Eu preferia o Zico…

A novela chegou ao fim e Mano Menezes foi anunciado como o novo técnico da Seleção Brasileira de futebol.

A primeira opção da CBF foi Muricy Ramalho que disse não. A desculpa oficial foi que o Fluminense não liberou, mas há quem diga que o treinador mais vitorioso nos últimos anos em território tupiniquim não botou fé no famoso projeto da alta cúpula do futebol brasileiro.

Depois, o convite foi feito a Mano Menezes. Que aceitou. E hoje, 26 de julho, ele faz sua primeira convocação.

Após a Era Dunga, não há como falar nada contra Mano. Primeiramente, Mano é treinador de futebol, coisa que Dunga não era. Sem falar nas outras questões que permeiam o trabalho de um técnico de futebol, aspectos nos quais o novo gaúcho está anos luz à frente do antigo.

Eu não queria ver nem Mano nem Muricy na seleção. Admiro o trabalho dos dois e, pessoalmente, gosto muito do ex treinador do São Paulo, um cara que é sinônimo de ética no corrompido mundo da bola.

Mas em meio à minha incansável utopia, eu queria ver mesmo o Zico na seleção. O cara tem experiência de Copa do Mundo – treinou o Japão em 2006 – e fez bons trabalho na Europa, principalmente no Fenerbahçe, onde conseguiu chegar às quartas de final da Champions League.

Zico já passou pela administração Ricardo Teixeira. Fez parte da comissão técnica que foi à França, na Copa de 98. E pelo visto, já sabendo como a banda toca, não voltará a trabalhar com o monarca do futebol brasileiro.

Capello, o onipresente

fabio_capello-inglaterra-english_teamHá algumas semanas a Globo – querendo pagar pouco, jejejejeej – lançou a campanha O Melhor Emprego do Mundo que selecionará um jornalista formando ou recém formado para o cargo de correspondente internacional dos seus canais à cabo.

Ser correspondente deve ser legal mesmo, mas o melhor emprego do mundo – da perspectiva de um viciado em futebol – é sem sombra de dúvidas o do senhor Fabio Capello.

Neste fim de semana o técnico da seleção inglesa esteve em 4 estádios diferentes acompanhando partidas da Premier League. E não foram joguinhos quaisquer.

No sábado Capello visitou o noroeste inglês. Foi a Bolton assistir a partida do time local contra o Tottenham. Jogo pra lá de emocionante que terminou empatado em 2 X 2.

Logo depois o técnico do English Team estava no Old Trafford vendo Manchester United X Sunderland. Com um golaço do búlgaro Berbatov e outro golzinho chorado do lateral Evra aos 47 do segundo tempo, os Red Devils garantiram o empate em 2 X 2 e mantiveram um tabu que já dura 41 anos. A última vitória do Sunderland contra o United em Manchester foi em 1968.

Mas se o sábado já havia sido bom, o que falar do domingo?

Primeiramente Capello teve a oportunidade de acompanhar a melhor partida do fim de semana, Arsenal 6 X 2 Blacburn Rovers no Emirates Stadium, com direito a show dos comandados de Arsène Wenger. O passeio dos Gunners foi 6 X 2, mas não é nenhum exagero dizer que poderia ter sido 10 x 4 ou 11 X 5. Detalhe, 8 gols marcados por 8 jogadores diferentes, eu nunca havia visto algo assim. Jogo histórico, inesquecível! E tenho quase certeza que o treinador da seleção inglesa se lamentou demais por Cesc Fabregas ser espanhol, que maturidade aos 22 anos, que grande craque!

Fabio Capello saiu do Emirates e se dirigiu ao Stamford Bridge para assistir o clássico Chelsea X Liverpool. Mais uma grande partida que terminou com a vitória da equipe londrina por 2 X 0 com gols dos franceses Anelka e Malouda. E excepcional apresentação do ebúrneo Didier Drogba.

Pra muita gente o fim de semana de Fabio Capello pode parecer um martírio, sábado e domingo trabalhando, viagens e tal. Mas pra mim, um viciado em futebol, este fim de semana mais parece um sonho. Não bastasse, hoje à tarde provavelmente ele estará em Birmingham pra mais uma partida que promete, Aston Villa X Manchester City que fecha a rodada da Premier League.

Da onipresença do Capello fica um ensinamento; técnico de seleção tem que viver em estádio. É só no campo que se vê um jogo em sua perfeição. O treinador anão da nossa seleção por exemplo, raramente é visto nos estádios do Brasil e da Europa. É por esta e por outras que o English Team é meu favorito pra levar a Copa de 2010.

Imagem: Estadão

A soneca de Carlos Bianchi

O treinador está dormindo uma sesta…

carlos_bianchi-Boca_Juniors

A frase é de Carlos Bianchi que, atualmente, ocupa o cargo de gerente de futebol do Boca Juniors, equipe pela qual faturou 3 libertadores, 2 mundiais e 4 campeonatos argentinos como treinador.

A crise no clube xeneize tem gerado muitas especulações sobre a volta de Bianchi ao cargo de técnico. Na coletiva de ontem ele foi perguntado se o treinador dentro dele havia morrido.

E soltou esta pérola.

Imagem: Siga Siga – El Deporte de Cerca

A sabedorias dos loucos

el _loco_bielsa-de_córcoras-marcelo_bielsaConfiança é sinal de relaxamento. Prefiro o medo, que nos faz ficar atentos. Digo isto porque sou um especialista em fracassos e sei que, quando terminam os êxitos, as adesões à você acabam também.

A frase é do treinador da seleção chilena de futebol, Marcelo Bielsa. El Loco, como é conhecido, é uma das figuras mais interessantes do futebol. Competente e inovador, é um obcecado pelo que faz, daí o apelido.

Estudioso das táticas do futebol, Bielsa é muitas vezes incompreendido e seus críticos dizem que ele gosta de inventar. Eu não concordo, acho Bielsa uma dos 3 grandes técnicos argentinos da atualidade, juntamente com Carlos Bianchi – que hoje é uma espécie de gerente do Boca – e Gerardo Martino, El Tata, treinador da seleção paraguaia.

Os jornalistas contam que durante a Copa de 2002 era normal encontrar, nas altas horas da noite, o bestial treinador no gramado do centro de treinamento da Argentina. Questionado o porquê das voltas pelo campo nas madrugadas, Bielsa disse que pensava o jogo.

Mas que Bielsa é realmente diferente, disto não há dúvida. Sua carreira como jogador durou apenas 5 anos e sua maior glória com a bola nos pés foi ser eleito um dos zagueiros da seleção ideal do Pré Olímpico de Recife, em 1976.

Seu grande título veio já como treinador, o ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, comandando a seleção argentina que, dentro de campo, era liderada por Carlitos Tévez.

Outro grande mérito do Louco Bielsa é sua postura combativa ao ex presidente do Newell’s Old Boys, Eduardo López, espécie de Eurico Miranda dos Leprosos, como são conhecidos os seguidores do time rosarino. Bielsa foi um dos pilares da oposição à López e sua carta aberta à opinião pública em dezembro do ano passado foi fundamental para a derrota da situação nas últimas eleiçoes do Newell’s.

Abaixo, a tradução da carta aberta do Bielsa:

Dirigida à Opinião Pública – Marcelo Bielsa

Sempre pensei que pela minha condição de treinador profissional, deveria evitar opinar sobre a política interna dos clubes de futebol. Sem embargo, nesta oportunidade, sabendo que o que aconteça no próximo 14 de dezembro terá consequências definitivas sobre o futuro do Newell’s Old Boys – e não posso esquecer tudo que este clube me deu – resulta-me indispensável fazer uma referência pública relacionada com a vida democrática desta instituição.

Como é natural, aqueles que tem como parte de seu capital efetivo o amor pelas cores de um clube, querem ter a possibilidade de eleger aqueles que vão conduzir o alvo de seu amor. Além disto, sabem que este é o melhor recurso para evitar que os bens de todos terminem sendo propriedade de alguns poucos.

Não é meu objetivo qualificar a gestão daqueles que conduziram o Newell’s durante os últimos 14 anos. O modo como foi exercido o poder durante tanto tempo, oferece a todos argumentos argumentos suficientes para julgar a maneira como estes dirigentes atuaram.

Sim exerço, através desta nota, o compromisso pessoal de apoiar as justas reclamações que vêm sendo colocadas sob a luz dos direitos democráticos. A atual condução do clube, habituada a burlar a lei no lugar de cumpri-la, provoca irregularidades que limitam a participação do corpo societário ao invés de propiciá-la, afetando deste modo a transparência das próximas eleições. Como resposta, amplia-se cada vez mais o compromisso popular na busca por mudanças. Não se trata aqui de oposição partidária, mas de que se estabeleça uma agenda ética e moral.

O espírito da lei sempre oferece uma forma de evitar as injustiças que eventualmente possam derivar-se de seu emprego. Por este espírito é difícil compreender porque as autoridades proclamam as razões legais que dificultam a expressão de mais de 20 mil associados, mas não ativam as causas que deveriam impedir que o atual presidente possa ser, mais uma vez, reeleito. Quem, ao apagar das luzes, instrumentou e permitiu esta espécide de defraudação autorizada? Eles têm a obrigação de explicar a quem defendem e por que o fazem.

Todos nós deveríamos entender que, qualquer tentativa para recuperar o melhor da história do Newell’s, começa por lograr que suas próximas autoridades sejam legítimas.

Participar massivamente e de maneira civilizada do ato eleitoral no próximo domingo, esta é a melhor forma enfrentarmos a impunidade. Seguramente, o resto da sociedade aprovará esta forma de atuar.

Imagem: Cancha Llena

As virtudes de um homem simples

Andrade-tecnico_interino-flamengoAndrade ainda não é um técnico de futebol, no conceito do professor que vivemos hoje. Fala manso, não é de xingar nem de reclamar de arbitragem. Tão pouco gesticula feito um animador de auditório à beira do campo.

Andrade também não usa terno. Prefere o agasalho do clube que defende, talvez por lembrar os tempos em que fez parte de um dos melhores times da história do futebol brasileiro, aquele Flamengo cantado e recantado dos anos 80.

Mas talvez ele não use terno por pura simplicidade, por se ver mais boleiro que catedrático.

Há alguns meses o interino rubro negro teve um entrevero com o goleiro Bruno que o chamou de fracassado. Entre outras coisas Bruno teve a audácia de dizer que Andrade não ganhara nada como treinador. Heresia que deveria ter sido punida com mais severidade. Quem é Bruno perto de um Andrade?

Neste fim de semana o Flamengo em seu milésimo jogo pelo Brasileirão – venceu o Santos na Vila Belmiro pela segunda vez na história, a primeira em um jogo oficial. 2 X 1 de virada e o craque da partida foi, sem dúvida, Andrade. Suas substituições foram fundamentais pra vitória rubro negra.

Mas ao invés de chamar os louros da glória pra si, preferiu dedicá-la – em espontânea e verdadeira emoção – a um amigo, ao ex companheiro de Flamengo Zé Carlos que faleceu esta semana.

A simplicidade e a generosidade do Andrade impressionou a todos neste fim de semana, ainda mais se compararmos suas atitudes com as do professor Luxemburgo que quase agrediu o volante Roberto Brum depois de um infantil cartão amarelo.

Andrade conhece muito de futebol, embora não seja visto assim. Perto do linguajar polido de Tite ou dos ternos italianos de Luxemburgo ele parece um bronco. Mas só aos olhos menos sensíveis.

Andrade é grande! Como homem e como boleiro. Seja jogando, seja dirigindo.

E mais que isto, Andrade sente, Andrade se emociona. Andrade chora.

E comove todos aqueles que acreditam que o futebol pode ser mais simples e mais sincero.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Questão de feeling

Josep-Guardiola-feelingsSem ele não teríamos alcançado tudo que conquistamos na temporada passada. Não existem motivos futebolísticos, pessoais nem comportamentais. Simplesmente, é uma questão de feeling, é assim que eu sinto. Creio que temos que mudar algumas coisas. Talvez eu esteja errado, mas a responsabilidade é minha. Assim como a decisão.

Samuel_Etoo e filhoJosep Guardiola,  técnico do Barcelona,  ao explicar – em sua primeira coletiva da temporada – porque não pretende contar com o futebol de Samuel Eto’o, autor de um dos gols na final da Champions 08/09.

Segundo o treinador é tudo uma questão de feeling, simples assim.

Eu sinceramente não estava entendendo os motivos do Barça rifar o excelente centroavante camaronês.

Vale lembrar que Eto’o participou de 2 dos 3 títulos europeus da história do Barça, e fez gols nas finais das duas conquistas em que esteve presente. Um jogador de talento e muita história no clube.

Continuo sem entender muito bem, mas contra o argumento do feeling não há o que retrucar. Se Pepe Guardiola sente que é hora de mudar, quem sou eu pra questionar…

Imagem: Bojan Krkic e Football Pictures

Sem intermediários

Você quer namorar uma moça? Então fale com ela, não com o irmão…

paulo_vinicius_coelhoExcelente analogia do PVC no Bate Bola primeira edição da ESPN Brasil explicando o porquê da demora do acerto entre Palmeiras e Muricy Ramalho.

Segundo se comenta, nas primeiras tratativas o negócio havia sido atravancado por Márcio Rivelino, representante do técnico tri campeão brasileiro.

O certo é que quando o presidente palmeirense Luiz Gonzaga Beluzzo e Muricy Ramalho se encontraram pessoalmente, o acerto saiu.

Imagem: Telesporte