Sem desculpas

Não me venham dizer que isso é coisa do jogo. A falta é do jogo, a briga é do jogo, racismo e cusparadas não.

Não me venham dizer que ele foi agredido, pois para isto existe a outra face. E se o revide é inevitável, como manda o ensinamento da vó, é dado na mesma moeda.

Não me venham dizer que o futebol é um mundo à parte. Não é. O futebol faz parte da nossa sociedade, está inserido em nossa cultura, nada de à parte.

Sem desculpas para Danilo.

Se o zagueiro palmeirense – antes de cuspir e ofender – foi agredido por Manoel, esta é outra história que deveria ter sido cuidada pelo árbitro da partida e se não foi, que fique por conta do STJD.

o que fez Danilo é caso de polícia, de algema. O crime de racismo está previsto no código penal brasileiro

1) Constituição Federal de 1988:
“Art. 5.º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: (…)
XLII – a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei;”

2) Código Penal, artigo 140:
“Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
§ 3º Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem:
Pena: reclusão de um a três anos e multa.”(inserido pela Lei nº 9.459, de 13 de maio de 1997).”

Infelizmente, na esfera criminal a coisa já foi aliviada e como quase sempre acontece Danilo deve responder a processo por Injúria Racial, crime mais brando que o de Racismo que é inafiançavel e imprescritível.

Já a justiça esportiva deve ser mais dura com o valentão alvi verde. Pode pegar 22 jogos de suspensão, sem falar na multa que pode chegar aos 100 mil reais. É pouco pelo que ele fez.

E antes que me chamem de xiita, radical ou qualquer outra coisa, reafirmo, é pouco.

Danilo desceu ao patamar mais baixo a que um homem pode chegar. Humilhou, desumanizou um companheiro de profissão e, pior, um garoto que ele viu subir da base do Furacão.

Danilo não cuspiu em Manoel, cuspiu em todos nós.

Ao chamar Manoel de macaco não ofendeu apenas o jovem e promissor zagueiro do Atlético Paranense, mas toda sociedade que ainda é obrigada a conviver com este tipo de coisa.

Porque o racismo não é um problema dos negros, é um problema de todos.

Por isto, sem desculpas para Danilo.

Imagem: Um tiro no escuro
Anúncios

Futebol É Uma Gravata No Peito e uma Câmera Na Mão

Como tem acontecido nos últimos anos, a horripilante figura do STJD aparece na reta final do Campeonato Brasileiro.

Esse monstro, que passa o resto do ano dormindo, sonhando com suspensões, cartões vermelhos e carrinhos, costuma acordar perto das decisões. E desperta pra meter sua colher.

Desta vez foram Grêmio e Botafogo os grandes prejudicados. Do time gaúcho Léo pegou 120 dias, el Chengue Morales 8 jogos e o zagueiro Réver 3 partidas. Dos cariocas Carlos Alberto pegou gancho de 8 rodadas e Jorge Henrique 120 dias.

O pior de tudo, só Léo e Jorge Henrique foram expulsos pelo árbitro Héber Roberto Lopes. Os outros 3 foram penalizados pela Rede Globo, quer dizer, por provas de vídeo.

E Héber, que não puniu os jogadores durante a partida, não foi suspenso, advertido nem mesmo questionado.

Os monstros despertos do STJD distorcem o mestre Glauber e tentam criar o Futebol Novo.

Pra jogar basta uma gravata no peito e uma camêra na mão.

Série C Continua

O Confiança de Sergipe foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva da acusação de escalação irregular do jogador Nílson Sergipano.

A denúncia foi feita pelo Asa de Arapiraca e a Série C corria o risco de parar.

Já não corre. A CBF confirmou a rodada deste sábado, dia 4 de outubro.

O resultado do julgamento do STJD é mais que esperado.

Sem entrar no mérito da questão, quem poderia imaginar que a Série C pudesse parar justamente agora em sua fase final.