar, se não jogar pela seleção brasileira já já vestirá a camisa da Azzurra. 

Meio-campistas

Gilberto Silva (Panathinaikos)
Anderson (Manchester United)
Josué (Wolfsburg)
Elano (Manchester City)
Kaká (Milan)
Júlio Baptista (Roma)
Ramires (Cruzeiro)
Felipe Melo (Fiorentina)

Elano é mais que reserva no fraquinho Manchester City, segue na seleção porque é quase um amuleto do técnico anão. Felipe Melo é um jogador, com muita boa vontade, medíocre na essência da palavra, médio mesmo. Gilberto Silva tem todo meu respeito, jogou muito na Copa de 2002, no América mineiro. No Galo e nos primeiros anos de Arsenal comeu a bola! Mas já deu né? Muito obrigado Gilberto Silva, mas acho que o tempo dos volantões já passou. Pra estes 3 lugares eu levaria Lucas (Liverpool), Denílson (Arsenal) e Diego, recentemente transferido para Juventus de Turim. Se o Palmeiras não estivesse na Libertadores também consideraria o versátil e eficiente Cleiton Xavier.

Atacantes

Pato (Milan)
Nilmar (Inter)
Robinho (Manchester City)
Luís Fabiano (Sevilha)

Sinceramente, eu também daria um tempo do Robinho na seleção. O jogador não vem jogando nada e futebol parece ser a última coisa em que ele pensa ultimamente. O negócio é que a fase não anda muito boa pros atacantes brasileiros. Aqui, Nilmar é disparado o melhor. Lá fora, a melhor temporada não é nem do Pato nem do Fabuloso, é do Grafite (Wolfsburg). O ex jogador do São Paulo e do Goiás é artilheiro do campeonato alemão com 26 gols, alguns deles lindíssimos, e ainda briga com Eto’o pela Chuteira de Ouro da Europa, prêmio dado ao maior goleador dos campeonatos nacionais no velho continente. E, como simpatizo com o cara, ta aí, daria uma chance pro Grafite.

Bem amigos, estas são as minhas considerações. E quais são as suas?  

Foto original: Estadão

Ronaldo e sua mudança de hábito

Nem vou comentar o vídeo, até porque ainda estou rachando e não consigo escrever muito.

Mas só pra constar, a dica é do Dudu Monsanto da Espn Brasil

A adaptação e a arte ficam por conta do Carlos Fernandes que mantém o canal Showpage no Youtube.

Créditos dados, é hora de rir!

O país do médico de futebol

medicina esportiva o país do futebol o país do médico de futebolQue o mundo de hoje já não é o mesmo dos tempos em que nasci, isto é fato. E consumado. Assim como também é vero que as mudanças são cada vez mais velozaes e, às vezes, até imperceptíveis.

Eu nasci em 1980 e, mesmo com a seca de copas que só teve fim em 94, cresci em uma Terra conhecida e reconhecida como o País do Futebol. Do carnaval também, da corrupção, da malandragem, da hipocrisia. Mas hoje falaremos só de bola.

Os anos se passaram, vieram dois títulos mundiais, craques que ousamos comparar, ou equiparar, aos grandes monstros sagrados do futebol. E o Brasil seguia sendo o País do Futebol

Os anos 90 inseriram neste contexto a tal globalização, que finalmente aportava, de uma vez por todas, no universo da bola. Os senhores do mundo começaram a vir aqui com mais frequência para fazer a feira do futebol. Pernas baratas, parafraseando e distorcendo, um pouquinho, o ídolo Galeano. Que não confundam com Galiani, este só aparecerá no texto depois.

Janelas abertas, debandada geral. E mesmo assim seguíamos sendo o País do Futebol

De uns anos pra cá um novo elemento apareceu. Jogadores brasileiros contundidos que atuam na Europa começaram a vir ao Brasil para se recuperarem. Eu sempre desconfiei do discurso de que aqui, a estrutura de recuperação é muito melhor que a dos clubes europeus. É um discurso difícil de acreditar visto a realidade precária dos nossos clubes.

Sempre acreditei mais na teoria de que essa era uma ótima desculpa pra voltar pra casa, rever amigos e família, comer feijoada e se divertir com aquele pagodinho pavoroso. E claro, serem mimados como lá fora não são. 

Ontem Kaká anunciou que da próxima vez que se machucar tomará decisões diferentes em relação a seu tratamento. Nas entrelinhas, que não irá tratar-se mais no Milan Lab. No dia anterior, Dunga falou que o meia havia se tratado 5 semanas no Milan sem muito resultado e que, com 6 dias com a equipe médica da seleção, já estava pronto pra jogar. Kaká também foi por este lado e a diretoria milanista não gostou das declarações.

Do outro lado do Atlântico, Eduardo Galiani respondeu dizendo que o tratamento médico-fisioterápico tem uma sequência e que é lógico que Kaká tenha melhorado aqui, onde foi feita a última parte da recuperação. E acrescentou que o mesmo teria acontecido se ele tivesse ficado na Itália.

Comentando a notícia, rápido como é, do Beira Rio o PVC soltou esta na Espn Brasil:

Engraçado né, éramos  oPaís do Futebol, agora somos o País do Médico de Futebol. Todo mundo quer jogar lá e se tratar aqui.

Perfeita a colocação do Paulo Vinícius. Ainda mais depois de ver a seleção do anão ser massacrada pelo Equador (39 finalizações contra o Brasil!). Cada partida da seleção que vejo me reforça ainda mais esta verdade, não somos mais o País do Futebol. Pelo menos não do futebol arte, do futebol alegria, do jogo bonito.

O que nos resta então?

Que sejamos o país do médico, do fisiologista, do fisioterapeuta de futebol

Imagem: Buick

Resposta convincente

Nunca escondi que não compartilho o pensamento de que Kaká seja um boleiro diferenciado no meio do futebol.

É lógico que vindo de uma estrutura sócio-familiar muito mais sólida que a maioria dos jogadores, o craque milanista apresenta algumas coisas a mais que a média, consegue falar esses e se refere a si mesmo no singular, o que já é um alívio para os ouvidos.

Mas isto é pouco. A postura cordeirinha de bom menino e o excessivo cuidado com o que fala – nem sempre o que pensa, é o que me parece – me irritam bastante a acabam por me induzir a colocar Kaká no plano dos comuns no que se refere ao fora do campo, que fique bem claro.

Nem de longe consigo ver nele a lucidez de um Roque Júnior, a claridade de um Alex (Fener), o pensamento crítico de um Sócrates ou um Casagrande.

Em 2 ocasiões confesso que me desarmei do que penso para internamente aplaudir Kaká. A primeira foi no embate com Dunga, quando o meia se impôs pelo craque que é e pelo que representa, requerendo seu espaço na seleção.

A segunda foi agora ao recusar a oferta do Manchester City. Hoje em dia é tão difícil ver alguém dizer não ao dinheiro, quanto mais quando falamos de somas tão astronômicas, que a atitude é sem dúvida alguma digna de aplausos. 

Mas a resposta mais convincente de Kaká foi dada neste domingo. Pelo campeonato italiano o meia fez uma bela partida contra o Bologna.

O Milan venceu por 4X1 e Kaká foi premiado com 2 gols. O segundo um golaço no melhor estilo winning eleven. Quem joga vai ver que o gol foi muito de vídeo game.

A palavra de Berlusconi, vale?

O Primeiro-Ministrio italiano e proprietário do Milan foi á TV pra dizer que Kaká fica!

E o comedor de ópio se pergunta:

A palavra de Silvio Berlusconi, vale?

E se vale, por quanto tempo vale?