Palpites pras oitavas da Champions

Hoje começam as oitavas de final da Uefa Champions League, o melhor campeonato de futebol do Mundo!

E o Ópio não vai ficar de fora dessa. Na sequência, os palpites para essa primeira fase do mata mata. Vale a lembrança, os palpites são pra quem passa de fase, não pra quem vence os jogos de ida, ok?

Tottenham X Milan

Um confronto bem interessante destas oitavas de final. Do lado do Milan, a camisa e a tradição. Do lado do Tottenham, um time mais organizado e equilibrado. À época do sorteio eu cravava que os ingleses passariam, mas confesso que Antonio Cassano pôs uma pulga atrás da minha orelha. Desde que o atacante foi contratado junto à Sampdoria, o Milan se tornou um time mais vibrante, menos blasé. E se o Tottenham tem equilíbrio, organização e o excelente Gareth Bale, o time de Milão tem Ibrahimovic em grande fase. O resultado da primeira partida, na Itália, será fundamental pra decidir esse confronto e eu acho que o Milan passa às quartas.

Schalke 04 X Valencia

Tecnicamente este é o pior confronto das oitavas. O Schalke capenga no campeonato alemão (10º colocado) e o Valencia não empolga ninguém, mas pelo menos faz um bom papel na liga espanhola, é 3º, atrás apenas da dupla Barça e Real. Se o embate entre espanhois e alemães não enche os olhos do ponto de vista técnico, pelo menos é um grande atrativo no que se refere ao equilíbrio. Confronto difícil de dar um prognóstico, mas não dar pra apostar no Schalke, dá Valencia.

Barcelona X Arsenal

O jogo dos virtuosos. Barcelona e Arsenal são os times que praticam o futebol mais vistoso do velho continente. Seus técnicos – Guardiola e Wenger – são verdadeiros estetas, querem ganhar, mas a vitória não basta, tem que ter aplausos. Na temporada passada os dois se cruzaram, deu Barça com show de Messi e o treinador do Arsenal vaticinou: Ele é um jogador de vídeo game. Eu diria mais, Messi não é um jogador de vídeo game, é um bug futebolístico, incapaz de ser parado na bola. Adoro ver o Arsenal jogar, mas enquanto do outro lado houver Messi, Xavi e Iniesta, meu voto é do Barça!

Shakhtar Donetsk X Roma

Embate bem interessante. De um lado os ucranianos do Shakhtar Donetsk com um time arrumadinho, que joga de forma organizada e sabe exatamente o que quer dentro de campo. Do outro os italianos da Roma, um dos times mais instáveis da Europa, capaz de encarar a Inter em Milão e depois tomar um chocolate do Avelino em casa. O primeiro jogo é na Itália, o que pode favorecer a Roma, mas eu aposto no Shakhtar.

Chelsea X Copenhagen

O Copenhagen foi uma boa surpresa na fase de grupos, jogou bem e conseguiu até um empate com o Barça, 1 X 1 na capital dinamarquesa. O Chelsea vive seu pior momento desde a chegada do dinheiro russo ao clube. O time não se encontra e com o crescimento dos rivais internos, se vê em risco de ficar de fora da próxima Champions – hoje ele é apenas o 5º colocado, na zona de classificação da Europa League. Mesmo assim acho que dá Chelsea.

Real Madrid X Lyon

Nas últimas 6 temporadas o Real Madrid caiu nas oitavas da Champions, cada ano com um treinador diferente. O sétimo é o aclamado José Mourinho e pelo embalo do time merengue é difícil de acreditar que o tabu resista. Do outro lado está o Lyon, responsável pela eliminação do Real na temporada passada. O time francês é organizado, equilibrado, mas sem brilho. Neste confronto existe a chance de zebra, mas acredito que o Real passe até com certa folga.

Bayern de Munique X Inter de Milão

Este é um confronto que dispensa comentários, basta dizer que na temporada passada este jogo foi a final da Champions League. A Inter vive uma fase de transição, Leonardo assumiu a equipe após o Mundial Interclubes e o time vem crescendo, embora se note alguma instabilidade. Ponto alto do escrete interista, o camaronês Samuel Eto’o que está simplesmente comendo a bola na atual temporada. O Bayern é apenas o 3º colocado na liga alemã, 13 pontos atrás do líder Borussia Dortmund. O time bávaro tem grandes problemas na defesa, mas na frente Robben e Thomas Muller se encontram em grande fase e podem fazer a diferença para os alemães. Esse confronto é de longe o mais difícil de apontar que passa e quem fica. Com tanto equilíbrio não existe prognóstico, é tudo palpite. E o meu é que os alemães se vingam da derrota na final na temporada passada.

Manchester United X Olympique de Marselha

O Olympique tem uma equipe dura de ser batida. Uma defesa sólida – mesmo com o Heinze – e um meio de campo bem pegador, na frente não conta mais com o ótimo Mamadou Niang e o ataque é o ponto fraco do time francês. E se o ataque deles é o problema, a defesa do Manchester é a solução. Ferdinand e Vidic formam o melhor miolo de zaga do mundo e mesmo sem um deles, o substituto Chris Smalling já mostrou que dá conta do recado! Sem falar que é o Manchester do Alex Ferguson. O time inglês é favorito absoluto no confronto.

Imagem: Living The Dreams

Cala a boca Robinho!

Não tive nenhum problema com o Roberto Mancini. O que acontece é que o futebol inglês não é muito bom pra jogador brasileiro, muito bola alta e a gente gosta de jogar com ela no chão.

A frase acima foi dita por Robinho em sua apresentação no Milan, seu novo clube.

Que o jogador foi pra Inglaterra a passeio, isto todo mundo já sabia! Mas eu pensava que ele pelo menos aproveitaria sua estada na terra da rainha para acompanhar o melhor torneio nacional de futebol do mundo, a Premier League.

Mas não. Se Robinho viu algum futebol na Inglaterra foi em algum especial da BBC sobre a modalidade nos anos 60 e 70. Nesta época realmente o futebol inglês vivia única e exclusivamente dos chuveirinhos. Hoje, somente times como o Bolton, o Wigan e os demais pequenos é se utilizam deste recurso.

Na elite isto é passado. A turma do Big Four (Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool) mais o Tottenham e o Manchester City – aspirantes a grandes – só jogam com a bola no chão. Mais especificamente nos casos de United, Chelsea e Arsenal, estes clubes figuram entre os que jogam o futebol mais bonito do mundo; muita posse de bola, agressividade, intensidade e toques de pé em pé. O Arsenal então – do técnico francês Arsène Wenger – nem se fala, no dia em que o jogo encaixa é mais vistoso que o Barça!

Então das duas uma: Ou Robinho viu muito pouco da Premier League em seu tempo de City ou esta foi só mais uma desculpinha pelo péssimo futebol apresentado no clube inglês.

Independente de qual seja, tá mal o cara das pedaladas.

Imagem: Folha do Mato Grosso do Sul

Moltes Grácies Ronaldinho!

Quem viu a disputa do Troféu Juan Gamper na tarde de hoje, 25 de agosto, pôde perceber porque o futebol é um esporte tão apaixonante. Não pelos gols, dribles e belas jogadas, mas por ser um jogo tão lúdico e humano.

O Troféu Juan Gamper é disputado no início da temporada européia, sempre no Camp Nou, serve de preparação para o Barça, além de ser uma homenagem a um dos fundadores do clube, o suiço Juan Gamper.

Mas na edição deste ano o homenageado foi outro, Ronaldinho Gaúcho. E foi de arrepiar.

Ronaldinho foi o último a entrar em campo. Quando todos os jogadores já estavam no gramado, foi passado um vídeo no telão do estádio com alguns dos melhores momentos do craque gaúcho vestindo a camisa 10 do Barcelona. E foram tantos, o meu preferido o antológico gol da sambadinha contra o Chelsea. Só depois deste vídeo foi que Ronaldinho apareceu. E o camisa 80 do Milan foi recebido de pé pelos torcedores, ovacionado em um Camp Nou  lotado e repleto de admiração e gratidão pelo jogador.

Na hora da foto, Carles Puyol – como um grande capitão – puxou o amigo Ronaldinho que saiu, com a camisa do Milan, na fotografia oficial do Barça.

Aos 31 do segundo tempo o Gaúcho foi substituído. E para retribuir o carinho tirou a camisa do Milan e deixou à mostra sua camiseta com os dizeres: Barça ti amo, Ronaldinho.

Mas as homenagens não pararam por aí. O Barça ficou com o título após bater o Milan nos pênaltis, mas o troféu não ficou na Catalunha. Em mais um gesto nobre, Puyol ofereceu a taça do Juan Gamper a Ronaldinho Gaúcho que ainda recebeu das mãos de Sandro Rossel, presidente do Barcelona, um placa comemorativa aos seus 5 anos no clube azul e grená.

Emocionado, Ronaldinho declarou à TV do Barça:

Não esperava que fosse tão bonito. Uma homenagem deste tipo geralmente é feita quando o jogador já não está vivo. Pra mim fizeram ainda em vida e por isto estou tão emocionado.

Abaixo, um pouco das homenagens no Camp Nou.

Imagem: Barcelona
Vídeo: MrALBHD

A boa lista do Mano

Mano Menezes fez sua primeira convocação à frente da Seleção Brasileira. E surpreendeu, pelo menos àqueles que esperavam uma lista com Dentinho, Chicão, Elias e Roberto Carlos, todos atletas do Corinthians. O único jogador do Timão na convocação foi o volante Jucilei, o que me pareceu uma boa surpresa.

O time que encabeçou a lista foi o Santos com 4 jogadores, Robinho, Neymar, Ganso e André. O volante Arouca foi a ausência santista mais sentida. Pelo menos eu queria vê-lo vestindo a amarelinha.

Já que a palavra de ordem é renovar, dos 24 convocados 7 têm idade olímpica. Pato (Milan), Ganso (Santos) e Rafael (Manchester United) com 20 anos, Neymar (Santos) com 18, Sandro (Internacional) com 21, André (Santos) e o goleiro Renan (Avaí) com 19. Sangue novo na seleção que tem média de idade de 23,1 anos.

De forma geral gostei muito da convocação. Algumas lembranças são bem interessantes, como o zagueiro David Luiz (Benfica), o volante Jucilei (Corinthians), o lateral Rafael (Manchester United) e o jovem goleiro Renan (Avaí). Os retornos de Lucas (Liverpool), Pato (Milan), Hernanes (São Paulo) e Marcelo (Real Madrid) são excelentes, estes jogadores nunca deveriam ter sido afastados da seleção e, ao meu entender, deveriam ter ido à África do Sul. A esperada convocação de Paulo Henrique Ganso (Santos) também foi outro ponto positivo da lista do Mano. Quando leu o nome do meia paraense, o novo técnico da Seleção até soltou um sorrisinho maroto, como quem dissesse esse é o cara!

De negativo poucos nomes. Eu particularmente não gosto dos laterais Daniel Alves (Barcelona) e André Santos (Fenerbahçe), embora entenda a convocação dos dois. Na minha lista também não estariam os zagueiros Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo), acho que temos muitos zagueiros na frente deles, por exemplo Alex Silva (São Paulo), Miranda (São Paulo) e Leonardo Silva (Cruzeiro). Agora o que não entendi mesmo foi a convocação do goleiro Jéfferson (Botafogo) e do meia Éderson (Lyon). Jéfferson é bem fraquinho, inconstante, e até hoje não aprendeu a pegar falta. Já Éderson nunca se firmou no Lyon e nem mesmo no Fenerbahçe, não o vejo com bola suficiente pra vestir a camisa da seleção.

Outra coisa que vale ressaltar é a qualidade dos volantes, algo tão essencial no futebol moderno onde atacantes e meias não têm espaço e tempo nem para pensar. Hoje os volantes ganharam grande importância, sendo quase sempre os responsáveis pela organização do jogo. Mano só chamou volantes que sabem jogar. Ramires (Benfica), Lucas (Liverpool), Sandro (Internacional), Jucilei (Corinthians) e Hernanes (São Paulo) marcam, mas também gostam da bola e saem muito bem para o jogo.

Dia 10 de agosto este grupo entra em campo no amistoso contra o Estados Unidos, em Nova Jersey. Será o início da Era Mano Menezes à frente da seleção. Não sei se é pelo alívio do fim do dunguismo ou se pela boa primeira convocação do Mano, mas a expectativa é das melhores para os próximos anos!

Os 24 do Mano

Goleiros
Jéfferson (Botafogo), Renan (Avaí) e Víctor (Grêmio).

Laterais
Daniel Alves (Barcelona), Rafael (Manchester United), André Santos (Fenerbahçe) e Marcelo (Real Madrid).

Zagueiros
David Luiz (Benfica), Thiago Silva (Milan), Henrique (Racing Santander) e Réver (Galo).

Volantes e Meias
Ramires (Benfica), Jucilei (Corinthians), Lucas (Liverpool), Hernanes (São Paulo), Sandro (Internacional), Ganso (Santos), Éderson (Lyon) e Carlos Eduardo (Hoffenheim).

Atacantes
Neymar (Santos), André (Santos), Robinho (Santos), Pato (Milan) e Diego Tardelli (Galo).

Vieri pode jogar Paulistinha 2010

bobo_vierri_azzurra

Quando ouvi a notícia confesso que cheguei a questionar minha sobriedade, seria mais um flashback lisérgico???

Não, não haviam drogas nem delírios, pelo menos não de minha parte.

Embora ainda não seja certo, a história existe mesmo e foi confirmada no Bate Bola da ESPN Brasil pelo presidente do Botafogo de Ribeirão Preto, Luiz Antônio Pereira.

O aposentado Christian Vieri il Bobo –  pode mesmo jogar o campeonato paulista do ano que vem… e pelo Botafogo de Ribeirão Preto!

De acordo com o sítio oficial do Botinha, as negociações se desenvolvem há cerca de 60 dias e o jogador italiano já teria até assinado um pré contrato com a Pantera da Mogiana.

Eu nunca fui fã do Vieri, sempre o achei um jogador de força e nada mais. Sem falar no uso excessivo dos cotovelos, algo que realmente abomino. Mas mesmo assim reconheço seus dotes de goleador.

Ao longo de sua carreira em clubes, o Bobo Vieri balançou as redes 185 vezes em 330 partidas e pela Azzurra foram 23 gols em 49 jogos, sendo 9 destes tentos em Copas do Mundo (5 em 1998 e 4 em 2002 – 9 gols em 9 partidas de Copa não é pra qualquer um). Números indiscutivelmente muito bons!

Mas desde a temporada 2002/2003, quando jogando na Inter de Milão marcou 24 gols em 23 partidas pela liga italiana, ele não consegue convencer.

2003/2004 – Inter de Milão – 13 gols em 22 jogos
2004/2005 – Inter de Milão – 13 gols em 27 jogos
2005/2006 – Milan – 1 gol em 8 jogos
2005/2006 – Mônaco – 3 gols em 7 jogos
2006/2007 – Atalanta – 2 gols em 7 jogos
2007/2008 – Fiorentina – 6 gols em 26 jogos
2008/2009 – Atalanta – 2 gols em 9 jogos

A minha dúvida quanto ao Vieri é a mesma que eu tinha em relação ao Ronaldo – logicamente sem comparações, as proporções são as mesmas, Ronaldo está para Vieri assim como o Corinthians está para o Botafogo de Ribeirão Preto.

Se ele jogar, se as contusões não atrapalharem, seguramente Vieri será muito útil ao Botinha. Tanto dentro de campo – afinal, estes times pequenos do interior sempre têm sua cota de velhinhos e o Bobo, com 36 anos, já mostrou que sabe fazer gols – como fora dele, pois ninguém pode dizer que a suposta contratação não é uma grande jogada de marketing.

E te digo mais, se ele fizer uns golzinhos no Paulista não duvido nada que após o regional apareça na série A do Brasileirão.

Abaixo, aquele que – para mim – é o melhor gol da carreira de Christian Vieri. No Vicente Calderón, jogando pelo Atlético de Madrid contra o Paok da Grécia, pela Copa da Uefa 1997/1998. Vale a pena conferir!

Imagem: Bobo Vieri mister 90 miliardi
Canal do Youtube: takischris

Gol de técnico

Há uns dez dias o técnico do Nagoya Grampus fez um golaço na partida contra o Yokohama Marinos pela J-League.

O gol, logicamente não valeu, mas mesmo assim merece uma placa no Nissan Stadium.

O autor do gol é o célebre e controverso craque iugoslavo – no mundo de hoje seria sérvio – Dragan Stojkovic.

Pros mais novos, Stojkovic era um daqueles clássicos camisas 10 que hoje quase não existem e pelos quais tanto choram os mais românticos dos críticos. Extremamente técnico, errava no máximo 3 passes por temporada e era capaz de dar lançamentos perfeitos de 50, 60 metros.

Na Copa de 90 Stojkovic foi o grande jogador da Iugoslávia e fez uma partida épica contra a Espanha nas oitavas de final, marcando dois golaços! Ironicamente foi um dos 3 jogadores que perderam os pênaltis que resultaram na eliminação iugoslava nas quartas contra a Argentina.

Um jogador fantástico que na final da Champions League de 1991, atuando pelo Olympique de Marselha, se negou a bater um pênalti contra seu ex clube, o Estrela Vermelha de Belgrado, seu time de coração. Nesta final os iugoslavos ficaram com o título com um 5 X 3 nas penalidades.

Mas 2 anos depois Stojkovic se redimiu com a torcida da riviera francesa e ajudou o mesmo Olympique de Marselha a conquistar a Champions de 93, derrotando o poderoso Milan na decisão.

Sem mais delongas, vale a pena ver o lance do técnico Dragan Stojkovic.

Canal do Youtube: The Jamie Bullen Channel

As últimas vagas da Europa

A FIFA sorteou hoje os confrontos da repescagem européia das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

O equlíbrio deve dar a tônica destes enfrentamentos que decidem os últimos 4 europeus no Mundial da África.

repescagem-eliminatorias-zona_europeia-farol-uniao_europeia-confrontos

A única superioridade incontestável é dos franceses sobre os irlandeses. Mas o estilo antagônico das duas seleções pode gerar muita dificuldade para os Les Blues.

Pra quem pensa que Portugal pegou uma molezinha sugiro que acompanhem os jogos da Bundesliga. A seleção bósnia conta com diversos bons jogadores como os meias Pjanic (Lyon), Salihovic (Hoffenheim) e Misimovic – atual campeão alemão pelo Wolfsburg. Sem falar na poderosa dupla de ataque formada pelo inseparável parceiro de Grafite no Wolfsburg, Edin Dzeko (vice artilheiro da Bundesliga na temporada passada e atual vice artilheiro das eliminatórias européias) e o letal Vedad Ibisevic que jogando pelo promovido Hoffenheim fez 19 gols só no primeiro turno – 17 jogos – do campeonato alemão da última temporada.

Grécia e Ucrânia é um confronto de seleções muito parecidas. Os gregos têm um esquema bem defensivo e no ataque apostam tudo na velocidade de Gekas (Larissa) – artilheiro da zona européia de classificação pra Copa – e nas bolas paradas de Karagounis (Panathinaikos). Os ucranianos também têm um esquema que prima pelo sistema defensivo e as ações ofensivas são concentradas na dupla do Dynamo de Kiev, Shevchenko e Milevskiy.

Já no confronto entre os ex soviéticos e os ex iugoslavos, vejo um leve favoritismo para os russos que possuem mais jogadores talentosos como Arshavin (Arsenal), Zhirkov (Chelsea), Bystrov (Zenit) e o jovem Dzagoev (CSKA Moscou), além do excelente goleiro Akinfeev (CSKA Moscou), pretendido por alguns dos grandes clubes europeus como Manchester United, Milan e Bayern de Munique. Mas os russos que se cuidem, a Eslovênia – mesmo sem nenhum grande craque – tem um time arrumadinho que sabe se defender bem e sai muito rápido nos contra ataques.

Meus palpites são que França, Rússia, Bósnia e Grécia chegarão ao Mundial da África, enquanto Portugal, Ucrânia, Eslovênia e Irlanda terão que assistir a Copa pela televisão.

Imagem original: Cafe Babel

UEFA Champions League 09/10

Hoje começa a UEFA Champions League, o melhor torneio de futebol de clubes do mundo e pra mim, técnicamente melhor até que a Copa do Mundo, tendo esta última um componente extra que é a disputa entre nações, mas do ponto de vista técnico não tenho a menor dúvida que a Champions é melhor.

O Barça defende o título da última temporada e mais uma vez é um dos faoritos. O Real Madrid começa a disputa da competição cheio de pompa, com Kaká e Cristiano Ronaldo, dois campeões dos últimos 3 anos. Mas eu tenho a sensação que este ano é do Chelsea. Os azuis de Londres passaram raspando nas duas últimas edições da Champions. Na temporada 07/08 foi finalista e na decisão teve uma grande chance de levantar a taça. Com 4 X 4 na disputa de pênaltis bastava o capitão John Terry converter a última cobrança, mas o zagueirão acabou escorregando e na sequência o Manchester faturou.

Na edição anterior o Chelsea repetiria a final com o Manchester até os 49 do segundo tempo da partida de volta da semi contra o Barça. Mas Iniesta acertou um chute fantástico da entrada da área desclassificando o time de Stamford Bridge. E na finalíssima deu Barça, 2 X 0 sobre os pupilos do Sir Alex Ferguson.

Pra este ano o Chelsea manteve a base da temporada passada. Só perdeu Shevchenko – que hoje em dia não faz muita diferença – e contratou o russo Zhirkov que é um bom jogador, mas nada de excepcional. Em compensação no banco de reservas tem agora o italiano Carlo Ancelotti, retranqueiro convicto, mas que sabe o caminho do título. Ele foi campeão com o Milan por duas vezes como jogador (88/89 e 89/90) e outras duas como treinador (02/03 e 06/07). O futebol dos times dirigidos por Ancelotti também não me agradam, em nada! Mas que ele sabe armar equipes vencedoras e difíceis de serem batidas, isto é inegável.

Abaixo uma rápida análise dos 32 times da Uefa Champions League 09/10

Os Favoritos

barçaBarcelona

Como não poderia deixar de ser o Barça entra na Champions deste ano como um dos grandes favoritos. E não há outra expctativa para uma equipe que tem um ataque formado por Messi, Ibrahimovic e Henry. Sem falar em Xavi, Iniesta, Yaya Touré, Daniel Alves e Piqué, um timaço!

Ponto Positivo: São muitos os pontos fortes do Barcelona. Sua escola de jogo, tão própria, tão bela. A divisão de base catalã que não para de fornecer jóias à equipe principal. O meio de campo formado por Yaya Touré, Xavi e Iniesta. Mas sem dúvida a grande expectativa é para o que farão juntos Messi, Ibrahimovic e Thierry Henry.

Ponto Negativo: Por outro lado é difícil ressaltar alguma coisa negativa no time dirigido por Josep Guardiola. Talvez apenas a pressão de defender o título. Lembro que na temporada passada eu e Thiaguinho Lesadão conversávamos sobre a dificuldade de vencer duas vezes consecutivas uma competição deste peso.

Estádio: Camp Nou – Capacidade: 98.772 expectadores.

chelseaChelsea

Como já disse acima tenho a sensação que este será o ano do Chelsea. O time londrino bateu na trava nas duas edições anteriores e penso que Carlo Ancelotti pode trazer a fagulha vencedora que faltou aos azuis nas temporadas passadas.

Ponto Positivo: O Chelsea manteve sua base da temporada passada. Perdeu o ucraniano Shevchenko e contratou o russo Zhirkov. O time é muito forte com uma defesa sólida, um meio de campo excelente que conta com os ótimos Essien e Lampard. Além de um ataque letal com a dupla Drogba e Anelka.

Ponto Negativo: A pouca camisa. Embora o Chelsea tenha se transformado em uma grande potência, seus concorrentes ainda o olham de cima. O time londrino ainda não conseguiu perder a cara de novo rico, de emergente. E isto pode pesar na hora da decisão.

Estádio: Stamford Bridge – Capacidade: 42.055 expectadores.

liverpoolLiverpool

Se tem um time que pode ser enquadrado no rótulo de copeiro no velho continente este é o Liverpool. Tá sempre chegando e vez por outra ganhando. Ou vocês não se lembram da fantástica decisão de 2005 em Istambul?

Ponto Positivo: A essência copeira. O Liverpool é daqueles times chatos. E quando faz a primeira fase meio capenga, aí que os rivais devem se preocupar mesmo. É uma espécie de Itália dos clubes europeus. Também conta com uma fanática torcida e dois jogadores que eu julgo muito acima da média, o espanhol Fernando Torres e o inglês Steven Gerrard, este último absolutamente fantástico!

Ponto Negativo: O time atravessa uma grave crise financeira. Perdeu um de seus pilares no meio campo, o volante espanhol Xabi Alonso que foi para o Real Madrid, juntamente com o lateral Arbeloa. Faltam peças de reposição e isto pode fazer a diferença.

Estádio: Anfield Road – Capacidade: 45.362 expectadores.

manchester_unitedManchester United

É verdade que o Manchester perdeu seu principal craque para o Real Madrid, o português Cristiano Ronaldo, melhor jogador do mundo na temporada passada. Também perdeu seu principal reserva, o argentino Carlos Tévez que foi para o rival de cidade, o City. Mas o Manchester é o Manchester e só isto já vale o favoritismo.

Ponto Positivo: Com a saída de Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney assume cada vez mais o papel de protagonista do time de Alex Ferguson. E pelo início da temporada, o Shrek Rooney tem mostrado que a torcida dos Diabos Vermelhos pode se empolgar. Ele tá jogando muito e tem tudo pra se firmar este ano como um dos 5 melhores jogadores do planeta.

Ponto Negativo: É um momento de reestruturação do Manchester. Sem Ronaldo ainda não sabemos como o time se comportará. Em outras oportunidades em que Ferguson perdeu seu camisa 7 (Beckham e anteriormente Cantoná) o time passou por maus momentos. Mas eu não descarto o Manchester.

Estádio: Old Trafford – Capacidade: 76.212 expectadores.

Continue lendo

Juras injúrias

putas-prostitutasEu te amo… mas eu te minto.

Eu te amo… mas eu te traio.

Eu te amo… mas eu te troco.

Amores fugazes que não duram mais que um momento, mais que um sopro. Esta é a tônica do mundo de hoje, moderno e apressado. Esta é a lei que rege o futebol atual, grana e mentira.

Há menos de seis meses Kaká disse não à montanha de dinheiro do Manchester City, fez juras de amor eterno e inquestionável ao Milan. Declarou que terminaria sua carreira ali e que, no fim, seria conhecido como um Paolo Maldini, uma bandeira do rubro negro italiano.

Mas os meses passaram, a grana diminuiu e o amor, parece que também. O novo pretendente não era mais um aventureiro, um destes novos ricos sem pedigree. O Real Madrid tem nome e sobrenome no mundo do futebol. Tem grife, tem pompa, mesmo que sua história por trás da história não seja das mais belas.

Se o City está pra um emergente, o Madrid representa o filho perfeito de um velho Coronel do interior, um daqueles que usurparam o povo e a terra, mas que segue com seu status de nobreza e cara de bom moço, autêntico Dotôr.

E seduzido pela aura encantadora do Real Kaká se foi. Disse que o amor não acabara, mas que o momento pedia a separação, que seria melhor assim. Papo de quem quer sair fora, mas quer terminar bem. Seguimos amigos

Papo furado, furadíssimo.

Na verdade o amor nunca existiu.

O amor no futebol virou amor de putas. Mas não dos puteiros de Florentino Ariza, nem das putas tristes do nonagenário jornalista sem nome de Marquez.

Amor com preço, com hora marcada. Pra gozar e pra dizer adeus.

amor_bandido

Imagem: Original Ópio do Povo
Foto Prostitutas: Rádio France Internacional

O país do médico de futebol

medicina esportiva o país do futebol o país do médico de futebolQue o mundo de hoje já não é o mesmo dos tempos em que nasci, isto é fato. E consumado. Assim como também é vero que as mudanças são cada vez mais velozaes e, às vezes, até imperceptíveis.

Eu nasci em 1980 e, mesmo com a seca de copas que só teve fim em 94, cresci em uma Terra conhecida e reconhecida como o País do Futebol. Do carnaval também, da corrupção, da malandragem, da hipocrisia. Mas hoje falaremos só de bola.

Os anos se passaram, vieram dois títulos mundiais, craques que ousamos comparar, ou equiparar, aos grandes monstros sagrados do futebol. E o Brasil seguia sendo o País do Futebol

Os anos 90 inseriram neste contexto a tal globalização, que finalmente aportava, de uma vez por todas, no universo da bola. Os senhores do mundo começaram a vir aqui com mais frequência para fazer a feira do futebol. Pernas baratas, parafraseando e distorcendo, um pouquinho, o ídolo Galeano. Que não confundam com Galiani, este só aparecerá no texto depois.

Janelas abertas, debandada geral. E mesmo assim seguíamos sendo o País do Futebol

De uns anos pra cá um novo elemento apareceu. Jogadores brasileiros contundidos que atuam na Europa começaram a vir ao Brasil para se recuperarem. Eu sempre desconfiei do discurso de que aqui, a estrutura de recuperação é muito melhor que a dos clubes europeus. É um discurso difícil de acreditar visto a realidade precária dos nossos clubes.

Sempre acreditei mais na teoria de que essa era uma ótima desculpa pra voltar pra casa, rever amigos e família, comer feijoada e se divertir com aquele pagodinho pavoroso. E claro, serem mimados como lá fora não são. 

Ontem Kaká anunciou que da próxima vez que se machucar tomará decisões diferentes em relação a seu tratamento. Nas entrelinhas, que não irá tratar-se mais no Milan Lab. No dia anterior, Dunga falou que o meia havia se tratado 5 semanas no Milan sem muito resultado e que, com 6 dias com a equipe médica da seleção, já estava pronto pra jogar. Kaká também foi por este lado e a diretoria milanista não gostou das declarações.

Do outro lado do Atlântico, Eduardo Galiani respondeu dizendo que o tratamento médico-fisioterápico tem uma sequência e que é lógico que Kaká tenha melhorado aqui, onde foi feita a última parte da recuperação. E acrescentou que o mesmo teria acontecido se ele tivesse ficado na Itália.

Comentando a notícia, rápido como é, do Beira Rio o PVC soltou esta na Espn Brasil:

Engraçado né, éramos  oPaís do Futebol, agora somos o País do Médico de Futebol. Todo mundo quer jogar lá e se tratar aqui.

Perfeita a colocação do Paulo Vinícius. Ainda mais depois de ver a seleção do anão ser massacrada pelo Equador (39 finalizações contra o Brasil!). Cada partida da seleção que vejo me reforça ainda mais esta verdade, não somos mais o País do Futebol. Pelo menos não do futebol arte, do futebol alegria, do jogo bonito.

O que nos resta então?

Que sejamos o país do médico, do fisiologista, do fisioterapeuta de futebol

Imagem: Buick

Resposta convincente

Nunca escondi que não compartilho o pensamento de que Kaká seja um boleiro diferenciado no meio do futebol.

É lógico que vindo de uma estrutura sócio-familiar muito mais sólida que a maioria dos jogadores, o craque milanista apresenta algumas coisas a mais que a média, consegue falar esses e se refere a si mesmo no singular, o que já é um alívio para os ouvidos.

Mas isto é pouco. A postura cordeirinha de bom menino e o excessivo cuidado com o que fala – nem sempre o que pensa, é o que me parece – me irritam bastante a acabam por me induzir a colocar Kaká no plano dos comuns no que se refere ao fora do campo, que fique bem claro.

Nem de longe consigo ver nele a lucidez de um Roque Júnior, a claridade de um Alex (Fener), o pensamento crítico de um Sócrates ou um Casagrande.

Em 2 ocasiões confesso que me desarmei do que penso para internamente aplaudir Kaká. A primeira foi no embate com Dunga, quando o meia se impôs pelo craque que é e pelo que representa, requerendo seu espaço na seleção.

A segunda foi agora ao recusar a oferta do Manchester City. Hoje em dia é tão difícil ver alguém dizer não ao dinheiro, quanto mais quando falamos de somas tão astronômicas, que a atitude é sem dúvida alguma digna de aplausos. 

Mas a resposta mais convincente de Kaká foi dada neste domingo. Pelo campeonato italiano o meia fez uma bela partida contra o Bologna.

O Milan venceu por 4X1 e Kaká foi premiado com 2 gols. O segundo um golaço no melhor estilo winning eleven. Quem joga vai ver que o gol foi muito de vídeo game.

A palavra de Berlusconi, vale?

O Primeiro-Ministrio italiano e proprietário do Milan foi á TV pra dizer que Kaká fica!

E o comedor de ópio se pergunta:

A palavra de Silvio Berlusconi, vale?

E se vale, por quanto tempo vale?

Entre preços e valores

kakaDesde que surgiu Kaká é tratado, indiscutivelmente, na grande mídia nacional como o queridinho do futebol brasileiro.

Estereótipo reverso do boleiro; menino de classe média, boa família, bom filho, religioso.

Mas agora o bom menino do futebol está posto à prova. E nem é por causa dos milhões de dólares doados aos pastores da igreja Renascer. Aqueles mesmos que foram presos no Estados Unidos com dinheiro não declarado e hoje respondem por processo de evasão e sonegação fiscal y otras cositas más…

Desta vez o que está em cheque não é a grana que sai do bolso de Kaká, mas a que pode entrar. Uma frase corriqueira nestes tempos corrompidos de hoje é que todo mundo tem seu preço. A questão é justamente esta, se Kaká é realmente uma exceção, um homem de valor. Ou se é apenas mais um destes comuns, destas pobres pessoas com preço e embalagem de plástico.

E não tem aqui nenhum puritanismo quanto ao dinheiro. Não vejo problema que Kaká ou qualquer outro ganhe aquilo que alguém quer lhe pagar. A coisa passa por outro lugar.

Tudo porque ainda teimo em acreditar que as ações devem convergir com as palavras.

Os xeiques do City desembarcaram na Itália com um mundo de dinheiro e o Milan bambeou. Kaká foi correndo à TV do clube dizer que não se interessava pela proposta, que queria envelhecer no rossonero e, um dia, ser capitão do time.

Louvável! Kaká sabe que tem todo dinheiro que precisa hoje e que o terá amanhã. Também sabe que seus filhos, netos e por aí vai não precisarão se preocupar com isso. Da mesma forma ele sabe de seu potencial, sabe que tem tudo para cravar seu nome difinitavamente na história do Milan, da Seleção Brasileira e até do futebol.

E sabe ainda que o City – nem com todo dinheiro advindo do petróleo e do sofrimento de um povo – não se compara ao Milan. Assim como o Chelsea com todo o dinheiro sujo do senhor Abramovic não se compara em grandeza e importância ao Liverpool ou ao Manchester United, para me ater à rivais domésticos.

Mas as propostas e as notícias foram mudando. Os 250 mil dólares, viraram 350 mil, depois viraram libras e os rumores chegam a números que nem ouso citar. A proposta foi recheada por mansões, viagens no jato real pra ver a família, festas, boa vida. Daqui a pouco o xeique Mansour bin Zayed vai oferecer um pedaço da lua ou mesmo de Dubai.

E ao que parece Kaká também balançou. Em determinado momento da tarde o sítio Arabian Business – que tem ligação com o presidente do clube inglês – divulgou em sua página que o City havia fechado com o meia. Mas meia hora depois teve substituir a matéria por uma outra que dizia que Kaká pedia 20% a mais para assinar.

O certo é que o jogador está em negociações. Mesmo depois do discurso de que quer ser um Maldini, que quer ser velhinho com a bengala rubronegra.

Como já disse, acho que Kaká tem todo direito de jogar onde queira e de receber quanto queiram pagá-lo. Mas não consigo ignorar e aceitar as divergências entre discurso e ação. A atitude me fez lembrar de um pequeno e delicioso texto de Eduardo Galeano que se chama Celebração das bodas da  palavra e da ação.  Nele o escritor uruguaio confessa pensar que grande parte da força de Che Guevara provinha de um feito muito simples; dizia o que pensava, fazia o que dizia. Sinceramente não sei se a força do Che vinha desta postura, mas sei que concordo inteiramente com ela.

Por isto acho que o simples fato de negociar com o City depois de reafirmar seu amor pelo Milan não pega bem. E também é por isto que caso hoje, amanhã ou depois, eu veja o Kaká com a camisa azul celeste não vou me assustar, não vou estranhar.

E terei a certeza que ele é mais um como aqueles que eu falava lá em cima, um daqueles que preferem os preços aos valores.

He is the man!

garoto de ouro hernanes sao pauloHá um mês atrás eu falei nesse blog que ele era o cara.

Nesta terça quem disse o mesmo foi o tradicional (320 anos) jornal londrino The Times.

Na edição desta terça feira o periódico divulgou a lista Football´s Top 50 Rising Star, com os 50 jovens jogadores mais promissores do futebol mundial.

E o primeiro da lista é Hernanes do São Paulo. O Times classificou o meia são paulino como a revelação mais empolgante do último ano e disse ainda ser impossível evitar as comparações com Kaká. Fechando a nota a cínica pergunta, quanto tempo resta pra ele se transferir pro futebol europeu? Espero que muito!

O segundo lugar da lista ficou com o francês Karim Benzema do Lyon, que recentemente esteve em Minas com o parceiro de ataque Fred. O terceiro colocado foi o espanhol David Silva – campeão da Euro e jogador do Valência – e o quarto posto ficou com o atacante colombiano do River Plate, Radamel Falcao.

A revelação do Grêmio Douglas Costa fecha o seleto grupo dos 5 jogadores mais promissores do futebol mundial eleitos pelo The Times. Na nota sobre o jovem gremista, o jornal pergunta se ele será um novo Ronaldinho Gaúcho, um novo Anderson.

Outros 4 brasileiros fazem parte da lista. Fábio da Silva do Manchester United é o 9º; ele é ala esquerdo, irmão gêmeo do Rafael que já vem atuando pela lateral direita dos campeões do mundo. Eu nunca vi jogar, mas quem já viu – como é o caso do Mauro Cezar – diz que ele é muito bom.

Carlos Eduardo do Hoffenheim ficou com o 11º lugar. Thiago Silva, agora do Milan foi o 20º e Miranda do São Paulo o 39º.

Uma pena que Ramires do Cruzeiro não tenha entrado na lista.

Se despindo do verde amarelo

jack wilshereO 6º colocado da lista do The Times é o inglês Jack Wilshere, do Arsenal.

Este é pra mim, de longe, o jogador mais talentoso das novas caras do Arsenal, o chamado Wenger´s Babes que disputa os jogos da Fa Cup.

Wilshere é canhoto, baixinho e muito habilidoso.

Arisco, tem excelente drible e de sua canhotinha saem passes e cruzamentos precisos.

Vale a pena ficar de olho.

hamsikylavezzicropOutro que vale a pena prestar atenção é o eslovaco Marek Hamsik do Napoli, 12º lugar no ranking do jornal londrino.

Excelente jogador formado pelo Slovan Bratslava, tem apenas 20 anos e se destaca por ser um meia que faz muitos gols.

Juntamente com o argentino Ezequiel Lavezzi, 14º da lista, Hamsik pode fazer o time do sul da Itália voltar a brilhar no cenário europeu.

Sobre Benzema nem vou dizer nada, pra mim ele já é uma realidade no âmbito mundial e não se enquadra mais no perfil de promessa.

Pobre Cristiano Ronaldo

Não é de hoje que Cristiano Ronaldo deseja transferir-se para o Real Madrid.

Não só pela bela Nereida, nem pela noite da capital espanhola, cidade muito mais afeita aos agitos que a tradicional Manchester.

Mesmo sendo considerado o melhor do mundo, o craque português anda se sentindo desvalorizado na Inglaterra.

Ronaldo acha que está ganhando pouco. 6 milhões e meio de Euros por ano

O Manchester oferece 11 milhões por ano para renovar o contrato em vigor, válido até 2012.

O portugês quer o dobro do que ganha hoje para se tornar não só o melhor, mas também o jogador mais bem pago do mundo.

O posto atualmente é ocupado pelo sueco Zlatan Ibrahimovic da Inter de Milão.

Os 10 maiores salários do futebol mundial                                                       (em milhões de Euros por ano)

1 – Zlatan Ibrahimovic (Inter de Milão) – 12 
2 – Kaká (Milan) – 9
3 – Lionel Messi (Barcelona) – 8
4 – Frank Lampard (Chelsea) – 7,5
5 – John Terry (Chelsea) – 7
6 – Thierry Henry (Barcelona) – 7
7 – Michael Ballack (Chelsea) – 6,7
8 – Cristiano Ronaldo (Manchester United) – 6,5
9 – Ronaldinho Gaúcho (Milan) – 6,5
10 – Steven Gerrard (liverpool) – 6,5