O futebol é maravilhoso!

Schalke 04 e Manchester United fizeram o primeiro jogo das semifinais da Champions League, em Gelsenkirchen, na Alemanha.

Teoricamente, um confronto entre Davi e Golias, um pouco menos depois que o time alemão destroçou a Inter de Milão – atual campeã – nas quartas de final.

Mas o jogo começou como a teoria indicava, Manchester como um rolo compressor e o Schalke assustado, se segurando pelas defesas do goleiro Manuel Neuer.

Só no 1º tempo foram 11 finalizações inglesas, 9 de dentro da área. E nada de gol.

A 2ª etapa começou como terminou a 1ª, Manchester em cima e Schalke se defendendo como podia. Até que Ralf Rangnick sacou Baumjohann e colocou em campo o volante Peer Kluge, equilibrando a partida.

E justo quando o jogo havia se tornado mais parelho, o Manchester encontrou seu 1º gol, Ryan Giggs depois de um passe primoroso de Wayne Rooney. Dois minutos depois, Rooney dobrou a diferença, Schalke 0 X 2 Manchester United.

O Manchester massacrou o Schalke por 60 minutos, mas não encontrou o gol. E só conseguiu vazar a meta defendida por Manuel Neuer quando o time alemão equilibrou a partida.

É por isto que o futebol é maravilhoso!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeo: Globo

Anúncios

Palpites pras oitavas da Champions

Hoje começam as oitavas de final da Uefa Champions League, o melhor campeonato de futebol do Mundo!

E o Ópio não vai ficar de fora dessa. Na sequência, os palpites para essa primeira fase do mata mata. Vale a lembrança, os palpites são pra quem passa de fase, não pra quem vence os jogos de ida, ok?

Tottenham X Milan

Um confronto bem interessante destas oitavas de final. Do lado do Milan, a camisa e a tradição. Do lado do Tottenham, um time mais organizado e equilibrado. À época do sorteio eu cravava que os ingleses passariam, mas confesso que Antonio Cassano pôs uma pulga atrás da minha orelha. Desde que o atacante foi contratado junto à Sampdoria, o Milan se tornou um time mais vibrante, menos blasé. E se o Tottenham tem equilíbrio, organização e o excelente Gareth Bale, o time de Milão tem Ibrahimovic em grande fase. O resultado da primeira partida, na Itália, será fundamental pra decidir esse confronto e eu acho que o Milan passa às quartas.

Schalke 04 X Valencia

Tecnicamente este é o pior confronto das oitavas. O Schalke capenga no campeonato alemão (10º colocado) e o Valencia não empolga ninguém, mas pelo menos faz um bom papel na liga espanhola, é 3º, atrás apenas da dupla Barça e Real. Se o embate entre espanhois e alemães não enche os olhos do ponto de vista técnico, pelo menos é um grande atrativo no que se refere ao equilíbrio. Confronto difícil de dar um prognóstico, mas não dar pra apostar no Schalke, dá Valencia.

Barcelona X Arsenal

O jogo dos virtuosos. Barcelona e Arsenal são os times que praticam o futebol mais vistoso do velho continente. Seus técnicos – Guardiola e Wenger – são verdadeiros estetas, querem ganhar, mas a vitória não basta, tem que ter aplausos. Na temporada passada os dois se cruzaram, deu Barça com show de Messi e o treinador do Arsenal vaticinou: Ele é um jogador de vídeo game. Eu diria mais, Messi não é um jogador de vídeo game, é um bug futebolístico, incapaz de ser parado na bola. Adoro ver o Arsenal jogar, mas enquanto do outro lado houver Messi, Xavi e Iniesta, meu voto é do Barça!

Shakhtar Donetsk X Roma

Embate bem interessante. De um lado os ucranianos do Shakhtar Donetsk com um time arrumadinho, que joga de forma organizada e sabe exatamente o que quer dentro de campo. Do outro os italianos da Roma, um dos times mais instáveis da Europa, capaz de encarar a Inter em Milão e depois tomar um chocolate do Avelino em casa. O primeiro jogo é na Itália, o que pode favorecer a Roma, mas eu aposto no Shakhtar.

Chelsea X Copenhagen

O Copenhagen foi uma boa surpresa na fase de grupos, jogou bem e conseguiu até um empate com o Barça, 1 X 1 na capital dinamarquesa. O Chelsea vive seu pior momento desde a chegada do dinheiro russo ao clube. O time não se encontra e com o crescimento dos rivais internos, se vê em risco de ficar de fora da próxima Champions – hoje ele é apenas o 5º colocado, na zona de classificação da Europa League. Mesmo assim acho que dá Chelsea.

Real Madrid X Lyon

Nas últimas 6 temporadas o Real Madrid caiu nas oitavas da Champions, cada ano com um treinador diferente. O sétimo é o aclamado José Mourinho e pelo embalo do time merengue é difícil de acreditar que o tabu resista. Do outro lado está o Lyon, responsável pela eliminação do Real na temporada passada. O time francês é organizado, equilibrado, mas sem brilho. Neste confronto existe a chance de zebra, mas acredito que o Real passe até com certa folga.

Bayern de Munique X Inter de Milão

Este é um confronto que dispensa comentários, basta dizer que na temporada passada este jogo foi a final da Champions League. A Inter vive uma fase de transição, Leonardo assumiu a equipe após o Mundial Interclubes e o time vem crescendo, embora se note alguma instabilidade. Ponto alto do escrete interista, o camaronês Samuel Eto’o que está simplesmente comendo a bola na atual temporada. O Bayern é apenas o 3º colocado na liga alemã, 13 pontos atrás do líder Borussia Dortmund. O time bávaro tem grandes problemas na defesa, mas na frente Robben e Thomas Muller se encontram em grande fase e podem fazer a diferença para os alemães. Esse confronto é de longe o mais difícil de apontar que passa e quem fica. Com tanto equilíbrio não existe prognóstico, é tudo palpite. E o meu é que os alemães se vingam da derrota na final na temporada passada.

Manchester United X Olympique de Marselha

O Olympique tem uma equipe dura de ser batida. Uma defesa sólida – mesmo com o Heinze – e um meio de campo bem pegador, na frente não conta mais com o ótimo Mamadou Niang e o ataque é o ponto fraco do time francês. E se o ataque deles é o problema, a defesa do Manchester é a solução. Ferdinand e Vidic formam o melhor miolo de zaga do mundo e mesmo sem um deles, o substituto Chris Smalling já mostrou que dá conta do recado! Sem falar que é o Manchester do Alex Ferguson. O time inglês é favorito absoluto no confronto.

Imagem: Living The Dreams

Um coração futebolista

Quando vi que Raúl estava de saída do Real Madrid me preparei pra descer a lenha aqui no Ópio. Tudo bem que o camisa 7 está no fim da carreira, mas mesmo assim me pareceu um absurdo que o time merengue se desfizesse do segundo maior artilheiro de sua história e, pra mim, o jogador mais importante da era moderna do Real. Sem comparar o futebol, Raúl representa pra gerações mais novas o que o argentino Alfredo Di Stéfano representou com o esquadrão branco que dominou a Europa na segunda metade dos anos 50 e início dos 60.

Pode parecer exagero, mas não é. Di Stéfano comandou o Real na conquista de 5 Ligas dos Campeões, 8 Campeonatos Espanhóis, uma Copa do Rei e um Mundial de Clubes. O argentino ainda marcou 507 gols com a camisa merengue, sendo o maior artilheiro da história do time. Raúl conquistou 3 Liga dos Campeões, 6 Campeonatos Espanhóis e dois Mundiais. O camisa 7 balançou as redes 308 vezes, é o maior artilheiro do Real em competições européias e de quebra – tamanha sua identificação com  o clube – ganhou a alcunha de Raúl Madrid.

Quem diz que Raúl foi um jogador comum que teve a sorte de atuar ao lado de gênios e craques como Zidane, Ronaldo e Seedorf, está muito enganado. Só defende esta posição quem não acompanhava o futebol europeu no início desta década. O que Raúl jogou na Liga dos Campeões de 2000 e 2001 é brincadeira. Inclusive na segunda edição citada, ele foi artilheiro com nada menos que 17 gols, se não me engano o recorde da competição. Por muitos anos Raúl também ostentou o título de maior artilheiro da história da Champions e em 2001 foi eleito o terceiro melhor jogador do mundo.

16 anos como profissional no Real Madrid, e há 18 no clube, não entendi sua dispensa. Até ouvir seu discurso na despedida no Santiago Bernabéu.

Raúl está de saída porque quer. Porque sabe que não terá mais espaço em Madrid. Com ou sem Mourinho, seu anos de glória já foram. Mas o coração futebolista, como disse o próprio atacante, o fez buscar novos desafios, uma nova casa onde ainda pode ser útil.

Ontem, 28 de julho, Raúl foi apresentado no Schalke 04 da Alemanha. Um time de torcida enorme e fanática e que não conquista a Liga Alemã a mais de 50 anos. Cerca de duas mil pessoas estiveram presentes em sua primeira aparição na Veltins Arena.

É o fim de uma era em Madrid. Espero que ainda não seja o fim do camisa 7.

Abaixo, o discurso de despedida de Raúl no Santiago Bernabéu.

Canal do Youtube: ligafutbol32