Insensato Futebol

Não concordo com a tese que falta experiência a esta Seleção.

Sei que as principais referências do time ainda não passaram dos 21, mas mesmo com a pouca idade, a vivência no futebol é extensa.

Pra mim, o que falta é tesão e o que sobra é soberba.

Derrota após derrota não nos cansamos de olhar o futebol mundial com um inegável ar de superioridade.

Do alto de nossa presunção não vemos ninguém ao nosso lado, muito menos acima. Somos o único país do futebol.

E enquanto Argentina e Uruguai faziam um jogo épico, com técnica, tática e muita emoção, nossos craques comentavam via twitter Insensato Coração.

Perderam um jogo histórico. Não o de domingo, que também perderam, de forma patética.

Jogadores que não gostam de futebol me assustam um pouco. Custo a entender como o roteiro repetido de uma novela pode ser mais interessante que um dos maiores clássicos do futebol mundial. 

Infelizmente não sei os nomes dos protagonistas de Insensato Coração, se soubesse, poderia compará-los a Messi, Tévez, Forlán e Luisito Suárez, e então veríamos qual elenco é o mais interessante.

Este texto não é pra justificar a derrota de domingo.

Não perdemos pra nós mesmos, perdemos para um Paraguai brioso e aplicado, para um time de jogadores que entendem que o futebol é bem mais que diversão, pra eles, é profissão.

Desclassificados da Copa América, nossos jogadores podem agora, tranquilos, ver a novela.

Enquanto nós, que gostamos de futebol, veremos empolgados a sensação Venezuela, o ressurgente Peru, o altivo Paraguai e o gigante renascido Uruguai.

Imagem: Blogmail
Anúncios

A força dos carboneros!

Eu cresci com o mito do gigante Peñarol.

O campeão do século, o esquadrão aurinegro de craques históricos que aterrorizava as Américas e até os grandes times europeus.

Peñarol pentacampeão da Libertadores, tricampeão mundial.

Peñarol dos monstros sagrados do futebol, como José Leadro Andrade, Leônidas da Silva, Ghiggia, Schiaffino, Elías Figueroa e o incomparável capitão dos capitães, el negro jefe Obdulio Varela, entre tantos outros.

Mas este Peñarol é um clube que só existe no passado.

Dos anos 90 pra cá, foi só decadência. E o brilho da camisa amarela e negra parecia até ter se apagado.

De 2000 pra cá foram 7 participações carboneras na Libertadores; 4 eliminações na primeira fase e uma ainda na fase prévia da competição.

É o que digo, em nada se parece com o Peñarol dos meus sonhos, dos meus livros.

Mas ontem surgiu um facho de esperança. Como diz a histórica canção dos torcedores manyas,

…o Peñarol é eterno como tempo e florescerá a cada primavera!

A vitória sobre o Godoy Cruz deixou o time uruguaio na liderança do Grupo 8 da Libertadores, um dos mais difíceis da atual edição. Já com 5 partidas jogadas, os aurinegros de Montevidéu estão com 9 pontos, 2 a mais que o vice líder Godoy Cruz, que também já jogou 5 vezes. LDU (Equador) e Independiente (Argentina) jogaram 4 vezes e possuem respectivamente 6 e 4 pontos.

Na rodada decisiva o Peñarol recebe o Independiente e conta com a força do Estádio Centenário para, depois de 9 anos, voltar ao mata mata do principal torneio continental da América do Sul.

A mística da camisa amarela e negra – pra mim a mais bela do futebol mundial – dá mostras de que segue viva e que, em breve, pode voltar com toda sua força!

Que me desculpem os genéricos Liverpool e River Plate uruguaios, que nos últimos anos assumiram a posição dos Mirasoles, mas este lugar pertence ao Peñarol.

E viva os carboneros!

No vídeo abaixo você pode ver a festa da torcida peñarolense, é de arrepiar!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeo: Globo

Análise e Palpite da Disputa pelo 3º lugar

Alemanha e Uruguai entram em campo neste sábado, em Porto Elizabeth, para saber quem fica com o 3º lugar da Copa do Mundo. As duas seleções podem ser consideradas as grandes sensações do Mundial. Os alemães pelo belo futebol apresentado, especialmente contra Inglaterra e Argentina, já a Celeste pela garra e superação, características marcantes da campanha uruguaia.

A Alemanha fez aquilo que está acostumada e aquilo que dela se espera. É a décima primeira vez os germânicos ficam entre os 4 primeiros da Copa, sem dúvida a seleção mais copeira da história dos Mundiais. Muita gente anda dizendo que o time de Joachim Low entra desmotivado na partida deste sábado, mas quem conhece a história do país e do futebol alemão sabe que isto não é verdade. A Alemanha entrará pra ganhar e igualar a posição na última Copa. Além do objetivo coletivo, faltam apenas dois gols para que Miroslav Klose ultrapasse Ronaldo e se torne o maior artilheiro de todas as Copas. E o time vai querer ajudá-lo a atingir a marca histórica.

Diante das expectativas, podemos dizer que o Uruguai fez um Mundial soberbo! Alcançou as semifinais, algo que não acontecia há 40 anos. A Celeste voltou a ser grande e a missão já foi mais do que cumprida. Mesmo assim o jogo de amanhã vale muito para os sulamericanos que, com certeza absoluta, querem fechar a campanha com a vitória e a terceira posição na competição, ultrapassando a campanha de 1970. Aliás, no México os uruguaios foram derrotados na disputa de terceiro lugar pela própria Alemanha, 1 X 0, gol de Overath.

Indiscutivelmente a Alemanha tem mais time que o Uruguai. Os sulamericanos podem estar mais motivados pelo retorno à elite do futebol mundial, mas os germânicos não entrarão em campo pra brincar. Thomas Muller volta querendo mostrar que poderia ter feito a diferença na semifinal, Klose que quer virar o maior artilheiro da história das Copas.

Meu Palpite: Alemanha 4 X 2 Uruguai.

Imagens Originais: ETF Trends e DHnet
Colagem: Picnik

Análises e Palpites das Semifinais – I

Holanda e Uruguai fazem uma das semifinais da Copa do Mundo da África do Sul. Um confronto que tem uma pitada de história pois, como bem lembrou o PVC, foi uma partida entre estas duas seleções, no Mundial de 74, que marcou a saída uruguaia e a entrada holandesa na elite do futebol.

Para o jogo de hoje, na Cidade do Cabo, a Holanda é franca favorita. Mas isto não quer dizer que a partida será fácil ou que o Uruguai já está fora, nada disto. A tendência é de um jogo complicado e nervoso, afinal, é semifinal.

O Uruguai é a maior e melhor surpresa desta Copa. Como é bom ver novamente a camisa celeste entre os finalistas, entre os melhores do mundo. O time tem muitos problemas. Suárez e Fucile suspensos, além do miolo de zaga titular que estará desfalcado. Godin e Lugano, machucados, são dúvidas e apenas um deles deve entrar em campo. Talvez nenhum.

Na Holanda também não é tudo cor de rosa. Van Persie deve jogar, mas ainda sente a contusão no braço esquerdo. Mathijsen, que se machucou no aquecimento da partida contra o Brasil, é dúvida e também são dois os suspensos do lado laranja, o lateral Van der Wiel e o volante Nigel De Jong. Demy De Zeew, que deve entrar no meio de campo, é um excelente jogador. É verdade que pega um pouco menos que De Jong, em compensação, com a bola nos pés, tem bem mais qualidade que o titular.

A Holanda é melhor e disto não tenho dúvidas, mas o Uruguai é um time bem organizado, super motivado, que marca muito e, mesmo sem Luis Suárez, é extremamente perigoso na frente, principalmente com Diego Forlán que vem fazendo uma excelente Copa do Mundo.

A Holanda é favorita, mas não vejo a barbadinha que está sendo cantada por aí. Acredito em um jogo pegado, nervoso, com o Uruguai vendendo muito caro a derrota.

Meu Palpite: A Holanda vence por 1 X 0.

Imagens Originais: DHnet e NowPublic
Efeitos: Picnik

Ataque Cardíaco

Uruguai e Gana não foi nenhum primor de técnica, pelo contrário.

Inclusive, depois do gol de empate da Celeste, a partida ficou bem chatinha. Aquela bolinha em banho maria onde ninguém quer arriscar.

Assim foi até o início do segundo tempo da prorrogação quando os dois times se soltaram um pouco mais.

Demorou, mas valeu a pena. Se faltou técnica, sobrou emoção. Depois de mais ou menos uma hora de aborrecimento e futebol enfadonho, os minutos finais do jogo foram simplesmente alucinantes.

A confusão na área uruguaia no último lance da prorrogação, a penalidade máxima cometida por Luis Suárez e desperdiçada por Asamoah Gyan, a disputa de pênaltis e, pra terminar, a cobrança à la Panenka do Loco Abreu.

Linda, corajosa e com um toque de irresponsabilidade simplesmente delicioso.

O Uruguai possui a segunda menor população dos 32 países participantes da Copa, pouco mais que 3 milhões de pessoas vivem no nosso vizinho mais simpático. E depois deste jogo, seguramente mais alguns partiram deste plano. Porque haja coração!

Imagem: Fifa

A maior defesa da história das Copas!

No último segundo da prorrogação, confusão na área uruguaia. Um homem de camisa celeste tiro o gol certo em cima da linha, mas a bola segue viva. Dominic Adiyiah testa firme, a bola passa pelo goleiro Muslera, pelo lateral Fucile e se encaminha às redes.

Mas eis que aparece a mão salvadora de Luis Suárez, atacante da Celeste Olímpica. Atacante? Peraí, então é pênalti!

Foi pênalti sim senhor. Mas a chance da vitória foi desperdiçada por Asamoah Gyan que bateu a infração no travessão. Pênalti perdido, jogo terminado. E decisão na marca da cal.

E na disputa de pênaltis o Uruguai levou a melhor sobre Gana.

A defesa salvadora de Luis Suárez no último suspiro da prorrogação lhe rendeu o cartão vermelho, mas garantiu à Celeste Olímpica uma vaga nas semifinais da Copa, algo que não acontecia há 40 anos.

Por isto insisto, a mão de Luiz Suárez na cabeçada de Dominic Adiyiah não foi simplesmente um pênalti, foi a maior defesa da história das Copas!

Que Gordon Banks que nada, a maior defesa de todos os tempos é essa de Luis Suárez!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
A maior defesa da história das Copas!, postado via vodpod

Imagem: Fifa
Vídeo: Globo

Análises e Palpites das Quartas de Final – II

Gana e Uruguai fazem as quartas de final das supresas na África do Sul. Depois das sofríveis eliminatórias, ninguém esperava que a Celeste chegasse tão longe, ainda mais com uma campanha tão consistente. O mesmo pode ser dito em relação às Estrelas Negras. Depois do corte de Michael Essien, pra mim o melhor volante do mundo, ficou difícil imaginar que os atuais vice campeões africanos chegassem tão longe, mas chegaram!

Gana e Uruguai nunca se enfrentaram em Copas do Mundo. De um lado, o orgulho africano com sua única seleção viva na primeira Copa disputada no continente negro. Do outro, uma história de glórias e tradições que se perdeu no tempo, mas que pode ser agora resgatada.

Gana fez uma primeira fase oscilante. Venceu a Sérvia na estréia por 1 X 0, depois só empatou com a Austrália em 1 X 1 e, por último, foi derrotada pela Alemanha por 1 x 0, o que no fim das contas foi bom já que, com o resultado, a equipe africana se classificou em segundo lugar e fugiu do confronto contra os ingleses. Nas oitavas Gana precisou da prorrogação para eliminar o Estados Unidos, 1 X 1 no tempo normal e 1 X 0 no tempo extra.

O Uruguai tem uma campanha bem sólida até aqui. Empatou na estréia com a França, 0 X 0, e depois fez dois excelentes jogos, 3 X 0 contra a África do Sul e 1 X 0 contra o México. Primeiro lugar do grupo e a Coréia do Sul nas oitavas. Contra os asiáticos a Celeste Olímpica não jogou bem, mas venceu por 2 X 1 e seguiu adiante.

Gana carrega a esperança do sofrido povo africano de ver um time do continente pela primeira vez em uma semifinal de Copa. Já a Celeste carrega uma camisa de peso, uma história de glórias que incluem duas Copas do Mundo, uma delas vencendo o Brasil na final em pleno Maracanã. O Uruguai – menor país dos que seguem na Copa, apenas 3 milhões de habitantes – também traz a alegria de um povo simpático que, com o futebol, sonha novamente em ser grande.

As duas equipes têm seus méritos futebolísticos por chegar até aqui e trazem consigo fortes apelos emocionais para esta partida de quartas. Time por time, sem Essien, eu sou mais Uruguai. Forlán e Suárez são os dois jogadores mais técnicos do confronto, os dois mais capazes de desequilibrar.

Meu Palpite: Uruguai vence por 1 X 0.

Imagens Originais: DHnet e Tizona
Colagem: Picnik