O maior espetáculo da Terra

colagem barça gol

O Barcelona da temporada 2008/2009 vence, convence e, acima de tudo, encanta.

Para os amantes do futebol é no momento o maior espetáculo da Terra.

O ano começou com muitas desconfianças em cima do clube. Um elenco refeito depois do racha na temporada anterior, a dispensa de nomes consagrados como Deco, Thuram e Ronaldinho Gaúcho. E o início de trabalho de um novo treinador, Josep Guardiola, que trazia resultados nada animadores do time B.

Pra aumentar a desconfiança, derrota para o pequeno Numancia na primeira partida oficial da temporada. Derrota que foi seguida de empate contra o modesto Racing Santander em pleno Camp Nou. Parecia que seria mais um ano conturbado, mais um ano sem títulos.

Parecia, porque estes seis meses foram tempos de sonhos para o torcedor azul e grená. Depois do empate com o Racing, o Barça  só perdeu pontos no campeonato espanhol na 12ª rodada quando empatou em casa com o Getafe. Foram 16 vitórias em 17 partidas.

Esta sequência impressionante rendeu ao time catalão o título simbólico do primeiro turno com 50 pontos em 57 possíveis, o que dá 87,71% de aproveitamento. Seus perseguidores mais cercanos, Real Madrid e Sevilha, estão 12 pontos atrás.

Em toda temporada foram, até aqui, 37 partidas. 31 vitórias, 3 empates e só 3 derrotas. Sendo que duas eram em jogos que não valiam nada ou quase nada. 1X0 pro Wisla Cracóvia no jogo de volta da fase prévia da Champions, no jogo de ida o Barça venceu por 4X0. E 2X3 para o Shaktar na última rodada da fase de grupos do torneio europeu, quando o Barcelona já havia garantido a classificação e o primeiro lugar do grupo.

Mas se as 31 vitórias impressionam os números do ataque catalão são mais contundentes ainda. Nestes 37 jogos o Barça balançou as redes adversárias 115 vezes, média de 3,108 gols por partida. Em 7 oportunidades o time de Guardiola marcou 5 ou 6 gols, a última neste fim de semana, 5Xo contra o Deportivo La Coruña. Uma máquina de golear.

No campeonato espanhol só o tridente ofensivo (Messi, Eto´o e Henry) marcou 41 vezes, o mesmo número de gols de todo Real Madrid (3º ataque da liga) e 1 a menos que o Atlético de Madrid (2º ataque do campeonato).

Sem dúvida o Barça pinta como grande time da temporada européia. Um time leve e envolvente, de toque de bola fino e vistoso. Um time que brinca de jogar futebol e mesmo brincando conseguiu equilibrar sua ofensividade nata com uma defesa sólida e segura.

O Tradicional Futebol Tic-Tac

O Barcelona desta temporada voltou a origem de sua escola futebolistica, famosa pelo refinado estilo, intensa movimentação e as intermináveis troca de passes que no passado lhe renderam a denominação de Fútbol Tic-Tac. Nosso famos um-dois

O meio de campo leve, rápido e habilidoso formado por Keita, Xavi e Iniesta é o suporte para o sucesso do Tic-Tac. E seus suplentes  – Yaya Touré, Sérgio Busquets, Gudjohnsen e Hleb garantem que a característica seja preservada mesmo com o rodízio do elenco.

Os Recuperados

Na caça às bruxas do fim da temporada passada quase sobrou para Tierry Henry e Samuel Eto´o. Segundo declarações dos dirigentes do Barça, o francês não havia correspondido às expectativas e ao alto investimento feito nele e o camaronês já havia terminado seu ciclo no clube, aliás, ciclo pra lá de turbulento.

Mas para a sorte da torcida barcelonista os dois permaneceram. Juntos eles já fizeram 41 gols. 27 de Eto´o, artilheiro do time na temporada, e outros 14 de Henry, que a partir de outubro voltou a lembrar o impiedoso e clássico jogador do Arsenal.

As novas caras

Das contratações para a atual temporada, 3 jogadores assumiram posições de titulares e têm conseguido destaque. O zagueiro Piqué, formado nas divisões de base do clube, voltou ao Barcelona depois de alguns anos na Inglaterra. O jovem jogador vem mostrando muita segurança e forma a zaga com o capitão Carles Puyol.

O meio campista de Mali,  Seidou Keita, contratado junto ao Sevilha trouxe mais solidez ao meio campo azul e grená. Além de ótimo marcador Keitá também chega a frente e as vezes até faz seus golzinhos, é perigoso na bola aérea.

Mas nenhuma das contratações deu tão certo como o lateral Daniel Alves, também contratado junto ao Sevilha. O baiano, que é considerado por muitos o melhor lateral direito do mundo, mostrou personalidade para assumir a posição, antigo problema do time catalão. Com seus potentes chutes e seus cruzamentos precisos, Dani Alves já conquistou a torcida e o técnico Josep Guardiola que declarou esta semana que o lateral é fundamental em seu esquema tático.

A pulga que faz a diferença

messi la pulga

Mas quem está comendo a bola, fazendo mesmo a diferença é o argentino Lionel Messi. A pulguinha já marcou 25 gols nesta primeira metade da temporada. Mas muito mais que pelos gols, Messi tem encantado catalães, espanhóis, argentinos e demais amantes da bola pelo mundo afora pela magia que ele traz aos gramados. Ele é de longe o jogador que eu mais gosto de ver jogar. Driblador, atrevido e agora goleador. 

Messi faz lembrar uma criança brincando de bola. Jogando futebol não, brincando… de bola. Só quer saber de driblar, de atacar, de fazer gols e malabarismos fantásticos. Arte pura de moleque. O franzino menino de 1,69 m e 63 kg assumiu logo a camisa 10 deixada por Ronaldinho Gaúcho. E rapidamente fez a torcida se esquecer completamente do antigo ídolo.

Messi é um dos jogadores mais rápidos e hablidosos do futebol mundial. Juntando-se a estas características sua descomunal velocidade para trocar de direção na corrida, o argentino se torna um jogador quase imarcável. Ultimamente nem as botinadas têm sido capazes de pará-lo.

Nestes últimos seis meses ninguém, na Europa ou em qualquer outra parte do mundo, jogou mais que Messi. Assim como nenhum outro time chegou ao menos perto do que mostrou o Barça.

Para ver toda lista de jogos do Barcelona nesta temporada clique aqui.

∞ No levantamento feito pelo blog não foi considerada a partida contra o Sant Andreu pelas semifinais da Copa da Catalunha. Porque o Barça disputa a competição com o Barcelona Atlètic, espécie de time B que é dirigido pelo ex jogador Luis Enrique.