Flamengo X Grêmio na Arena HSBC!

O Flamengo assumiu a liderança do Brasileirão 09 na penúltima rodada e agora só precisa vencer o desinteressado Grêmio no Maracanã para levantar a taça.

Os ingressos para a decisão de domingo foram vendidos em poucas horas e o que se viu no maraca, além da empolgação e da alegria rubro negra, foi muita confusão.

Mais uma vez a despreparada polícia militar carioca protagonizou cenas lamentáveis – desorganizando, mas diferentemente do inesquecível Chico Science e de sua Nação Zumbi, sem o intuito de organizar.

Muita gente saiu do Maracanã frustrada, sem ingresso e, pior, machucada. O famoso torcedor gado

Diante de tais cenas. o pessoal do marketing do Flamengo agiu rápido para proporcionar ao torcedor rubro negro que não conseguiu ingresso a emoção do possível título mesmo fora do maraca. E para isto juntou o futebol à modalidade que conseguiu os melhores resultados para o Flamengo nos últimos anos, o basquete.

É que além da decisão do campeonato brasileiro de futebol, domingo também tem jogo válido pelo nacional de basquete, o NBB. Flamengo X Pinheiros jogam às 13 horas, na Arena HSBC, no Rio de Janeiro. O torcedor que comparecer ao ginásio na Barra poderá acompanhar o jogo contra o Grêmio em um telão full HD de 75 metros quadrados.

Excelente iniciativa de mão dupla. Além de incrementar o público do basquete, o torcedor poderá ver a decisão do futebol no clima da torcida flamenguista e com todo conforto que moderna Arena HSBC oferece.

Imagem: FlaMarketing

Fabuloso que joga e que fala!

Geralmente antes dos grandes jogos da Seleção Brasileira a Nike lança algum vídeo em seu canal do Youtube a fim de promocionar a partida.

E pra um Argentina X Brasil não poderia ser diferente.

Ontem o pessoal da Agência Ideal, que cuida das redes sociais da Nike no Brasil, me mandou o vídeo que fizeram pro jogo de Rosário.

Como ando um pouco ocupado com o blog da LNB, só pude postar hoje.

Mas aí vai, Luís Fabianosem papas na língua!

Tarde no Maraca

maraca maracanã sepia terde no maraca

No último domingo estive no Maracanãzinho para cobrir o Jogo das Estrelas do NBB.

Mas desde sábado, antes de embarcar rumo à cidade maravilhosa, só conseguia pensar no Maracanã, no Flamengo X Vasco.

Eu já conhecia o gigante carioca de infância, mas nunca havia presenciado um clássico. E eu estaria ali ao lado, pertinho do Maraca.

No sábado à noite, na solidão do quarto do hotel, eu pensava no mítico estádio lotado e, sinceramente, não queria nem saber de basquete.

No domingo fui cumprir com minha obrigação, mas o coração e a cabeça seguiam frmes à suas idéias e seus ideais, fiéis ao esporte bretão.

Entre enterradas, tocos e assistências eu saía do ginásio pra encher os pulmões de fumaça e, principalmente, dar uma espiadinha na movimentação do lado de fora. E o coração batia em ritmo de gol.

Acabado o Jogo das Estrelas restou o dilema: o avião que me esperava no Galeão ou a minha espera, meu desejo por uma tarde no Maraca.

Depois de inúmeros e inúteis telefonemas não consegui mudar meu voô, ironicamente marcado para a hora do jogo. Cheguei a entrar no ônibus com os atletas e treinadores do NBB que me deixaria no Santos Dumont, metade do caminho para o Galeão

Mas o Maracanã estava ali, bem ao meu lado. 

E então pensei, que se foda o avião!

Na real, a partida nem foi boa. Muita falta, muito carrinho… e pouco futebol.

Mas valeu pela tarde no Maraca!

Justificativas do comedor de ópio

opium houseUm dos efeitos clássicos do consumo de ópio é a pouca disponibilidade para o movimento.

Só se quer deitar, parar… enquanto  o mundo segue sua rotina, seu giro diário.

Por isto as casas opiáceas foram tão populares nos tempos de Shakespeare ou de Fernando Pessoa. Casas onde se podiam consumir o ópio  de forma segura, tranquila… sem precisar se importar com assaltos e outras chateações advindas de aproveitadores do estado de torpor.

Então, não me parece um devaneio que os leitores comecem a desconfiar de minhas condições. Mas esclareço que a falta de atualizações no blog não se deve ao excessivo consumo de ópio. Oxalá que o problema fosse preguiça e não a falta de tempo em que me encontro atualmente.

ball shine opiumO verdadeiro motivo é que o futebol não pode mais ser meu único devaneio. A bola laranja entrou em minha vida e agora meu tempo se divide entre o ópio e o basquete.

É claro que este blog não ficará abandonado, como se encontra ultimamente. É questão de tempo aprender a manejar melhor as voltas do relógio, criar rotinas, separar algumas horas, poucas que sejam, para o entorpecimento popular.

O ópio está devagar. Mas é só um tempo. Voltando aos efeitos do consumo, depois do torpor, da leseira, segue-se uma leve irritação, um estado de inquietude quase sufocante. Ansiedades, nervos, movimento.

E claro, posts.