Ele é o cara!

Dos últimos 6 campeonatos brasileiros, Muricy venceu 4.

2006, 2007 e 2008 com o São Paulo. 2010 com o Fluminense.

É muito, mas poderia ser ainda mais.

Em 2005 Muricy foi vice com o Inter. Perdeu o título pro Corinthians, beneficiado pela anulação de 11 partidas no escândalo que ficou conhecido como Máfia do Apito. O Timão terminou o campeonato daquele ano 3 pontos à frente do Colorado e se os 11 jogos não tivessem sido anulados e refeitos, daria Inter, um ponto à frente.

Além disto, não dá pra esquecer a lambança do senhor Márcio Rezende de Freitas na partida Corinthians X Inter, no Pacaembu. Fábio Costa deu uma voadora em Tinga e ao invés de marcar pênalti, o árbitro mineiro anotou simulação do meia colorado que tomou o segundo amarelo e acabou expulso. A vitória do Inter daria a liderança ao time gaúcho faltando apenas uma rodada.

No ano passado o Palmeiras de Muricy liderou boa parte do Brasileiro e poderia ter faturado mais uma taça. Mas a bagunça palestrina preponderou e o Verdão foi só o 5º colocado.

Mas pra sairmos do se e voltarmos à realidade, só mais um dado. São 8 anos de Campeonato Brasileiro com pontos corridos. Muricy venceu 4, a metade.

Ele é ou não é o cara?

Imagem: Extra

Um estranho no ninho

muricy_ramalho-isso_aqui_é_trabalho_meu_filho

Após a derrota para o Cruzeiro e a eliminação na Libertadores, a diretoria do São Paulo resolveu demitir Muricy Ramalho. As poucas e abastadas vozes das numeradas do Morumbi pesaram mais que os gritos da arquibancada, do povão tricolor que que seguia ao lado do treinador.

Pra seu lugar escolheram Ricardo Gomes, técnico de finos tratos e poucos resultados.

Muricy não. É homem simples que não gosta de badalações. Não fala francês, não come caviar. Não bajula a cartolagem, assim como não frequenta o Terraço do Club Athletico Paulistano.

Muricy é homem do campo, do campo de futebol. Gosta de trabalhar e ficar com a família. Fala fácil e, o que é pior na visão do alto clero tricolor, fala o que pensa.

Abnegado e incansável, Muricy é o cara que pára o carro na estrada rumo a Ibiúna só pra ver a cobrança de falta de um jogo na várzea. Treinador 24 horas por dia, sete dias por semana.

Se Muricy é bronco demais, é simples demais para o São Paulo, quem mais perde é o tricolor. Perde o treinador que foi eleito o melhor do brasileirão em suas últimas 4 edições, o técnico campeão nacional nos últimos 3 anos.

Mas a perda é mais ampla, é do futebol, da sociedade brasileira como um todo. Exagero???

Não se pensarmos que o Brasil é o país do jeitinho e que Muricy é uma das poucas figuras públicas que defende o valor do trabalho, do mérito.

Pra ele ganha quem é bom, mas como bons são muitos, ganha quem é bom e se dedica. Não basta ter talento, tem que ralar. É a meritocracia muricyana, tão diferente da realidade do futebol e do mundo de hoje.

Muricy vai fazer falta a todos que pensam que o trabalho é que deve ser recompensado, a todos que acreditam que vitória boa é a vitória justa, que ganhar roubado não é mais gostoso.

Muricy Ramalho não é um exemplo pro futebol, é um exemplo pra todos.

Que descanse, mas que volte logo à cena!

Foto retirada: Jornalismo Futebol Clube
Efeitos: Picnik
Arte: Ópio do Povo

Rugidos e Cocoricós

leao galoLeão será o novo treinador do Galo. A apresentação acontecerá nesta terça, às 15 da tarde.

A coletiva do treinador será transmitida ao vivo na internet pelo Portal Uai.

É a 3ª vez que Leão dirige o Galo.

A primeira foi em 97 e rendeu ao alvinegro mineiro os títulos da Copa Conmebol e a Copa Centenário de Belo Horizonte.

A segunda foi em 2007, o técnico chegou, o Galo se livrou do rebaixamento e de quebra se classificou para a sul americana deste ano.

Ao todo Leão dirigiu o Galo 69 vezes. Foram 33 vitórias, 17 empates e 19 derrotas.