Cala a boca Robinho!

Não tive nenhum problema com o Roberto Mancini. O que acontece é que o futebol inglês não é muito bom pra jogador brasileiro, muito bola alta e a gente gosta de jogar com ela no chão.

A frase acima foi dita por Robinho em sua apresentação no Milan, seu novo clube.

Que o jogador foi pra Inglaterra a passeio, isto todo mundo já sabia! Mas eu pensava que ele pelo menos aproveitaria sua estada na terra da rainha para acompanhar o melhor torneio nacional de futebol do mundo, a Premier League.

Mas não. Se Robinho viu algum futebol na Inglaterra foi em algum especial da BBC sobre a modalidade nos anos 60 e 70. Nesta época realmente o futebol inglês vivia única e exclusivamente dos chuveirinhos. Hoje, somente times como o Bolton, o Wigan e os demais pequenos é se utilizam deste recurso.

Na elite isto é passado. A turma do Big Four (Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool) mais o Tottenham e o Manchester City – aspirantes a grandes – só jogam com a bola no chão. Mais especificamente nos casos de United, Chelsea e Arsenal, estes clubes figuram entre os que jogam o futebol mais bonito do mundo; muita posse de bola, agressividade, intensidade e toques de pé em pé. O Arsenal então – do técnico francês Arsène Wenger – nem se fala, no dia em que o jogo encaixa é mais vistoso que o Barça!

Então das duas uma: Ou Robinho viu muito pouco da Premier League em seu tempo de City ou esta foi só mais uma desculpinha pelo péssimo futebol apresentado no clube inglês.

Independente de qual seja, tá mal o cara das pedaladas.

Imagem: Folha do Mato Grosso do Sul
Anúncios

O Inquestionável Chelsea

O Chelsea conquistou hoje, de forma irrefutável, o quarto tíulo inglês de sua história, o 3º da era Roman Abramovich.

O caneco veio com uma impressionante goleada, 8 X 0 sobre o Wigan no Stamford Bridge. O resultado pode parecer atípico, mas não para os comandados de Carlo Ancelotti. Nesta temporada, foram 13 jogos com goleadas onde os Azuis de Londres marcaram pelo menos 4 vezes, incluindo aí alguns resultados estrondosos como um 7 X 2, um 7 X 1, um 7 X 0 e o 8 X 0 de hoje. A lista pode aumentar já que, no próximo sábado, 15 de maio, o Chelsea disputa a final da Copa da Inglaterra contra o falido e rebaixado Portsmouth e ninguém duvida da possibilidade de mais uma chuva de gols azuis. Abaixo, segue a lista das goleadas na atual temporada:

4 X 0 Atletico de Madrid (Casa – Liga dos Campeões da Europa)
5 X 0 Blacburn Rovers (Casa – Campeonato Inglês)
4 X 0 Bolton (Casa – Copa da Liga Inglesa)
4 X 0 Bolton (Fora – Campeonato Inglês)
4 X 0 Wolverhampton (Casa – Campeonato Inglês)
5 X 0 Watford (Casa – Copa da Inglaterra)
7 X 2 Sunderland (Casa – Campeonato Inglês)
4 X 1 Cardiff City (Casa – Copa da Inglaterra)
4 X 1 West Ham (Casa – Campeonato Inglês)
5 X 0 Portsmouth (Fora – Campeonato Inglês)
7 X 1 Aston Villa (Casa – Campeonato Inglês)
7 X 0 Stoke City (Casa – Campeonato Inglês)
8 X 0 Wigan (Casa – Campeonato Inglês)

Este ataque avassalador propiciou ao Chelsea não só o título, mas também a marca de melhor ataque da fase moderna do Campeonato Inglês, a Premier League, fundada na temporada 1992/1993. De lá para cá, o ataque mais positivo era do Manchester United de 1999/2000 que, liderado por Dwight York e Andy Cole, balançou as redes 97 vezes.

47 anos nenhum time conseguia ultrapassar a barreira dos 100 gols no Campeonato Inglês. A última vez que esta marca havia sido alcançada foi na temporada 1962/1963, quando o mesmo Chelsea marcou 103 vezes e o Tottenham – com 37 gols de Jimmy Greaves, atacante revelado pelo Chelsea – chegou aos 111 tentos. Vale ressaltar que nesta época o campeonato inglês era jogado por 22 clubes, o que resulta em 42 jogos. Hoje são 20 times e um total de 38 partidas. O melhor ataque de toda a história do Campeonato Inglês é o do Aston Villa da temporada 1930/1931 com 128 gols em 42 jogos.

Além do título e das marcas, a campanha do Chelsea serviu também para que se saque um rótulo de seu treinador, Carlo Ancelotti. O italiano foi sempre – na minha opinião injustamente – taxado de técnico retranqueiro. Mas com estes números fica difícil insistir na tese de que Ancelotti só se preocupa com a defesa, a campanha do time londrino fala por si só.

Outro ponto digno de nota na conquista do Chelsea, nos 6 confrontos pelo Campeonato Inglês contra os demais times do chamado Big Four (Arsenal, Liverpool e Manchester United), a equipe de Londres venceu todos e tomou apenas um gol. Bateu os Gunners por 2 X 0 em casa e por 3 X 0 fora. Contra o time da terra dos Beatles, 2 X0 em Londres e o mesmo placar em Liverpool. E contra os Red Devils triunfou por 1 X 0 no Stamford Bridge e 2 X 1 no Old Trafford.

Merecidíssima e inquestionável a conquista do Chelsea.

Imagem: The Guardian

Tottenham de volta à Champions!

Depois de 49 anos, o Tottenham Hotspur está de volta à Champions League.

O Spurs venceu o Manchester City por 1 X 0, na casa do adversário, e alcançou os 70 pontos. Com o resultado, o tradicional time de Londres garantiu o 4º lugar da Premier League e não pode mais ser alcançado por City e Aston Villa.

O Tottenham já está garantido na fase prévia da Champions, mas se vencer na última rodada e o Arsenal, seu arquirrival londrino, perder, o Spurs vai direto para a  fase de grupos e manda os Gunners para a Pré Champions.

O empate era um bom resultado pro time da capital contra o Manchester City, mas não garantia nada, a vaga seria decidida na última rodada. A vitória veio aos 38 minutos do segundo tempo, em lance quase fortuito. Kaboul chegou à linha de fundo e soltou o pé para dentro da área, o goleiro Fulop soltou a bola e Peter Crouch, no susto, meteu pra dentro. Veja o gol aqui.

Crouch foi o nome da partida não só pelo gol. O grandalhão esbanjou categoria e experiência. Seus dois metros e dois centímetros de altura não o impediram de dar dribles desconcertantes nos bons zagueiros do City e o ajudaram no ótimo trabalho de proteção de bola que chegou a irritar os adversários, em especial o belga Kompany.

A torcida do Liverpool – já descontente com os donos estadounidenses do time, Tom Hicks e George Gillet Junior – deve estar se retorcendo vendo Crouch levar o Tottenham ao melhor campeonato de futebol do mundo e tendo que amargar o 7º lugar na Premier League, uma desclassificação na fase de grupos da Champions e na semi da Liga Europa em pleno Anfield, para o mediano Atletico de Madrid. Sem falar em ter que aguentar N’Gog na ausência de Fernando Torres.

A última participação do Tottenham na Champions League aconteceu na temporada 1961/1962.

Imagem: football.co.uk

O futebol e a higiene bucal

Os estádios de futebol, mundo afora, reservam uma infinidade de seres e atitudes estranhas, bizarrices das mais variadas naturezas.

Eu, sempre que viajo, arrumo um jeitinho de acompanhar um jogo ao vivo, qualquer que seja. Já vi até Tigre (ARG) X Chacaritas Juniors (ARG), Juventus (SP) X Linense (SP), Ananindeua (PA) X Tuna Luso (PA), entre tantos outros.

Nos diferentes estádios que já visitei, vi de tudo um pouco… mas a Premier League conseguiu, mais uma vez, me surpreender.

Escovar os dentes nas arquibancadas e, ao mesmo tempo, putear o adversário é realmente uma novidade para mim…

Canal do Youtube: iFCBarca

Cai Cai Balão…

Sunderland X Liverpool jogavam pela 9ª rodada do campeonato inglês no Stadium of Light.

Logo aos 4 minutos do primeiro tempo, o bom Darren Bent recebeu a bola dentro da área, bateu rasteiro e… e gol do balão!!!

O tento aeróstato definiu o jogo, Sunderland 1 X 0 Liverpool.

E o balão é o novo ídolo da galera!!!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

mais sobre “Cai Cai Balão…“, postado via vodpod

Futebol de primeira na segunda!!!

Trilha Sonora: Strange Fruit – Billie Holiday
Composição: Lewis Allan
radinho_de_pilha_do_ópio

billie-holidayEste fim de semana fiquei completamente afastado do futebol.

Eu e a Val fomos para o Festival de Jaz de Ouro Pretoque em sua 8ª edição homenageava a inigualável Billie Holiday – e não vi um único joguinho sequer. Não entrei na internet pra ver resultados, não vi os gols da rodada, necas de pitibiriba.

Acho que desde que voltei ao Brasil isto não acontecia.

Hoje quando cheguei em casa fui seco ligando a TV na ESPN Brasil e, pra minha alegria, começava o VT do derby de Manchester, a partida que eu mais queria ver no fim de semana.

Como já disse eu não sabia o resultado da partida – de nenhuma partida – e o que vi foi um verdadeiro deleite, jogaço! Um daqueles duelos inesquecíveis, capazes de reacender a paixão pela bola do mais desiludido dos torcedores.

O clássico estava empatado até os 35 do segundo tempo quando Darren Fletcher colocou os Diabos Vermelhos na frente. Aos 48 Craig Belamy voltou a empatar o jogo para o City numa pixotada incrível do zagueiro Rio Ferdinand.

E quando todos pensavam que a partida terminaria em igualdade, renascido das cinzas apareceu Michael Owen que marcou o 4º gol e garantiu a vitória do United.

Final, Manchester United 4 X 3 Manchester City.

Um jogo pra tirar o fôlego até em VT! E como bem disse o Juca no Linha de Passe da ESPN, o amor pelo futebol das crianças inglesas que viram o confronto está garantido pelos próximos 50 anos. Incondicionalmente!

Abaixo você pode ver os melhores momentos do memorável jogo!

Antes só dois destaques galeses: O 1º gol de Craig Belamy – 2º do City na partida – verdadeira obra prima! E a exuberante apresentação do grisalho Ryan Giggs. À beira dos 36 anos esbanjou categoria!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

mais sobre “Manchester United 4 – Manchester City…“, postado via vodpod
Imagem: How To Be a Diva – The Drama Queen Guide

Velhinho Bonachão?

sir alex ferguson Alex Ferguson, treinador do Manchester United, parece um tranquilo velhinho do interior da Escócia.

Daqueles vôs corujas que mimam a gente até falar chega e cuidam do jardim.

Mas as aparências enganam.

Por trás da fisionomia de senhor bonachão Ferguson guarda um temperamento impulsivo e, em alguns casos, até violento.

Quem não se lembra quando ele atirou uma chuteira na cabeça do astro David Beckham?

Na semana passada trouxe à tona velhos fantasmas espanhóis chamando o Real Madrid de Clube de Franco. Afirmação que, aliás, eu concordo.

Esta semana a ira do escocês está focada no Canal de Televisão Sky TV, detentora dos direitos de transmissão da Premier League.

A Sky Tv, que paga anualmente 1 milhão e 600 mil Euros à Liga Inglesa, está proibida de cobrir os treinamentos e as coletivas do Manchester.

Tudo porque dois de seus comentaristas, os ex jogadores Paul Merson e Phil Thompson, criticaram Wayne Rooney, atual xodó do treinador e da torcida dos Diabos Vermelhos

Parece que Ferguson aprendeu bem sobre Franco.