A Alemanha dos novos tempos

Pergunta da Marida

Quem é o destaque da Alemanha na Copa?

Respondo

Pra mim, Mesut Ozil.

Marida

Pára Bê, esse não existe. Nem é nome de alemão.

Realmente, Mesut Ozil não soa nada germânico. Mas o meia do Werder Bremen é genuinamente alemão, nascido em Gelsenkirchen ele carrega no nome as origens turcas, assim como seu companheiro de seleção, Serdar Tasci, nascido na cidade alemã de Esslingen.

A Seleção Alemã dirigida por Joachim Low é a cara desta nova Alemanha, renascida depois da queda do muro. A Alemanha dos imigrantes, dos filhos dos imigrantes, a Alemanha da diversidade.

Miroslav Klose, Lukas Podolski e Piotr Trochowski nasceram na Polônia e foram bem pequenos para a Alemanha. Marko Marin também ingressou ao país quando criança, mas nasceu na Bósnia.

Além de Mesut Ozil e Serdar Tasci, filhos de turcos, outros 4 jogadores nascidos na Alemanha carregam no nome e no sangue suas origens estrangeiras. Jérôme Boateng de Gana, Dennis Aogo da Nigéria, Sami Khedira da Tunísia e Mario Gómez da Espanha.

E ainda tem Cacau, paulista de Santo André que, depois de 10 anos vivendo na terra da cerveja, adotou o país como sua pátria.

Pode não ser a mais pura, mas nenhuma time poderia representar melhor o que é Alemanha hoje.

A seleção alemã que disputa a Copa na África do Sul é a Alemanha dos novos tempos!

Imagem: Federação Alemã de Futebol
Anúncios

Onde está Adriano?

wheres waldo adriano imperador

Imagens da Val Prochnow! Veja também o outro blog da menina.

Após a partida da seleção em Porto Alegre na última quarta, Adriano saiu correndo dizendo que tinha que tomar um avião no Rio rumo a Milão.  

Não tomou. Em lugar disto foi pro Morro da Chatuba, lugar onde nasceu e passou toda a infância. E onde moram boa parte de seus amigos, talvez os únicos verdadeiros.

Nada mais normal para uma pessoa que esteja passando por uma fase de turbulência. Buscar refúgio em suas raízes, em suas origens. Onde se sente mais cômodo, mais identificado, a famosa zona de conforto.

Adriano passou 5 dias no complexo da Chatuba (reapareceu na noite de ontem), não se reapresentou à Inter e serviu de substrato para toda espécie de especulações na imprensa mundial.

Festa com traficantes, sequestro, amor bandido na favela, drogas e álcool são só algumas das suposições levantadas pela mídia, especialmente a brasileira e a italiana.

No decorrer do episódio o empresário do jogador, Gilmar Rinaldi, parecia uma máquina de dizer não. Durante estes dias só desmentiu tudo que aparecia, inclusive que Adriano estivesse na Chatuba. Era não não não, pra tudo. E os boatos seguiram, e seguem, pipocando.

No caso Adriano eu fico com José Mourinho, treinador da Inter de Milão. Em entrevista coletiva no início da semana o português pediu calma aos abutres, prontos para devorar os restos do atacante.

Em relação ao Adriano, não se trata mais de indisciplina. A questão parece ser bem mais séria. E não é de hoje que digo isto.

O que está em risco não é mais a carreira do suposto Imperador, mas a vida do Adriano.

wally adriano