11 contra 11

Não tenho muito o que escolher, alguém entra no lugar dele, jogaremos com 11.

A frase, um tanto irônica, foi proferida por Josep Guardiola, treinador do Barcelona, na entrevista coletiva desta terça, 26 de abril, antes do clássico contra o Real Madrid.

Sem seus 3 laterais esquerdos – Abidal, Adriano e Maxwell – Guardiola ganhou mais um desfalque nesta terça, o meia Andrés Iniesta que sofreu uma contratura na panturrilha direita e está fora do jogo no Bernabéu.

Seydou Keita deve entrar no lugar de Iniesta.

Já na defesa o problema é mais complicado e Guardiola terá que improvisar. O mais provável é que Mascherano apareça no miolo de zaga com Puyol sendo deslocado para a lateral esquerda.

Imagem: tpower1978
Anúncios

Análises e Palpites das Quartas de Final – IV

Espanha e Paraguai é o confronto mais desequilibrado destas quartas de final. A Espanha tem um dos elencos mais fortes e interessantes do mundo, com a espinha dorsal formada por jogadores do multi campeão Barcelona. A seleção ibérica tem um estilo de jogo belíssimo, emabasado na filosofia do toco e me vou. Muita técnica e posse de bola. Já os paraguaios contam com um time mediano e souberam aproveitar a ausência do futebol italiano, que não se apresentou na África do Sul. É verdade que o elenco do técnico Tata Martino conta com bons atacantes, mas o time como um todo não é nada demais.

Espanha e Paraguai já se enfrentaram duas vezes em Copa do Mundo. Em 98, na França, um horrível 0 X 0. Em 2002, na Coréia do Sul, 3 X 1 de virada pra Espanha com 3 gols de Fernandos, dois de Morientes e um de Hierro. Puyol, que joga hoje, marcou contra a própria meta.

A Espanha ainda não mostrou tudo que pode. Fernando Torres está muito mal fisicamente e Vicente del Bosque ainda não encontrou uma solução para o problema. O Paraguai por sua vez, já fez até mais do que se esperava com a inédita classificação às quartas de final.

Meu Palpite: Espanha vence por 2 X 0.

Imagens: All Latino e Spanskespanol
Colagem: Picnik

Análises e Palipites das Oitavas de Final – IV

Paraguai e Japão fazem um dos confrontos mais inesperados e equilibrados destas oitavas de final. Os sulamericanos desbancaram a atual campeão Itália no Grupo F, e o Japão surpreendeu o mundo com a habilidade de Keisuke Honda e com um time muito sólido, uma das melhores defesas da primeira fase.

Depois do empate contra a Itália na estréia, o Paraguai jogou com o regulamento. Saiu pra matar a Eslováquia e, sem querer correr riscos, só controlou a partida contra a Nova Zelândia. Resultado, primeiro lugar na Chave F e fuga do confronto contra a Holanda. A Seleção Guarani tem um bom elenco dirigido por um excelente técnico, Tata Martino. O setor ofensivo é recheado de bons jogadores como Roque Santa Cruz, Lucas Barrios, Oscar Cardozo e Haedo Valdez.

O Japão foi uma das maiores surpresas da primeira etapa do Mundial. Depois de tomar coco em quase todos amistosos preparatórios, o time nipônico fez uma excelente fase de grupos. Bateu Camarões, deu um chocolate na Dinamarca e só perdeu pra Holanda. Mais que pelos resultados, a seleção japonesa surpreendeu pelo futebol apresentado. Nada vistoso, mas o time mostrou um sistema defensivo muito sólido e muita eficiência até na bola alta. Mais um detalhe, o Japão é o time que marcou mais gols de falta na Copa, dois, um com Keisuke Honda e outro com Yasuhito Endo.

Este é um jogo muito parelho e difícil de palpitar. O Paraguai deve ter bem mais posse de bola, mas a questão é se conseguirá furar o bloqueio japonês que, na primeira fase, funcionou muito bem. Até aqui o Japão só tomou dois gols, um de fora da área e um em um pênalti bem mandrake. E nos contra ataques e nas bolas paradas os asiáticos podem surpreender. Até ontem eu cravava que daria Paraguai, mas hoje acordei mais Japão.

Meu Palpite: 1 X 1 no tempo normal, 0 X 0 na prorrogação e o Japão vence nos pênaltis.

O clássico ibérico é um dos mais charmosos confrontos destas oitavas de final, rivalidade que vem de séculos. A Espanha sofreu na primeira fase, não foi sombra da campeã européia de dois anos atrás e nem apresentou o futebol envolvente que lhe garantiu a marca de apenas duas derrotas nos últimos 52 jogos. Portugal fez o que podia na primeira fase. Empatou com a Costa do Marfim, goleou a Coréia do Norte e fazendo um joguinho medroso empatou com o Brasil em 0 X 0. O time lusitano marcou 7 gols, mas só balançou as redes em uma partida, no confronto contra a fraquinha Coréia do Norte.

A Espanha foi surpreendida pela Suiça na estréia, mas garantiu o primeiro lugar do Grupo H após bater Honduras e Chile. Todos os gols da Fúria até o momento foram marcados por jogadores do Barcelona, o que mostra um pouco em que ritmo o time quer jogar. Torres anda mal fisicamente, em compensação David Villa faz uma grande Copa e com mais 3 gols se torna o maior artilheiro da história da Fúria. Os Espanhóis ainda não encaixaram seu jogo, seu fuebol bonito de passes curtos e muita posse de bola, mas Vicente del Bosque tem um timaço nas mãos.

Que o time dirigido por Carlos Quiróz evoluiu, disto ninguém tem dúvida. As eliminatórias foram um sufoco e na Copa, em um grupo muito complicado, se não encantou pelo menos se classificou com certa tranquilidade. Com uma defesa que individualmente é fraca, Queiróz armou o time com muita ênfase no setor defensivo, acreditando que na frente Cristiano Ronaldo pode resolver com uma ou duas chances. O sistema pode dar certo e eu não descarto Portugal, mas a Espanha será uma grande prova de fogo para a seleção lusitana.

Acredito que Espanha e Portugal farão uma partida extremamente equilibrada e nervosa, cheia de cartões para os dois lados. A tendência é que a Espanha domine a posse de bola e que Portugal tente a sorte nos contra ataques, principalmente com Cristiano Ronaldo. É um confronto difícil de palpitar, a Espanha tem bem mais time, mas Portugal tem uma seleção respeitável e um craque, então não dá pra ignorar. Creio que será apertado, mas dá Espanha.

Meu Palpite: Espanha 2 X 1.

Imagens Originais: All Latino, Asia Risk ReturnSpanskespanol e Olhares.
Colagem Picnik

Espanhóis fora da rede

Os jogadores da seleção espanhola estão proibidos de utilizar as redes sociais até o fim do Mundial da África do Sul.

A ordem veio de cima, do treinador Vicente del Bosque que quer evitar polêmicas e distrações por parte de seus atletas.

Ontem foi o dia da despedida para os jogadores da Fúria que agora só poderão atualizar Twitter, Facebook, blogs e afins depois do término da Copa.

Andrés Iniesta, meia do Barcelona, escreveu sobre o tema em sua página no Facebook:

Nos pediram que não entremos no Facebook nem no Twitter de hoje até que o Mundial termine para a gente. Voltaremos a nos ver por aqui quando torneio acabe para nosso time, espero que seja em 11 de julho.

O capitão do Barça, Carles Puyol, também falou sobre o tema em seu twitter:

Olá a todos, a partir de hoje não poderemos mais nos conectar até que voltemos do Mundial, vos conto na volta!! Meus cumprimentos!!

Imagem: Ramon Misse’s

Princípios, valores e o Barça campeão

barcelona campeao da uefa champions league 08 09

Em um mundo onde o que vale é ganhar a qualquer custo, o Barcelona insiste em ser leal a seus princípios. Resistência pura de quem teima em ser diferente. Não pela diferença, mas por não querer trair seus valores fundamentais.

Esta é a essência do Barça e não é a toa que seu lema é Mais que um clube. Não há exageros ou hipérboles na frase, o Barça é bem mais que um clube, é uma bandeira da Catalunha, da contracultura e da resistência.

Tenho um amigo catalão que diz que se você – de uma forma ou de outra – apóia ou admira a resistência às imposições, sejam elas culturais, sociais, econômicas ou de qualquer outra porra, você tem que torcer para o Barça

Na época em que a Espanha não podia sorrir, o Barcelona foi perseguido e seu estádio era o grande palco da resistência à ditadura franquista; o único lugar em território espanhol onde podia-se falar, gritar, cantar e xingar em sua língua materna, o catalão, então proibido no país. No país Basco, outro foco anti Franco, o estádio San Mamés do Athletic Bilbao desempenhava o mesmo papel do Camp Nou.

Voltando ao futebol, onde o que vale também é vencer a qualquer custo, o Barcelona se mantém firme em seus princípios, em seus valores. Quer ganhar como qualquer time, mas como não é um qualquer, prefere ganhar ovacionado por seus fãs e até mesmo pelos rivais. No futebol competição o Barcelona não desiste de ser arte, de ser verso de César Vallejo. Joga bonito por prazer, joga bonito por que que vencer assim, com poesia.

Aqui temos uma imagem que o Barça é um time milionário, destes Chelsea ou Real Madrid que despejam dinheiro e sabão no mercado internacional. O Barcelona é rico sim, sem dúvidas. Mas é muito diferente destes outros. O dinheiro serve pra trazer Daniel Alves e Henry no auge de suas formas. Mas o time catalão carrega um orgulho imaculado por suas divisões de base

Na final da Champions de ontem, 7 dos 11 titulares foram formados em casa. Víctor Valdés, Gerard Piqué, Xavi Hernandéz, Andrés Iniesta, Sergi Busquets, Carles Puyol e Lionel Messi. Orgulho catalão! Ainda mais que com a exceção do argentino fantástico, os outros 6 são da terra protegida por São Jorge

Leal a sua excência, fiel a sua história. E o Barça segue firme e forte! Reensinando ao universo da bola que aquele que joga bonito também pode ganhar. E mostrando ao mundo que para ter sucesso não é necessário se esquecer de princípios, assim como não é preciso passar por cima de seus valores e estipular um preço, pra tudo.

Barça campeão!!!

Imagem original: Sítio do Barça
Efeitos: Picnik